Fote: APNews / Lee Jin-man

Espera-se que as autoridades de saúde sul-coreanas anunciem um roteiro revisado para o distanciamento social que dará mais liberdade às empresas, ao mesmo tempo que restringirá o comportamento das pessoas de forma mais estrita, para combater o COVID-19.

“Até agora, a Coreia restringiu a abertura de empresas e locais públicos sem necessariamente limitar o movimento de pessoas ou outros comportamentos individuais”, disse o porta-voz do Ministério da Saúde, Son Youg-rae, durante uma coletiva de imprensa na semana passada. “De agora em diante, os fechamentos e outras restrições aos negócios serão minimizados e, em vez disso, atividades como viagens, encontros e passeios estarão sujeitos a controles mais rígidos.”

De acordo com o ministério, os casos recentes de infecção foram em grande parte causados ​​por interações pessoais entre amigos ou familiares. Cerca de 36% de todos os pacientes recentemente confirmados contraíram COVID-19 de alguém conhecido, enquanto até 23% não puderam ser rastreados por contato – o que significa que eles não estavam conectados a surtos conhecidos. Son disse que a última tendência indica que o vírus está se espalhando principalmente por meio de eventos pessoais, razão pela qual a proibição de reuniões privadas de cinco ou mais pessoas se provou particularmente eficaz para conter o aumento de infecções em dezembro. O porta-voz do Ministério também deu a entender que o governo planeja introduzir uma proibição de reuniões mais rígida, imitando o modelo de “bolhas sociais” da Nova Zelândia, sob o qual apenas um grupo exclusivo de até 10 pessoas pode se encontrar.

A abordagem da bolha social foi creditada por ajudar a Nova Zelândia a controlar com sucesso a propagação de infecções, com apenas 26 mortes até fevereiro deste ano. “O reino das interações sociais de cada pessoa seria limitado às pessoas com quem vive ou com quem deve manter contato regular”, disse Son. “Se você puder trabalhar remotamente, sua bolha incluiria seus colegas de trabalho, por exemplo.”  Ele disse que as bolhas seriam usadas em níveis mais rígidos de distanciamento social. “Você não precisa se distanciar socialmente das pessoas incluídas na bolha, mas deve evitar se misturar com qualquer pessoa de fora da bolha.”

A atualização iminente visa reduzir os danos à economia das medidas pandêmicas. “O fardo do distanciamento social deve ser compartilhado por toda a sociedade, e não por determinados setores”, disse. Ele reconheceu que a maneira como o distanciamento social funcionou na Coreia no ano passado fez com que as pequenas empresas sofressem sem uma compensação justa.

Embora haja mais pressão sobre as pessoas para que se abstenham de socializar, o quanto das regras será obrigatório ainda está para ser decidido. “O primeiro esboço do esquema de distanciamento social deve ser finalizado na próxima semana. Como as taxas de casos estão novamente em alta, sua introdução pode ser adiada”, disse.

Son acrescentou que a Coreia tinha espaço para sustentar um número maior de pacientes de uma vez do que o ditado pelo sistema atual. Atualmente, a camada mais estrita de distanciamento social é implementada quando há 800 a 1.000 casos por dia. “A capacidade do nosso sistema de saúde foi expandida para suportar cerca de mil pacientes sendo diagnosticados por dia por cerca de três semanas”, afirmou. “À luz da nossa resposta aprimorada, as regras de distanciamento social podem ser aplicadas com mais moderação para o restante da pandemia. Como as vacinações começarão em breve, acho que podemos esperar uma redução do distanciamento social ainda mais em maio ou junho.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.