A palavra “idol” (ídolo) é usada na Coreia por uma razão. Espera-se que as estrelas coreanas cumpram padrões de comportamento quase impossíveis. Eles se apresentam como uma imagem de algo para além do humano: um ideal platônico em contraste gritante à existência corruptível e danificada que apresentamos em nossas vidas mais mundanas. Aqueles que estão no centro das atenções da música coreana são obrigados a se abster de namorar, falar sobre assuntos políticos e de fazer qualquer coisa que possa parecer alinhada com o que pessoas normais fazem. Isso provavelmente explica de alguma forma por que grande parte da música é desprovida de qualquer relevância para vida real.

Mas e daí? Nós sabemos que a cena musical coreana tem seu próprio modo de se comportar. E mais do que isso, funciona. Pessoas de todo o mundo amam. O relacionamento parassocial que os fãs têm com esses ídolos sobre-humanos é uma parte enorme da atração. É uma emoção: embrulhada, empacotada e vendida. Algumas das emoções que impulsionam essa indústria em particular é a pureza, devoção e lealdade inabalável. Ídolos vivem para seus fãs dedicados, servindo-os de uma maneira verdadeiramente altruísta.

E os políticos da Coreia do Sul? Uma das maiores histórias no momento é sobre um ex-candidato à presidência em busca de uma cadeira política para poder evitar a investigação criminal. O caso não é único e nem tão surpreendente. É claro que muitas das idas e vindas que acontecem entre os partidos governantes e de oposição na Coreia são politicamente motivados e impulsionados por vingança, em vez da verdade, lei ou do fato. No entanto, há uma sensação predominante de que alguns políticos estão engajados em ações que nem sempre estão de acordo com a lei, mas são necessárias como parte do seu trabalho. Então, mais do que as vidas e ações de outras pessoas na sociedade, esta é uma conversa sobre nossos papéis como cidadãos e as expectativas que colocamos nos outros. O que esperamos de estrelas pop e políticos? Quais padrões devemos pedir a eles?

Para as eleições locais que aconteceram no dia 1º de junho, houve aproximadamente 7.459 candidatos registrados. Um estudo realizado com os possíveis representantes, até então, produziu resultados que não foram necessariamente surpreendentes, mas vale a pena chamar a atenção. 27.5% das candidaturas são de mulheres. Embora esse número pareça baixo, é um aumento em relação a quatro anos atrás e aponta para uma tendência de aumento da representação em geral (embora lentamente).

Obviamente todos os candidatos são ricos. Esse é um dos grandes problemas na maioria das sociedades em torno do mundo. Embora as pessoas se concentrem na diversidade em relação ao gênero, cor ou etnia, geralmente há pouca atenção à diversidade econômica e de classe. Então temos pessoas ricas fazendo regras e leis que irão, na maioria das vezes, beneficiar os ricos. E assim, nos últimos cinco anos, mais de mil candidatos tiveram atraso em relação ao pagamento de impostos. Preocupantemente, tem 96 candidatos que não pagaram o imposto nenhuma vez durante esse período. Boa sorte, se você conseguir, eu acho.

Dos 4.430 candidatos do gênero masculino que são obrigados a cumprir o serviço militar nacional obrigatório, aproximadamente 12% não o fizeram. No entanto, como acontece com a maioria dessas estatísticas, o número aumenta à medida que você sobe na escala de poder. Para aqueles que buscam cargos como chefes de governos metropolitanos e provinciais, 9 de 45 não completaram o serviço militar.

Em termos de condenações criminais, 2.720 (36,2%) dos candidatos têm pelo menos um processo criminal registrado. Dois dos candidatos têm 14 condenações cada! Assim como no serviço militar, quanto mais ricos os candidatos, maior o percentual de condenações criminais. Dos 15 que possuíam ativos de mais de 50 bilhões de won, seis deles tinham antecedentes criminais. É claro que vale a pena salientar que nem todas essas condenações são as mesmas e algumas podem ser mais compreensíveis do que outras.

Na indústria pop coreana de enorme sucesso, os fãs esperam pureza dos artistas. Por outro lado, na política, aparentemente há políticos tendo todos os tipos de problemas para manter os padrões que eles criam e exigem de nós cidadãos. Justo o suficiente, eu acho. Afinal são humanos.

Mas e se nós, como sociedade, invertemos nossas expectativas? Claro que nunca teremos pessoas perfeitas. O mundo não funciona assim. No entanto, na Coreia, se pedíssemos aos legisladores e políticos que fossem ídolos no sentido de se conduzirem perfeitamente e em relação à imagem da nação, ao mesmo tempo em que permitimos aos artistas a liberdade de explorar e expressar partes da experiência e alma humana que normalmente não conseguimos acessar, que tipo de mundo estaríamos habitando então? E quando elegemos legisladores para nos governar, gastar nosso dinheiro de impostos e representar a nação, não seria bom se aqueles que o fizessem fossem cidadãos cumpridores da lei que pagassem seus impostos e não tivessem antecedentes criminais como ponto de partida?

Estrelas do K-pop e Políticos Coreanos deveriam ter Padrões Morais Diferentes?Texto escrito por Dr. David A. Tizzard, Ph.D. em estudos coreanos e literatura e comentarista social e cultural e vive há duas décadas na Coreia do Sul.

Disclaimer

As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.