Imsil-gun, pequena aldeia rural na província de Jeolla do Norte, é uma cidade que muitos coreanos já ouviram falar, mas poucos visitaram.

Para começar, a viagem via transporte público não é fácil. Imsil fica isolada por trás de montanhas e rios reconhecidamente cênicos, agachada atrás das encostas a pouco mais de 20 quilômetros de Jeonju.

Estendendo-se por 597 quilômetros quadrados de terras agrícolas e lar de 29.160 mil habitantes, ela é uma minúscula partícula no mapa. Mas essa partícula possui o aroma de queijo, ganhando sua reputação como a meca sul-coreana do queijo ao longo dos anos.

Crianças participam de atividade de manuseio do queijo no Vilarejo do Queijo Imsil. Foto: Korea Tourism Organization

A cidade agora é a principal produtora de queijo e abriga pontos turísticos, como o Vilarejo de Queijo Imsil e o Parque Temático de Queijo.

Tudo começou em 1966, quando o jovem padre católico da Bélgica, Didier t’Serstevens começou a fazer queijo com o leite restante das 2 cabras que possuía. Na época, Imsil era uma cidade ainda menor e mais pobre, já que suas colinas e terras áridas não eram o melhor lugar para plantar.

Um pouco mais de uma década após a Guerra da Coreia de 1950-53, a parte rural do país dependia principalmente da agricultura e criação de gado para ganhar a vida.

Criança ordenha cabra no Vilarejo do Queijo Imsil. Foto: Korea Tourism Organization

Começando como uma forma para ajudar os negócios da fazenda, ele construiu uma pequena fábrica de queijo com um empréstimo de US $ 2.000 de seus pais, que logo se expandiu para todo o país, chegando até os melhores hotéis e lojas em Seul.

Atualmente, o produto tem mais de 70 marcas comerciais associadas a ele. Três anos atrás, o pioneiro do queijo Imsil recebeu a cidadania coreana e agora é conhecido como o padre Chi Chong-hwan.

Variedade de queijos Imsil N. Foto: www.korea.net

Leva mais de 3 horas de ônibus ou trem de Seul para chegar a Imsil. De Jeonju, onde há uma estação KTX, leva 15 minutos de trem ou meia hora de carro.

O Vilarejo de Queijo Imsil fica a pouco mais de 500 metros ou a 10 minutos a pé da estação de trem de Imsil, a cerca de 10 minutos de ônibus do terminal rodoviário.

Vilarejo do Queijo Imsil. Foto: Korea Tourism Organization

É oferecida uma variedade de oficinas, onde os visitantes podem experimentar fazer mozarela, palitos de queijo, pizzas, barras ou o famoso queijo Imsil original. As taxas para os workshops e pacotes variam entre 10.000 won e 32.000 won.

No Parque Temático do Queijo, há pacotes que dão aos participantes a oportunidade de fazer e embalar o queijo, assim como pizzas e outros produtos, além de visitar as zonas fotográficas temáticas.

Parque Temático do Queijo. Foto: Korea.net

O curso S é o pacote mais caro, custando 37.000 won, para grupos de até 40 pessoas. Os horários variam de 10:30 a 16:00, dependendo de quando os programas começam, e um programa pode durar uma hora ou duas. O parque está aberto das 9h às 18h, fechando às segundas-feiras.

Visitantes participam da atividade no Vilarejo do Queijo Imsil. Foto: Korea Tourism Organization

Também há serviço de hospedagem na apropriadamente chamada “Pensão do Queijo”, embora não pareça nada com queijo. A hospedagem tem capacidade para aproximadamente 24 pessoas, com apenas sete quartos.

Em outubro, a cidade hospeda o Festival Anual de Queijo Imsil N, nos dias 03 a 06 de outubro deste ano.

Uma média de 60.000 a 70.000 turistas visitam a cidade de queijo de Imsil-gun a cada ano, mas seria exagero dizer que é um dos pontos turísticos mais populares da Coreia. Enquanto o queijo Imsil se expandiu em uma empresa nacional, arrecadando 10 bilhões de won anualmente, a própria Imsil ainda é uma cidade agrícola relativamente pequena.

Vilarejo do Queijo. Foto: Korea Tourism Organization

Apesar de não ser um destino turístico privilegiado, não há como negar que Imsil completou sua transformação como uma cidade de queijos. Mudança que começou com um padre católico e 2 cabras há meio século atrás.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.