Nesta foto de 2019, candidatos visitam uma feira de empregos para residentes estrangeiros no COEX no distrito de Gangnam, em Seul. Foto: Yonhap

Os residentes estrangeiros de países de língua chinesa vivem e passam a maior parte de seu tempo no sudoeste de Seul, enquanto os residentes estrangeiros de países ocidentais tendem a circular em maior número pelo distrito de Gangnam, de acordo com uma análise de bancos de dados de estrangeiros que permaneceram em Seul por 90 dias ou mais.

Daerim-dong e Guro-dong, nos distritos sudoeste de Seul, e Yeongdeungpo e Guro, respectivamente, são o lar de um número crescente de residentes estrangeiros em Seul, particularmente os falantes de língua chinesa, mesmo antes do início da pandemia no início de 2020. Com o distrito de Geumcheon, situado ao sul dos dois distritos, os três outros distritos vizinhos, tinham o maior número de estrangeiros residentes de longo prazo registrado na cidade, conforme os dados divulgados em 27 de junho.

A mais recente evidência, é o resultado de uma análise conjunta do Governo Metropolitano de Seul, do Migration Research and Training Center, uma agência de pesquisa estatal criada pelo Ministério da Justiça, e da Organização Internacional para as Migrações na Coreia, bem como da KT, uma das 3 grandes empresas de telecomunicações do país.

O governo da cidade planejou a última análise de dados para verificar onde vivem os residentes estrangeiros com permanecia de longo prazo da cidade e onde eles passam a maior parte de suas horas durante o dia. Os analistas deduziram que o registro de atividades em horário noturno é o número mais próximo ao número de residentes estrangeiros de longa duração da cidade. A contagem diurna era uma medida para verificar onde os residentes geralmente estavam ativos nos horários diurnos. A análise contou os números da “população da vida cotidiana” dos estrangeiros coletando os registros de telecomunicações e dados públicos desde 4 de abril em cada uma das 425 áreas administrativas “dong” dos 25 distritos locais da cidade.

A análise de rotina diária da população, apresenta uma visão mais precisa da tendência de oferta e demanda para estrangeiros que utilizam os serviços administrativos de nossa cidade do que os números registrados no antigo banco de dados do governo central“, disse Kim Seon-soon, chefe do Escritório de Assuntos de Gênero e Família do governo da cidade. “Para resolver o problema populacional em declínio da cidade e fortalecer sua competitividade global, é importante apoiar os residentes estrangeiros. Os últimos resultados da pesquisa nos permitirão moldar políticas futuras personalizadas para cada distrito e área diferentes da cidade“.

A análise mostrou que a população total dos residentes estrangeiros de longo prazo com algum tipo de rotina diária na cidade em 4 de abril era de 384.036. O número de residentes estrangeiros registrados no Ministério da Justiça no final de março deste ano era de 363.887. Os que estavam envolvidos em atividades diurnas (até às 15h) foram contabilizados em 376.296.

Rotina diária de residentes estrangeiros em Seul analisada por raça e etnia
Profissionais e estudantes estrangeiros reunidos em um restaurante coreano. Foto: The Korea Herald

Os distritos de Yeongdeungpo, Guro e Geumcheon apresentaram uma menor taxa de atividade diurna em comparação com o tamanho de sua população estrangeira com permanecia de longo prazo registrada. Isto pode ser interpretado como significando que cada vez, mais residentes estrangeiros nesses distritos vão para diferentes áreas para realizar atividades diurnas. Os distritos de Dongdaemun, Gwangjin, Mapo e Yongsan, por outro lado, mostraram maior número de atividades diurnas do que sua população estrangeira de longo prazo registrada.

As áreas ocupadas com atividades noturnas estavam concentradas principalmente em Yeongdeungpo, Guro e Geumcheon. Sinchon no distrito de Seodaemun, e Seogyo-dong no distrito de Mapo, assim como Daerim e Guro, são as áreas mais frequentados para atividades diurnas.

Os bairros da cidade também apresentam tendencias específicas quanto à etnia, propósito de permanência e idade. Mais de 90% dos residentes estrangeiros de longo prazo nos distritos de Yeongdeungpo, Guro e Geumcheon são de países de língua chinesa. Os distritos de Yongsan, Seocho e Gangnam tinham o maior número de ocidentais, enquanto os distritos de Jungnang, Gwangjin e Seongbuk, na região nordeste da cidade, tinham um número elevado de estrangeiros vindos da Mongólia.

Os distritos de Yongsan, Seocho, Mapo e Gangnam tinham um número comparativamente maior de trabalhadores estrangeiros em profissões qualificadas. Já nos distritos de Dongdaemun, Seodaemun, Seongbuk, Gwangjin e Gwanak, onde muitas universidades estão localizadas, é notada uma presença marcante de estudantes estrangeiros.

Os residentes estrangeiros na faixa dos 20 anos estavam concentrados principalmente nos distritos de Dongdaemun, Seodaemun, Seongbuk, Gwangjin e Jongno. Os distritos de Yongsan, Gangnam, Seocho e Songpa tinham números comparativamente mais altos de estrangeiros na faixa dos 30 e 40 anos. A maioria dos residentes estrangeiros de longo prazo em Yeongdeungpo, Guro e Geumcheon tinham na casa dos 50 anos ou mais.

Disclaimer

As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.