Uma série de empregos que proíbem ou acolhem a candidatura de feministas estão gerando polêmica na Coreia do Sul.

Recentemente, o proprietário de uma loja de conveniência no distrito de Nowon, em Seul, estipulou em um anúncio de emprego de meio período que quem se candidatasse não poderia ser feminista. 

Logo depois que a história se tornou viral, o proprietário foi bombardeado com críticas de muitos internautas que condenaram seu comportamento como nada além de discriminação de gênero.

Mais tarde, o proprietário admitiu que era errado escrever o anúncio de trabalho dessa forma, acrescentando que ele simplesmente queria enfatizar que gostaria de contratar um homem que fosse forte o suficiente para atender aos requisitos físicos do trabalho.

Em contraste, a fabricante de roupas femininas Fuse Seoul levantou uma polêmica após publicar um anúncio de emprego dizendo “damos preferência à muheres e as feministas são muito bem-vindas” para suas posições de marketing.

A Fuse Seul afirmou que não houve problemas com o anúncio de emprego, já que a frase de boas-vindas às feministas era igual à busca pela igualdade de gênero.

Especialistas afirmam que, na fase de recrutamento de trabalhadores, o comportamento de banir ou acolher alguns com condições específicas é polêmico, mas é incerto se tal comportamento é passível de punição criminal.

“Levar em consideração gênero, aparência, altura ou estado civil ao tomar decisões de contratação pode estar sujeito a punição, mas dificilmente é possível punir casos envolvendo conceitos ambíguos como feminismo.” disse Jang Yun-mi, porta-voz da Associação Coreana de Mulheres Juristas.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.