A comunidade cristã local alegou que um controverso grupo religioso tem usado o boom internacional do K-pop para aumentar seus membros, induzindo os crentes a ficarem alertas para não serem enganados pelo grupo “herético”.

O aviso refere-se à Shincheonji Church of Jesus (SCJ) ou Igreja de Jesus de Shincheonji que tem visto um rápido aumento em seus membros no exterior nos últimos anos, particularmente na China, África do Sul, Estados Unidos e Alemanha.

O Reverendo Shin Hyeonuk. fala às pessoas após participar da reunião da SCJ. Foto: Korea Times

O Reverendo Shin Hyeonuk, da Igreja Guri Chodae e diretor do Guri Cult Counseling Center (centro de aconselhamento), na província de Gyeonggi, disse que a SCJ realizou uma reunião geral em 13 de janeiro, onde cada grupos de igrejas compartilhou suas realizações.

Shin disse ao The Korea Times que ele entrou para a reunião disfarçado de membro do SCJ e gravou o que foi dito lá.

Com base nas informações obtidas, Shin disse que a igreja tem uma estimativa de 202.899 membros, um aumento de 9% em relação ao ano anterior, principalmente devido ao aumento de membros no exterior.

“Diante de um número de membros que está diminuindo rapidamente, a Igreja tem se concentrado em missões no exterior nos últimos anos. Os membros do culto no exterior estão crescendo rapidamente, em contraste com o que está acontecendo dentro da Coreia”, disse ele. “Campanhas de conscientização pública lançadas por grupos cristãos ajudaram a SCJ a perder terreno em casa. Mas pessoas de fora do país não sabem o que ela é. Só no ano passado, a igreja conseguiu recrutar 6 mil novos membros no exterior”.

Fundada em 1984 por Lee Manhee, que afirma ter visto Jesus e desde então recebeu a imortalidade, a SCJ expandiu-se rapidamente. Ensina os membros que, quando o mundo acabar, as almas dos “mártires” e os corpos de seus crentes serão unidos e gozarão a vida eterna.

A igreja é notória por seu uso de técnicas de subversão, aproximando as pessoas através de vários grupos de fachada, como “Associação de Voluntários de Mannam” ou de “Cultura Celestial, Paz Mundial e Restauração da Luz (HWPL)”.

Recentemente, a igreja viu uma diminuição no número de membros depois que Kim Namhee, a segunda no comando de Lee, deixou a igreja e alguns crentes a seguiram. A igreja também extorquiu 1,2 milhões de won de membros que não conseguiram recrutar novos adeptos, o que também levou alguns a abandoná-la.

O Reverendo Shin Hyeonuk. Foto: Korea Times

O Pastor Shin reuniu informações sobre a SCJ, de ex-membros que procuraram o conselho do Centro de Aconselhamento e compartilharam suas experiências. “Nós conhecemos muitas pessoas que foram vitimas da SCJ”, disse ele.

O pastor pediu à comunidade cristã que trabalhe em conjunto para impedir que a SCJ se espalhe por todo o país. No entanto, o alcance à outros países tem sido limitado.

Em uma coletiva de imprensa realizada no centro, um ex-membro da SCJ, de sobrenome Kim, disse que participou da “atividade missionária” do grupo enquanto estave na Turquia por dois anos e três meses.

“Eu não podia me misturar com outras pessoas na Turquia por causa das diferenças culturais. Mas eu tinha que me concentrar em recrutar membros anunciando o grupo usando a cultura coreana, administrando uma empresa de cosméticos coreana, construindo um café de intercâmbio cultural e ministrando aulas de língua coreana”. Kim disse. “Como resultado de minhas ações, quatro professores turcos e sete outros se juntaram à SCJ. A igreja recrutou com sucesso 70 pessoas lá.”

Os crentes internacionais da SCJ aumentaram a partir de 2014, quando a igreja colocou seu foco no recrutamento no exterior. Até agora, acredita-se que tenha mais de 22.000 membros estrangeiros, representando cerca de 10% de seu total.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.