Foto: The Economist Nova recessão mundial

A sombra da recessão global paira sobre as maiores economias do mundo. Os principais mercados tiveram ultimamente seus piores dias, e uma possível recessão em território sul coreano está gerando preocupações.

Semana passada, os rendimentos dos Treasuries (Tesouro Nacional americano) de 10 anos ficaram atrás dos rendimentos de dois anos pela primeira vez desde 2007- fenômeno conhecido como curva de rendimento invertida. 

Especialistas e investidores estão preocupados com essa tendência, uma vez que nos últimos 60 anos, todas  as recessões foram precedidas pelas inversões da curva dos juros.“Toda vez que o rendimento dos títulos de 10 anos do tesouro dos EUA ficaram atrás do de dois anos, uma recessão econômica ocorreu dentro de um período de 18 meses, e é por isso que precisamos nos preocupar”. Disse Kong Dong-rak, analista da Daishin Securities.

“ Mesmo não resultando em uma recessão, é definitivamente um sinal do aprofundamento da desaceleração econômica” acrescentou.

Foto: Yonhap, Visitantes tiram foto no lado de fora do Banco da Coreia

Os próprios rendimento de 10 anos coreanos despencaram, chegando a um recorde de 1.172% na tarde de sexta (16). Os rendimentos de três anos, enquanto isso, caíram para 1.095%; totalizando uma lacuna de 7.7 pontos base, menor nível desde 12 de agosto de 2008.

Com os rendimentos dos títulos do governo caindo drasticamente e a tomada do mercado coreano pelos EUA, analistas locais expressam preocupações de que fortes sinais de recessão possam levar o Banco da Coreia (BOK) a reduzir as taxas de juros básica a um recorde de 0,75% ano que vem.

A empresa Goldman Sachs na sexta passada reduziu a previsão do aumento da economia sul coreana de 2.2% para 1.9%. Também reduziu os números do próximo ano, de 2.3% para 2.2%. O Banco da Coreia deverá em Outubro reduzir sua taxa básica de juros de 1,5% para 1,25%, acrescentou o relatório divulgado pela gigante de investimentos.

Taxa Básica de Juros

O BOK já diminui a taxa esse ano, de 1,75% foi para 1,5%,  medida tomada antes do esperado. Foi o primeiro corte do Banco Central desde Junho de 2016.

O Banco da Coreia não tem escolhas a não ser fazer cortes agressivos, disse Kang Seung-won, analista da NH Investment & Securities.

“A Taxa está projetada para cair para 1% nos primeiro trimestre de 2019 e o Banco Central vai ponderar um corte adicional para 0,75% depois disso,” acrescentou.

Sobre  as exportações, as remessas externas da Coreia do Sul atingiram US$ 46,1 bilhões no mês passado, uma queda de 11% em relação ao ano anterior, segundo dados do Serviço Alfandegário da Coreia. As exportações para a China caíram 16,6% em julho, enquanto que remessas com destinos aos EUA também caíram 0,7% no mesmo período.

Preocupações Externas

As crescentes preocupações ocorrem primeiramente por conta da disputa comercial entre Seul e Tóquio sobre os principais materiais necessários para produção de semicondutores e displays coreanos, segundamente pela guerra comercial EUA-China.

De acordo com especialistas, a guerra comercial entre as duas maiores potências do mundo é a razão do nervoso mercado global.

A Alemanha anunciou recentemente a redução do PIB ( produto interno bruto), a China por sua vez anunciou o menor crescimento de produção industrial dos últimos 17 anos.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.