Uma mulher, sub-oficial da Marinha, que antes desejava ser aeromoça, tornou-se a primeira mulher a receber a licença de mestre em mecânica para operar armas de última geração em um destróier usado para atacar submarinos e grandes navios de guerra.

Yoo Ji-Hyun, de 33 anos, atualmente serve como oficial interina de comunicações no DDG-992, um destróier Aegis em homenagem a Yulgok Yi I, um renomado estudioso confucionista durante a dinastia Joseon (1392-1910).

Conheça A Primeira Mestre Em Mecânica Da Marinha Sul Coreana
Família de ji-hyun está profundamente enraizada na marinha. O marido dela, han duk-soo, é o sub-oficial chefe da unidade de resgate a navios da marinha, o pai dela é um sub-oficial mestre da reserva naval e o cunhado dela é um sub-oficial chefe na marinha.

A frota está equipada com tecnologia de ponta, inventada pela Marinha dos EUA, incluindo um radar matriz tridimensional de fases SPY-1 e um lançador de mísseis vertical.

A perícia técnica do sub-oficial de comunicações é a chave que determina o poder do navio“, disse um oficial da Marinha.

Ji-Hyun, cuja tarefa está no cerne das forças armadas da nação, é a primeira mulher a ganhar uma licença de mestre em mecânica, o certificado de qualificação técnica nacional mais elevado.

Um oficial pode inscrever-se para o teste de qualificação para se tornar um mestre em mecânica depois de trabalhar como um técnico certificado por cinco anos” disse um funcionário do Ministério da Defesa Nacional. “Esta é a primeira vez que uma mulher conquistou este feito na Marinha coreana”.

Ji-Hyun começou a preparação para o teste da licença em março de 2015 e passou no teste após cerca de um ano, em maio de 2016. Ela é uma dos 42 mecânicos mestres que trabalharam na frota do Yulgok Yi I desde 2010.

Família do Yoon Ji-Hyun está profundamente enraizada na Marinha. O marido dela, Han Duk-Soo, é o sub-oficial chefe da unidade de resgate a navios da Marinha, o pai dela é um sub-oficial mestre, atualmente na reserva e o cunhado é um sub-oficial chefe na Marinha.

Apesar de tais raízes profundas na Marinha, ela enfrentou muitas dificuldades durante a preparação para o teste. Ji-Hyun é mãe de duas crianças de escola primária, e muitas vezes era difícil para o marido ajudar nas tarefas de casa devido ao seu trabalho.

Então, ela não teve escolha, teve que reduzir o número de horas de sono todas as noites, a fim de completar seus estudos. E ainda fazia plantões de oito horas, sempre que a frota saia em uma missão.

Mesmo depois que o navio regressou à terra e ela voltou para casa, continuou estudando tarde da noite, depois de colocar os dois filhos para dormir. Seus colegas de tripulação, sabendo como foi difícil para ela conseguir a licença, a chamam de “smartie” (sabichona, em inglês).

Na juventude, Ji-Hyun aspirava tornar-se uma aeromoça. Ela estudou aviação no Dongju College, mas desistiu e em vez disso tornou-se sub-oficial feminina da Marinha em 2003, como era desejo de seu pai.

Ela, que não tinha experiência em equipamentos de comunicação, inicialmente lutou, mas gradualmente ganhou mais experiência após servir no AOE-58, um navio de apoio de combate e o DDH-976, um destróier nomeado em homenagem a Munmu, o grande imperador de Silla (57 A.C. – 935 D.C.). Ela também serviu no comando de operações navais.

Yoon Ji-Hyun agora possui cinco licenças, incluindo de engenharia industrial e  processamento das informações. “Foi difícil“, disse ela. “Mas eu fiz os testes porque eu queria me tornar um soldado orgulhoso”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.