Ir de Seul para PyeongChang de carro, atualmente, é um grande desafio pois tem levado cerca de três horas e meia para os motoristas alcançarem a cidade dos alpes saindo da capital – quase uma hora a mais do que o habitual – uma vez que várias partes da via Yeongdong Expressway estão em manutenção ou reparo, fazendo com que o tráfego fique congestionado.

Isso tudo porque PyeongChang, a cerca de 180 quilômetros a leste de Seul, está se preparando para receber os visitantes de todo o mundo para os primeiros Jogos de Inverno da Coreia do Sul, em 2018.

Os organizadores esperam ver mais de 2 milhões de visitantes durante o evento quadrienal. Os Jogos de Inverno serão realizados principalmente em PyeongChang, mas alguns eventos também serão realizados em Jeongseon County e em Gangneung, tudo na Província de Gangwon.

Para a região, ser bem sucedido nos Jogos de Inverno é importante, mas assim como quaisquer outros anfitriões de um mega evento, continuar o legado olímpico e tornar-se um destino atraente de viagem também são fundamentais. “Os Jogos Olímpicos de Inverno em PyeongChang deram uma oportunidade maravilhosa para a Província de Gangwon“, disse o governador de Gangwon, Choi Moon-Soon, na 80ª Conferência Internacional de Turismo da Sociedade de Ciências e Turismo da Coreia (TOSOK), que aconteceu no Alpensia Resort em PyeongChang, na semana passada. “As pessoas aqui estão orgulhosas em sediar os Jogos Olímpicos de Inverno e queremos que nossa indústria do turismo cresça ainda mais através do evento.

A Província de Gangwon já é um ponto turístico popular para os moradores. De acordo com uma pesquisa realizada pelo Ministério da Cultura, Esportes e Turismo e pelo Instituto de Cultura Coreana e Turismo na semana passada, Gangwon foi escolhido em primeiro lugar como o destino de férias de verão para os sul-coreanos. Mas a província agora está procurando a melhor maneira de aproveitar a infraestrutura de esportes dos Jogos Olímpicos, ao mesmo tempo que obtém seu reconhecimento internacional. De acordo com o governo provincial, 2 milhões de estrangeiros visitaram a região no ano passado, mas este número tende a duplicar até 2018.

Sul-coreanos jogando mini curling para promover os Jogos de Inverno de PyeongChang de Seul, em 2018. Foto: Yonhap.
Sul-coreanos jogando mini curling para promover os Jogos de Inverno de PyeongChang de Seul, em 2018. Foto: Yonhap.

À procura de ideias sobre como impulsionar o turismo na Província de Gangwon, estudiosos, funcionários do governo e especialistas da indústria se reuniram na conferência TOSOK no Alpensia Resort em PyeongChang. TOSOK é o maior órgão acadêmico da nação sobre o turismo, com 2.000 membros. Pesquisadores locais disseram que a conferência apresentou um tema interessante para eles. A Coreia do Sul já sediou os Jogos de Verão de 1988 em Seul e a Copa do Mundo da FIFA 2002, mas esta é a primeira vez que o país, que não tem um passado com os esportes de inverno, está realizando os Jogos Olímpicos de Inverno em locais situados em áreas remotas.

Embora os Jogos de PyeongChang ainda não tenham começado, temos de elaborar o projeto de turismo de PyeongChang após os Jogos Olímpicos, a partir de agora“, comenta Byun Wu-Heui, o presidente do TOSOK. “Devemos colocar nossa sabedoria em conjunto no desenvolvimento da indústria do turismo e pensar sobre como utilizar a infra-estrutura de turismo esportivo.

Um dos assuntos que os pesquisadores discutiram primeito foi a acessibilidade de PyeongChang. Alguns dos participantes argumentaram que demorou muito tempo para que eles chegassem até Gangwon de sua casa, o que sugere que para os estrangeiros pode ser ainda pior. “Eu acho que os governos regionais devem funcionar como uma unidade“, disse Ahn Ok-Mo, chefe da Associação dos Administradores de Hotéis Coreanos. “Podemos pensar sobre a conexão da cidade com uma cidade vizinha que já tenha uma boa acessibilidade.

Mas os organizadores olímpicos disseram que isso não será um problema. “As condições de viagem, tanto a nível nacional e internacional serão melhoradas com uma segunda via da  Yeongdong Expressway, e da ferrovia de alta velocidade de Wonju para Gangneung, permitindo o trânsito do Aeroporto Internacional de Incheon para PyeongChang dentro de 90 minutos“, disse o prefeito de PyeongChang, Sim Jae-Kook.

As instalações para os Jogos de Inverno de 2018, em Gangneung, na Província de Gangwon, estão em construção. Foto: Yonhap.
As instalações para os Jogos de Inverno de 2018, em Gangneung, na Província de Gangwon, estão em construção. Foto: Yonhap.

Funcionários de PyeongChang disseram que a construção de uma nova ferrovia de alta velocidade, conectando Wonju e Gangneung, ambas na Província de Gangwon, será concluída até o primeiro semestre de 2017. Gangneung fica apenas à meia hora de distância de carro de PyeongChang. Eles acrescentaram que a conclusão da segunda via expressa Yeongdong Expressway, e outras estradas adicionais irão dispersar o tráfego e permitir viagens mais rápidas para PyeongChang. Os organizadores disseram que a nova estrada, que será aberta em Novembro, vai levar os motoristas de Seul para Wonju em cerca de 54 minutos, aproximadamente uma hora e meia mais rápido do que o tempo de viagem de costume. Wonju fica cerca de 100km a oeste de PyeongChang.

Lee Yeong-Ju, pesquisadora do Instituto de Pesquisa de Gangwon, responsável pelo planejamento de crescimento da Província, disse que realmente se preocupa que Gangwon vire alvo dos turistas depois das Olimpíadas. “A nova ferrovia de alta velocidade mudou o paradigma para o turismo de Gangwon“, disse ela. “Nossa tarefa é apresentar o conteúdo do turismo que pode ser tão atraente quanto os eventos esportivos dos Jogos de Inverno.

Para os estrangeiros desfrutarem da região além de eventos esportivos, a Província de Gangwon disse que vai estabelecer 13 centros turísticos adicionais e verificar a manutenção de 300 restaurantes e meios de hospedagem até o final de 2017. A província também tem planos para criar vários festivais culturais e cursos de turismo ligando os principais cenários da região.

É uma pena que as pessoas não prestem tanta atenção nas cidades que não são tão hospitaleiras em Gangwon, mas devemos fazer rotas de turismo que liguem outras partes da área de Gangwon“, disse Lee Yeong-Ju. “Os Jogos Olímpicos também obrigam-nos a pensar sobre se a qualidade da indústria de serviços da região atende os padrões globais. Mas eu acredito que as Olimpíadas vão ser uma grande experiência para as empresas locais.

Livros de turismo em exposição na 80ª Conferência Internacional de Turismo, da Sociedade de Ciências e Turismo da Coreia (TOSOK), em Alpensia Resort, PyeongChang, no dia 14 de Julho de 2016. Foto: Yonhap.
80ª Conferência Internacional de Turismo da Sociedade de Ciências e Turismo da Coreia (TOSOK), que aconteceu no Alpensia Resort em PyeongChang, no dia 14 de Julho de 2016. Foto: Yonhap.

Quando se trata de utilizar as instalações depois dos Jogos Olímpicos, os organizadores disseram que desenvolveram planos para oito das doze instalações. Os organizadores ainda têm de finalizar o aproveitamento pós-Olimpíadas do Jeongseon Alpine Centre para o esqui alpino, e o Gangneung Oval para eventos de patinação de velocidade, bem como as instalações principais e auxiliares do Gangneung Hockey Centre.

Funcionários de PyeongChang explicaram anteriormente que a maioria dos locais de neve serão utilizados como resorts e também para o esporte, enquanto os espaços interiores serão convertidos em ginásios, centros de convenções e lazer para o público. Especialistas disseram que a sustentabilidade desses locais depois dos Jogos Olímpicos dependerão de sua rentabilidade. Ligando estas instalações esportivas com o desenvolvimento do turismo é outra tarefa difícil, acrescentaram.

Acho que os Jogos Olímpicos de Inverno apresentam uma oportunidade e um risco para PyeongChang“, disse Park Yang-Rae, vice-presidente do Instituto de Pesquisa de Desenvolvimento da Ásia. “Se esses locais podem trazer lucro, eles serão um fardo pesado para o governo e eles terão pouco tempo para pensar sobre como conectar esses locais com o turismo. Esses governos municipais devem atrair o capital privado e o investimento estrangeiro, e aliviar os regulamentos, se necessário.” Também para o legado sustentável dos Jogos Olímpicos, a Comissão Organizadora de PyeongChang para os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos de Inverno (POCOG) de 2018 disseram anteriormente que pretendem trabalhar com Tóquio, a sede dos Jogos de Verão de 2020, e Pequim, que será palco de dos Jogos de Inverno de 2022, para criar um bem cultural fora dos Jogos Olímpicos.

Os pesquisadores disseram os organizadores devem ser pacientes com o seu plano de legado, e que precisam agendar eventos que possam pegar o impulso dos Jogos Olímpicos. “Legado leva muito tempo“, disse Nicole Shipton, professora de administração de turismo e lazer na Universidade Induk. “Precisamos ter mais eventos marcantes após os “mega eventos”. Esta é uma oportunidade incrível para promover o turismo.

Os organizadores e estudiosos acrescentam que os Jogos de Inverno também oferecem uma grande oportunidade não só para a região de Gangwon, mas também para a Coreia do Sul como um todo. Embora o país já tenha recebido anteriormente eventos esportivos de grande porte, como os Jogos Olímpicos e a Copa do Mundo FIFA, observadores disseram que a Coreia do Sul precisa de algo “único” que outros não tem.

A Olimpíada é uma grande oportunidade de promoção nacional“, disse Heo Chung-Uk, que ensina Administração do Turismo na Universidade Nacional de Kangwon. “Recebemos vários eventos grandiosos, mas será que a Coreia do Sul realmente tem estrutura cultural?

Como os Jogos de Inverno estão a 19 meses de distância, os organizadores disseram que, antes de tudo, precisam de apoio e atenção das pessoas. Eles lamentaram que, mesmo na Coreia do Sul, a atmosfera em torno do evento ainda está desanimada. “É triste que o “boom” Olímpico desta vez não é o mesmo que aconteceu antes da Copa do Mundo FIFA de 2002“, disse Nam Dong-Seon, chefe do Departamento do Turismo Cultural em PyeongChang. “Esperamos que o Ministério da Cultura e o governo central forneçam grande apoio orçamental para fazer este mega evento de sucesso.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.