Dentro de Hanawon: Como desertores norte coreanos estão construindo uma vida na Coreia do Sul

Instalações de Hanawon ( Na tela aparecem oito salas de aulas e outros espaços do centro de treinamento vocacional). Foto:

Com muros altos e cercas de arame farpado, o centro de reassentamento de Hanawon  possui o nível de segurança mais alto do país, mas para milhares de pessoas também oferece um passo em direção à liberdade.

Hanawon é  o local onde os desertores norte-coreanos se preparam para começar uma nova vida e aprendem a cuidar de si mesmos na Coreia do Sul antes de se integrarem a um mundo desconhecido no qual desejavam viver. Um total de 33.815 desertores norte-coreanos chegaram à Coreia do Sul em 2021. Entre eles, mulheres, crianças e adolescentes são obrigados a permanecer por três meses em Hanawon, que pode ser traduzido diretamente em “casa da união”, localizada em um vilarejo remoto em Anseong, província de Gyeonggi.

Os homens são enviados para outro centro de Hanawon no município de Hwacheon, província de Gangwon, após passarem por uma investigação do Serviço Nacional de Inteligência. Hanawon, o Centro oficial de Apoio ao Assentamento  para Refugiados Norte-coreanos, é administrado pelo Ministério da Unificação da Coreia do Sul e oferece programas de educação básica e cursos de treinamento vocacional para ajudar na adaptação e reassentamento de desertores na Coreia do Sul.

Dentro de Hanawon: Como desertores norte coreanos estão construindo uma vida na Coreia do Sul
Os desertores norte-coreanos podem fazer cursos profissionais de costura e reforma de roupas no centro de treinamento vocacional de Hanawon. Foto: Ji Da-gyum/The Korea Herald

Normalmente a instalação bem vigiada é mantida  fechada,mas  pela primeira vez desde abril de 2016 foi aberta à mídia neste mês de julho para marcar o seu 23º aniversário. A instalação possui um centro de treinamento profissional, uma escola especial, um centro de saúde mental, um hospital geral, refeitórios e alojamentos.

De cursos de manicure à treinamento de barista

Em Hanawon, os desertores norte-coreanos  cursam  um programa educacional  de 400 horas com  uma ampla  variedade de tópicos, de acordo com o Ministério da Unificação. Os objetivos principais do programa  são  o de aprimorar o entendimento  deles sobre  a sociedade sul-coreana e  seu idioma, bem como sobre  os direitos das mulheres e a igualdade de gênero, e para abraçar e se adaptar melhor ao capitalismo e à transformação digital.

Os desertores  norte-coreanos, a maioria a qual  foi exposta a eventos traumáticos na Coreia do Norte e a caminho da Coreia do Sul, também aprendem a cuidar de sua saúde mental. A maior parte do programa de educação, um total de 162 horas, é destinada à orientação de carreira, treinamento vocacional e busca de emprego, que são indispensáveis ​​para que os desertores se mantenham em pé diante dos diferentes sistemas educacionais e estrutura industrial na Coreia do Norte. Para esse fim, um centro de treinamento vocacional de quatro andares foi construído em junho de 2020 no complexo de Hanawon para fornecer diretamente uma ampla gama de cursos com foco no desenvolvimento de habilidades vocacionais e técnicas.

Os desertores norte-coreanos podem fazer cursos profissionais sobre culinária coreana, chinesa e japonesa, penteados, manicure, maquiagem, cuidados com a pele, gerenciamento de turismo e limpeza de hotéis. Eles também podem aprender a se tornar padeiros e baristas. O Hanawon também oferece cursos de costura industrial, alterações e reparos de roupas e lavanderia profissional, além de cursos de tecnologia eletrônica básica e fabricação de eletrônicos. Durante a visitação  da mídia no local, um oficial  encarregado de gerenciar programas de treinamento profissional na instalação de Hanawon em Anseong, solicitando anonimato, disse que muitos desertores norte-coreanos começam suas carreiras como operários.

Nós abrimos cursos de formação profissional sobre os temas que os formandos (desertores) mais preferem”, disse o oficial. O Hanawon também foi designada como uma instituição nacional de educação que forma cuidadores no final do ano passado, disse o mesmo. Isso permite que a Hanawon ofereça cursos profissionais de enfermagem, cuidado e assistência social. Além disso, os desertores podem fazer um teste baseado em computadores no centro para obter um certificado nacional de qualificação técnica, como uma licença de chef de cozinha, por exemplo.

Esforços para melhorar a qualidade do trabalho

A diferença salarial entre os sul-coreanos e os desertores norte-coreanos diminuiu de 596.000 won (458 dólares) em 2019 para 457.000 won em 2021, segundo os  dados fornecidos pelo Ministério da Unificação. O salário médio dos desertores vem aumentando gradativamente desde 2011. O salário médio mensal pago aos desertores aumentou de 2.047.000 won em 2019 para 2.277.000 em 2021. O salário médio do ano passado quase dobrou em comparação com 2011, quando os desertores ganharam 1.213.000 won por mês em média. Entretanto, funcionários do Ministério da Unificação, em um briefing para repórteres em Hanawon, explicaram que não houve  uma melhora considerável na qualidade do emprego. 

Dentro de Hanawon: Como desertores norte coreanos estão construindo uma vida na Coreia do Sul
Os desertores norte-coreanos fazem uma aula profissional de culinária coreana para obter uma licença de chef credenciada no centro de treinamento vocacional estabelecido no complexo de Hanawon em Anseong, província de Gyeonggi. Foto: Ji Da-gyum/The Korea Herald)

A proporção geral de desertores norte-coreanos em trabalho de baixa qualidade e sua taxa de rotatividade são mais altas do que a média da população sul-coreana, mas o Ministério da Unificação vem revisando  meios para  melhorar a qualidade do trabalho dos desertores, incluindo a melhoria do sistema em conjunto com ministérios relacionados. “Mas tem havido uma tendência de mais desertores conseguirem um emprego que exija habilidades”, disse um funcionário. “Além disso, o número de pessoas que desejam iniciar sua própria empresa aumentou rapidamente. Continuamos a apoiar a criação de seus próprios negócios.”

O Hanawon também oferece cursos de 372 horas, tais  como curso de idioma, direção, computação e parentalidade, dos quais os desertores podem participar voluntariamente. De acordo com o funcionário, cursos sobre computação básica e direção para tirar a carteira de habilitação são os cursos mais procurados.

De cuidados com a  saúde mental à escolas especiais

Desertores norte-coreanos com menos de 19 anos estudam  na escola especial Hana Dul antes de serem transferidos para uma escola regular na Coreia do Sul. Um funcionário da escola disse que cerca de 2.600 alunos desertores frequentaram a escola  desde que ela  foi inaugurada em setembro de 2009. A escola Hana Dul tem como objetivo ajudar seus alunos a “estabelecer uma identidade como cidadão da República da Coreia (Coreia do Sul), recuperar a confiança e a autoestima desenvolvendo a estabilidade emocional, melhorar as habilidades acadêmicas básicas,  complementar o aprendizado e melhorar a compreensão  sobre as  escolas e a sociedade da República da Coreia”.

Dentro de Hanawon: Como desertores norte coreanos estão construindo uma vida na Coreia do Sul
Os desertores norte-coreanos com menos de 19 anos são educados na escola especial Hanadul antes de serem transferidos para uma escola regular na Coreia do Sul. Foto: Ji Da-gyum/The Korea Herald

Alunos do jardim de infância e do ensino fundamental têm aulas na Escola Primária Samjuk em Anseong e participam de atividades extracurriculares na escola especial Hanadul. Professores enviados  pelo  Ministério da Educação ensinam alunos do ensino fundamental e médio na escola Hana Dul. No complexo de Hanawon, o hospital geral de Hana ( que engloba odontologia, medicina familiar, medicina interna, obstetrícia, medicina oriental e pediatria) funciona das 9h às 18h com a equipe de atendimento. Por exemplo, cerca de 30 a 40 por cento dos desertores precisam de tratamento com prótese dentária, que geralmente é caro para eles, disse um funcionário do hospital. Cerca de 90% dos desertores vão à clínica odontológica.Várias cartas de agradecimento escritas por desertores foram colocadas na parede do hospital. 

Os desertores norte-coreanos também podem receber serviços profissionais de saúde mental, como terapia individual, em grupo e ludoterapia no centro de saúde mental inaugurado em novembro de 2018. Atualmente, um psiquiatra e quatro conselheiros trabalham no centro O ministro da Unificação, Kwon Young-se, em um discurso proferido durante uma cerimônia que marcou o aniversário de Hanawon, admitiu que o governo precisava se esforçar mais para enfrentar os desafios e as dores que os desertores sofrem. O ministro também ressaltou que a sociedade sul-coreana deve estabelecer um ambiente propício para que os desertores desempenhem um papel social fundamental. “Mais de 30.000 desertores norte-coreanos têm sido frequentemente referidos como precursores da unificação”, disse Kwon. “Ninguém pode prever quando a unificação  irá ocorrer. Mas  qualquer um pode fazer isso agora para se preparar para a próxima unificação enquanto valoriza e encoraja os precursores da unificação.”

A ocasião marcou a primeira visita pública a Hanawon por um ministro da unificação desde 2017, quando o então Ministro da Unificação Cho Myung-kyun participou do evento comemorativo do 17º aniversário do centro. O ministro da unificação sul-coreano se absteve de visitar abertamente as instalações de Hanawon depois que as duas Coreias começaram a estabelecer uma atmosfera de reconciliação em 2018.

Disclaimer

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.