Hoje termino a série de textos sobre os “80 Fatos Interessantes sobre a Coreia” que eu encontrei, como expliquei no início, enquanto fazia minhas pesquisas para encontrar um texto bacana para traduzir ou usar como inspiração para a minha coluna, num site chamado RAMDOM FACTS (ou fatos aleatórios) – cuja premissa é divulgar “fatos aleatórios e interessantes para a mente curiosa”.

SIMILAR PEOPLE

O povo da Coreia do Sul é uma das populações mais etinicamente uniformes em todo o mundo. Eles estão relacionados com os grupos raciais mongóis, que inclui os chineses e que, no total, compõem cerca de 70% da população do mundo. Eles têm muito em comum com os chineses, mongóis e japoneses, com os quais ainda tem uma richa, devido à dominação japonesa à qual sofreram durante aproximadamente 35 anos.

Os sul-coreanos são os maiores utilizadores mundiais de cartões de crédito desde 2011, quando somaram 129,7 operações por pessoa naquele ano, em comparação com 77,9 transações por Americano no mesmo período.

A Coreia do Sul aprovou uma lei em 1999 que exige que todas as compras on-line e serviços bancários sejam feitos usando o navegador Internet Explorer e esta lei ainda está em vigor.

Hallyu wave

A Onda Hallyu é o nome que se dá à cultura popular coreana que está se disseminando pelo mundo.

O boliche foi apresentado aos sul-coreanos por soldados americanos durante a Guerra da Coréia e ainda é um esporte popular na Coreia do Sul nos dias de hoje (inclusive como esporte de competição nos Asian Games).

 

GROUO Grou (conhecido no Brasil como Grou Japonês) é um pássaro símbolo de boa sorte na Coreia do Sul.

Os coreanos têm duas lendas sobre a fundação de seu país. O primeiro fala de uma figura semelhante a Deus chamado Dangun ou Tangun, que estabeleceu um estado numa ancestral Coréia do Norte em torno de 2.333 AC. A outra, apoiada por textos chineses, afirma que um chefe tribal Manchu chamado Kija levou um grupo de seus seguidores para Joseon após a queda da dinastia chinesa Shang por volta de 1.100 AC.

HWANGAP

Os sul-coreanos que chegam aos 60 anos de idade ganham muitas vezes uma grande festa chamada hwangap. Ela foi criada no passado, quando poucas pessoas viviam até essa idade. É também um aniversário significativo porque o calendário coreano tradicional baseia-se em ciclos de 60 anos.

Na Coreia do Sul, quando uma pessoa opta por ser solteira ela é chamada de “Big Baby” na gíria do país. Existem dois tipos de casamento na Coreia do Sul: yonae (casamento por amor) e chungmae (casamento arranjado).

Cerca de 2,1 milhões de sul-coreanos vivem em cidades norte-americanas, como Nova York, Chicago e Seattle. Os primeiros começaram a imigrar em 1903 e viveram nas ilhas havaianas trabalhando nas plantações de açúcar e abacaxi.

Ninguém jamais viu um Amur, ou tigre coreano, na selva, mas fala-se muito dele na mitologia coreana como o guardião do povo, afastando os maus espíritos. Os cientistas acreditam que o Amur e o tigre siberiano, que vive na Rússia, podem ser da mesma espécie.

Um funcionário coreano trabalha em média 55 horas por semana, ou 2.316 horas por ano. Normalmente nos outros países trabalham-se 40 horas semanais.

Imaginechina via AP Images
Imaginechina via AP Images

Chamada de “Rainha Yuna”, a patinadora Yuna Kim é uma das estrelas mais brilhantes no esporte coreano. Ela ganhou a medalha de ouro em 2010 nos Jogos Olímpicos de Inverno em Vancouver no Canadá, tornando-se a primeira coreana a ganhar uma medalha em uma competição olímpica de patinação artística. Sua medalha de ouro também foi a primeira medalha da Coreia do Sul nos Jogos Olímpicos de Inverno em algo diferente de patinação de velocidade ou a trilha curta. A pontuação combinada de Yuna foi a maior já registrada e foi inserida no livro dos recordes mundias (Guinness World Records).

O Natal é um feriado oficial na Coreia do Sul, uma vez que quase 1/3 dos sul-coreanos são cristãos. O Papai Noel veste azul, ao invés de vermelho, e ele também é conhecido como Vovô Noel.

Para o Festival Lunar da Colheita, mais de 20 milhões de sul-coreanos viajam para suas cidades natais para visitar os túmulos de seus antepassados e trazer presentes, tais como alimentos finos, para colocar nas lápides.

WEDDING DRESS

O vestuário tradicional de casamento da Coreia do Sul é geralmente vermelho, que é um símbolo de boa sorte.

Urso Lua
Foto: Guérin Nicolas

Na medicina tradicional coreana, acredita-se que a vesícula biliar do urso-lua (ou urso negro asiático) tem grandes poderes de cura. Embora não haja nenhuma evidência médica moderna que prove que esta cura é verdadeira, alguns sul-coreanos ainda comem o órgão do animal a fim de tratar a diabetes, doenças cardíacas e problemas hepáticos. As pessoas também fazem um guisado das garras do urso pois acreditam que isso lhes dará força extra. A Coreia do Sul é um dos dois únicos países do mundo que permite a criação do urso-lua de forma legalizada. Conforme relatado em 2009, cerca de 1.374 ursos são criados em 74 fazendas onde são mantidos para abate afim de abastecer as demandas da medicina tradicional asiática. Em contraste, menos de 20 ursos podem ser encontrados sob proteção no Jirisan Restoration Center, localizado no parque nacional de Jirisan na Coreia.

O ex-presidente Bill Clinton, uma vez chamou a Zona Desmilitarizada (DMZ), que separa as Coreias do Norte e do Sul como o “lugar mais assustador existente na Terra”.

Os coreanos, tanto do Norte quanto do Sul, falam e escrevem a língua Hangul. Ela é constituída por 14 consoantes e 10 vogais, e o alfabeto pode ser combinado em várias sílabas. É considerado um dos sistemas de escrita mais cientiíficos do mundo.

Espero que tenham gostado!!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.