Noventa e nove anos atrás, 33 ativistas se juntaram em Seul no dia 1º de março e declararam Joseon um estado independente, desencadeando o movimento de independência nacional contra a ocupação japonesa que durou de 1910 a 1945.

Para o 99º aniversário do Dia do Movimento (feriado nacional), o Governo Metropolitano de Seul está organizando vários eventos para celebrar e reavivar a memória da população em relação aos corajosos ativistas que se opuseram às atrocidades japonesas.

“O movimento de independência é um capítulo muito importante da história coreana,” afirma o governo da cidade. “O governo continuará no apoio de projetos que ajudem as pessoas a lembrarem nossa história”

Aldeia Buckchon Hanok (Imagem: Theseoulguide.com)
Aldeia buckchon hanok (imagem: theseoulguide. Com)

A cidade celebrará a abertura da estação Anguk na linha 3, renovada com o tema do movimento de independência. A estação traz um significado histórico, pois é próxima de Bukchon (aldeia tradicional) e Insa-dong (ponto turístico e histórico) onde as estratégias-chave do movimento foram traçadas. A estação também é próxima dos lares de grandes ativistas, como Lyuh Woon-hyung (1886-1947)  e Son Byong-hi (1861-1922).

Insadong, Um Dos Pontos Turísticos Mais Populares De Seul (Imagem: Theseoulguide.com)
Insa-dong, um dos pontos turísticos mais populares de seul (imagem: theseoulguide. Com)

A plataforma de metrô será decorada com perfis de ativistas como Kim Koo (1876-1949) e Ryu Gwan-sun (1902-1920). Os andares superiores da estação terão uma sala dedicada às exposições sobre o movimento de independência.

Kim Koo E Ryu Gwan Sun (Imagems: Kimkooyouthforum.org/ Geni.com)
Kim koo e ryu gwan sun (imagems: kimkooyouthforum. Org/geni. Com)

Na cerimônia de abertura, o cantor Ahn Chi-hwan, a comediante Hong Yoon-hwa e a atriz/cantora Cho Seung-hee irão liderar um pequeno show. Um descendente de Kim Koo também comparecerá para compartilhar algumas memorías de seu bisavô.

O Museo de Arte de Seul abrirá a exibição especial “Almas Deslocadas” (Displaced Souls), na galeria SeMa Bunker, em Yeouido. “Almas Deslocadas” contém fotos e um documentário sobre a difícil situação do povo coreano durante a ocupação japonesa.

Aproximadamente 140 fotografias serão expostas. O documentário retrata a história dos coreanos escolhidos durante a Segunda Guerra Mundial para trabalho forçado em Hokkaido, Japão. Destes trabalhadores, 115 perderam a vida no país.

Sema Bunker (Imagem: Visitseoul.net)
Sema bunker (imagem: visitseoul. Net)

Na sexta, uma conferência internacional ocorrerá na Assembleia Nacional, visando estudar os coreanos que sofreram trabalho forçado e faleceram durante a ocupação japonesa. O documentário captura a jornada de recuperação e repatriamento de seus restos.

O governo da cidade está patrocinando uma maratona de aniversário na quinta-feira. Com o ponto de partida no Estádio Jamsil (sudeste de Seul), o maratonista e medalhista de prata Lee Bong-ju fará sua participação na corrida de 42.195 quilômetros. O prefeito de Seul, Park Won-soon também irá participar de uma distância mais curta. Os corredores podem participar em segmentos curtos de três, cinco, dez, 21 e 31 quilômetros.

A população também pode sentir o espírito do Dia do Movimento em casa.

O canal tbsTV exibirá um documentário às 12h10 da tarde e 9h30 da noite reexaminando o espírito do Movimento de Março e seu impacto no estabelecimento do governo da República da Coreia e na democracia.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.