Kim Ji-young, uma funcionária de escritório de 29 anos de Seul, aproveitou suas férias este ano em uma casa de campo remota na periferia da cidade agrícola de Sangju, no sul do país, no mês passado.

A casa rústica de fazenda em estilo antigo, construída com barro e madeira, tinha poucas das comodidades e serviços oferecidos por luxuosas acomodações de férias.

Permanecendo quase isolada dos vizinhos e cercada por espaços verdes e abertos, no entanto, a casa alugada provou ser um retiro perfeito durante a pandemia.

Kim e seu namorado aproveitaram ao máximo sua estada de quatro dias na casa de campo, que eles tinham só para si – todas as refeições inclusas, fogueira à noite, passeios matinais pela calma vizinhança, enchendo uma cesta cheia de vegetais com a horta do quintal – tudo sem medo de infecções por COVID-19.

Casas De Campo Ganham Popularidade Como Destino De Férias Devido À Pandemia
Casa de campo disponível para férias em okcheon, na província norte de chungcheong. Foto: yonhap news

Este tipo de férias está ganhando popularidade na Coreia do Sul sob o nome de “choncance” no contexto da pandemia de COVID-19, bem como no crescente apelo de um estilo de vida mais lento em contraste com a era digital de hoje. Choncance é uma nova palavra que combina “chon”, que significa uma área rural em coreano, e “vacance”, a palavra francesa para férias.

“Caminhamos livremente em quase todos os cantos do bairro e ainda mal precisávamos usar uma máscara porque a distância entre cada casa era muito grande, sendo que a aldeia era escassamente povoada”, disse Kim. “Percebi o quão valioso era o dia-a-dia banal antes da pandemia. Senti que o estresse da minha vida cotidiana em Seul, assim como a pandemia, estavam indo embora.”

Como Kim, muitos sul-coreanos estão optando por opções de férias de verão que podem minimizar a exposição a multidões, como acampamentos ou estadias em hotéis de luxo, popularmente chamados de “hocance”, já que a longa pandemia COVID-19 interrompeu abruptamente as viagens ao exterior e torna os turistas relutantes em visitar destinos turísticos locais lotados.

Como a alta temporada de férias deste verão, que começa no final de julho, coincide com a pior onda de infecções por corona vírus no país, muitos estão cancelando ou adiando indefinidamente os planos de férias à medida que aumentam os temores de transmissões de COVID-19.

De acordo com uma pesquisa divulgada na semana passada pela empresa de recrutamento online JobKorea, apenas 4 em cada 10 funcionários de escritório na Coreia disseram que estavam planejando férias de verão. O restante respondeu que estava indeciso ou que não viajaria durante as férias de verão, um resultado que a pesquisa afirma que reflete a situação preocupante da pandemia.

O país registrou uma alta de mais de 1.800 novos casos diários de corona vírus na quinta-feira, devido à rápida disseminação da variante delta, que é considerada altamente contagiosa, de acordo com a Agência de Controle e Prevenção de Doenças da Coreia.

As autoridades de saúde e os municípios permanecem em alerta máximo sobre a possibilidade de a pandemia se espalhar ainda mais durante o pico da temporada de férias, quando se espera que o fluxo de viajantes aumente em todo o país.

Preparando-se para uma possível chegada de turistas, uma série de municípios no início desta semana elevou suas diretrizes de distanciamento social para o segundo nível mais alto, o Nível 3, incluindo a cidade portuária de Busan e a popular ilha de Jeju.

Além da proibição nacional de reuniões privadas de mais de quatro pessoas que permanece em vigor até 1º de agosto, Busan proibiu comer e beber à noite em todas as suas praias por duas semanas, enquanto Jeju também estava tentando fechar as praias para diminuir o ritmo contínuo de transmissão COVID-19.

Em Gangneung, uma cidade da costa leste superior que é conhecida por suas praias, o centro da cidade e as praias permaneceram visivelmente vazias na noite de segunda-feira, o primeiro dia em que a cidade passou pelo maior distanciamento social do Nível 4, a primeira região fora da grande área de Seul.

Mais da metade dos restaurantes nos movimentados distritos comerciais da cidade fecharam temporariamente, pois a cidade obrigou o fechamento de restaurantes, cafés e praias após às 20h. por uma semana, bem como a proibição total do funcionamento de bares e outros estabelecimentos noturnos.

Desanimada com o acúmulo de restrições de distanciamento social e casos de infecção de COVID-19, Lee Min-ju, uma freelancer de 40 anos, decidiu cancelar seu plano de visitar Busan e o condado turístico de Namhae neste verão.

“Com a opção de viajar para o exterior totalmente indisponível este ano, não tive outra escolha a não ser viagens domésticas”, disse ela. “Mas eu desisti disso também devido à situação do COVID-19.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.