Cena do filme coreano Minari, um drama familiar.

Kim Yong-chul, um universitário, passou a maior parte do tempo em casa se candidatando a empregos e estudando para testes desde o final do ano passado. Mas quando o novo coronavírus chegou ao país, em uma crise que se estende até agora, ele começou a se sentir desconfortável em ficar com sua família em casa por quase 24 horas por dia.

“Meu pai está trabalhando em casa há mais de um mês e ficou estressante para mim ficar em casa, até mesmo fazer três refeições todos os dias”, disse Kim. “Sempre que encontro meu pai em casa, ele me pergunta como estou me preparando para conseguir um emprego.”

Quando os casos de infecção por COVID-19 começaram a crescer no mês passado, e grupos de infecção continuaram a surgir em todo o país, aqueles que ficaram em casa como parte da medida de quarentena estão enfrentando conflitos com os membros da família.

No início, algumas dessas mudanças em suas vidas foram feitas com o pensamento de que, aqueles que se sentiam negligenciados devido à vida ocupada dos pais, poderiam passar mais tempo com os membros da família. No entanto, como a infecção viral tem permanecido, eles estão gradualmente começando a se sentir desconfortáveis em casa.

Um arquiteto de 34 anos, que desejou permanecer anônimo, vai a uma cafeteria todo fim de semana para evitar o contato com a família.

Todos os membros da minha família agora ficam em casa no fim de semana, e meus pais batem na porta para perguntar o que estou fazendo e querem que eu vá conversar com a família, o que me faz querer fugir de casa às vezes” ele disse. “Então eu vou a um café nas proximidades com as minhas coisas e com o que tenho para fazer.”

Park Ye-ji, um trabalhador de meio período no Selecto Coffee em Seongnam, província de Gyeonggi – onde dois novos grupos de infecções por vírus surgiram, em torno de um hospital e igreja protestante – diz que as pessoas vêm ao café com laptops e trabalhos para fazer.

Embora os casos de infecção sejam relatados todos os dias nesta cidade, as pessoas visitam o café“, disse Park. “Às vezes, a cafeteria fica cheia de clientes mesmo durante a semana”.

Embora o surto de COVID-19 continue, uma cafeteria em Seongnam, província de Gyeonggi, tem uma participação constante de clientes. Foto: The Korea Herald

Kim Young-min, uma escritora freelancer de viagens, começou se dividir entre seu trabalho e a cuidar de sua filha de 4 anos, cuja creche foi fechada temporariamente. Como sua filha exige sua constante presença, Kim decidiu passar a maior parte do tempo com a filha, enquanto se concentra no trabalho à noite, principalmente a partir das 23h às 2h da manhã

Nos últimos tempos, todo dia é cansativo. Pode parecer fácil trabalhar em casa, ficando com um bebê, mas trabalho é trabalho. Você precisa se concentrar nisso – ela disse. “Sinto que me tornei sensível demais ao que está acontecendo ao meu redor, o que leva a conflitos e discussões com meu marido. Todas as palavras que ele diz me incomodam.”

Na Hae-jin, que trabalha em uma editora há 10 anos, está trabalhando em casa há três semanas. No início, ela estava confusa sobre seus dois papéis em casa – como mãe de um menino de 5 anos e vendedora. “Sou uma mãe que trabalha, por isso não estou acostumada a passar todos os dias da semana com meu filho“, disse Na.

Na primeira semana de trabalho em casa, costumava me irritar com meu filho, do que me arrependi depois. Mas não pude evitar “ – disse Na.

Han Sae-young, professor de desenvolvimento infantil da Ewha Womans University, sugere que é importante que as crianças mantenham uma rotina regular para evitar irritações excessivas. Isso também pode impedi-los de exigir muito dos pais.

Sugiro que os pais garantam que seus filhos cumpram um horário regular como se estivessem na escola e expliquem que os próprios pais também têm trabalho a fazer”, disse ele. “E no lazer, brinquem com as crianças fazendo coisas que elas podem fazer em casa, como jogar um jogo de tabuleiro, criando relacionamento e se comunicando melhor”.

Alguns especialistas dizem que os membros da família tendem a magoar com facilidade os sentimentos um do outro porque sabem que os relacionamentos entre eles normalmente não se separam como os de amigos ou amantes.

Eu recomendaria às pessoas que conscientemente evitem usar palavras negativas para a família neste momento difícil”, disse Gwak Geum-ju, professor do departamento de psicologia da Universidade Nacional de Seul. “Além disso, eles precisam estar cientes de que os membros da família precisam de seu próprio tempo, e o distanciamento social também é necessário em casa às vezes“.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.