No tiro com arco, a corda do arco é puxado para trás até que se encoste no lábio, a mão direita fica sob queixo e seus olhos concentrados no alvo que esta à sua frente. Em uma fração de segundos, a flecha voa e o objetivo é acertar bem no centro do alvo.

A Coreia tem tradição nesse esporte, e na Olimpíada de Tóquio, a atleta An San repetiu esse ciclo de vitórias com precisão incrível. A cada tentativa, sua postura era perfeitamente equilibrada e seu brilho inabalável.

Do total de 6 medalhas de ouro conquistada pelo país, 3 são dela, com seus tiros mortalmente precisos.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
An San com uma, das três medalhas de ouro conquistadas em Tóquio. Fonte: The Korea Times

No entanto, o que mais marccou a sua presença nas Olímpiadas para os coreanos, não foi sua capacidade de se apresentar, mas seu cabelo. O corte de cabelo da atleta An San causou uma batalha de gênero na Coreia.

Você pode se perguntar, “E daí que ela tem cabelo curto? Que diferença isso faz?”

Na Coreia, uma mulher ter cabelo curto pode ser uma afronta às normas convencionais e uma demonstração de apoio ao movimento pelos direitos das mulheres. Além disso, a associação à um movimento progressista pode ser considerado ofensivo.

Os conservadores já desconfiavam que seu cabelo curto era uma expressão politica deliberada, pois usuários do Instagram perceberam que ela usava expressões associadas ao feminismo.

Tudo isso levou An San a virar alvo de insultos online, inclusive com alguns internautas apelando às autoridades para revogar suas medalhas.

O termo feminista é uma palavra de opressão política na Coreia.

Para os conservadores coreanos, feminista não é alguém que deseja o bem para mulheres e que defende a igualdade de gênero, mas sim uma pessoa que odeia e deprecia o sexo oposto, uma impostora dominadora e egoísta que capitaliza injustamente seu gênero para aproveitar oportunidades.

Em 2015, um site feminista chamado Megalia ganhou destaque e tinha como símbolo dois dedos, vistos como insinuação sexual ofensiva para os homens.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
Megalia foi uma comunidade feminista online. Fonte: Wikipedia

O Megalia iniciou um movimento para fechar o Soranet, o maior site pornográfico da Coreia. Além disso, conseguiu um pedido de desculpas da revista Maxim’s Korea, que publicou na capa, uma mulher com pés amarrados dentro do porta malas de um carro, com o título ‘O verdadeiro bad guy‘, exaltando a violência contra mulheres.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
Capa de setembro de 2015 da revista Maxim, que mostrava violência contra a mulher. Fonte: Korea Exposé

Em maio, uma polêmica envolveu a rede de lojas de conveniência GS25, que se desculpou posteriormente, depois de veicular um anúncio usando uma imagem semelhante ao símbolo da Megalia.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
Polêmica envolvendo a rede GS25. Fonte: The Korea JoongAng Daily

Isso acabou criando uma forte resistência contra o feminismo. Uma pesquisa da Realmeter revelou que, 62% dos homens entrevistados repudiam o feminismo. Entre homens nas casas dos 20 anos, 77% afirmaram repudiar o feminismo, muito mais do que homens na casa dos 50 anos.

A ascensão das mulheres na Coreia está realmente prejudicando os homens?

Com a aproximação da eleição presidencial em 2022, as preocupações dos jovens se tornaram uma questão política.

O partido conservador, People Power Party, nomeou Lee Jun-seok, de 36 anos, o líder mais jovem da história, na intenção de atrair os votos dos jovens.

Lee se manifestou contra o excesso de feminismo e quer focar nas frustrações de uma geração de jovens que se sentem em desvantagem. Os dados de pesquisa indicam que Lee tem forte apoio de homens na casa dos 20 anos.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
Lee Jun-seok, o líder político mais jovem da história. Fonte: Join Media Canada

Queixa dos homens

Com a economia muito lenta, os jovens adultos reclamam da desigualdade, insegurança, aumento da competitividade e perda de poder na sociedade.

O estresse devido a longas horas de trabalho na Coreia faz sentido. Pessoas estão tendo que trabalhar cada vez mais cedo para se estabelecerem nessa era de desigualdade, e com a pandemia, o desemprego chegou a 9,9% entre os jovens.

Não há dúvidas que as discussões de gênero acabam criando polarização. Jovens coreanos sentem que as coisas são mais fáceis para as mulheres porque elas não precisam servir no exército por 2 anos.

Então o cabelo curto de An San foi uma declaração de superioridade de gênero? Não há evidência que sugere isso, e ela tem se recusado a responder perguntas.

A controvérsia provocada por seu cabelo já estava causando burburinho antes mesmo de ela competir na final de tiro com arco. Quando chegou a hora de atirar, ela estava pronta como sempre, não mostrando nenhum nervosismo que seus críticos tanto desejavam.

Embora An San fosse desconhecida antes das Olimpíadas, a maestria e a firmeza que ela  exibiu em Tóquio foi resultado de muito treino para aprimorar suas habilidades.

Em vez de deixar comentários desagradáveis na internet, os rapazes frustrados deveriam ser inteligentes e seguir seu exemplo: manter o olho no alvo e deixar de lado o vitimismo.

O cabelo de An San e a questão de gênero na Coreia
An San nos jogos olímpicos. Fonte: TVI 24

Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

20 − um =

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.