consumidores passeiam pelo distrito comercial de Myeong-dong

As disparidades salariais entre as ocupações aumentaram em meio à pandemia de COVID-19, à medida que os salários nas indústrias de tecnologia e transmissão de TV registraram um dos maiores crescimentos, enquanto os trabalhadores nos setores de aviação e turismo sofreram queda, revelaram novos dados.

De acordo com informações divulgadas no domingo pelo Instituto de Pesquisa Econômica da Coreia, empregos em portais da web e processamento de dados viram seus salários crescerem em 9 milhões de won ($ 7.666) em média para 37,9 milhões de won durante o primeiro semestre deste ano em comparação com o mesmo período de dois anos atrás.

O setor que viu o maior salto salarial inclui gigantes da tecnologia como Naver, Kakao e o serviço de streaming de música Genie Music.

Empregos no comércio de produtos, incluindo LX International e Posco International, viram o segundo maior salto no salário médio, de 30,8 milhões de won no primeiro semestre de 2019 para 39,1 milhões de won durante o mesmo período deste ano. Empregos na televisão, incluindo a agência de entretenimento CJ ENM e a rede de TV SBS, pagaram em média 4,1 milhões de won a mais.

Os números refletem o salário total durante os primeiros seis meses de cada ano.

Os trabalhadores dos setores de aviação e turismo – entre os mais afetados pela pandemia – sofreram uma grande queda salarial.

A remuneração média no turismo e setores relacionados caiu de 20 milhões de won no primeiro semestre de 2019 para 12,3 milhões de won durante o mesmo período deste ano.

A aviação viu o salário médio do primeiro semestre cair de 31,8 milhões de won para 24,2 milhões de won.

As viagens aéreas devem retornar aos níveis pré-pandêmicos apenas em 2024, de acordo com a Boeing.

Outros empregos onde os salários caíram entre 2019 e 2021 incluíram os da sede e serviços de consultoria de gestão.

Os trabalhadores da fabricação de equipamentos óticos e fotográficos sofreram uma queda salarial de 3 milhões de won, em média.

Os trabalhadores do ensino privado baseados em “hagwon”, ou cursinhos, viram seu salário médio cair de 19,1 milhões de won para 18,9 milhões de won.

Os varejistas de alimentos, bebidas e tabaco viram seu salário médio aumentar de 20,3 para 22,7 milhões de won entre 2019 e 2021.

A indústria de transporte marítimo, que se beneficiou da forte demanda por contêineres nos últimos meses, teve um aumento salarial médio de 31,2 milhões de won para 33,5 milhões de won no mesmo período de seis meses.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

doze − 8 =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.