Kim Min-ji, uma jovem de 28 anos residente ao Norte de Seul, disse que agora sempre está preocupada e atenta aos pedestres quando sai para passear com seu Lulu da Pomerania nos parques da cidade após o incidente com o Bulldog Francês do cantor Choi Siwon, que mordeu uma vizinha – que acabou morrendo devido a complicações em outubro.

Uma Placa Em Um Dos Parques De Seul, Alerta Os Visitantes Sobre O Uso Da Coleira E Identificação Para Seus Cães. (Yonhap)
Uma placa em um dos parques de seul, alerta os visitantes sobre o uso da coleira e identificação para seus cães. (yonhap)

Jeon Ga-yong, residente da capital, de 34 anos de idade, também é dona de um cachorro e afirma escutar as pessoas comentarem “Um cachorro matou uma pessoa esses dias” e “Eu tenho medo de cães agora” sempre que sai para passear com seu bichinho.

Não importa o quanto apertada esteja a coleira, algumas pessoas se aproximam apenas para começar uma discussão”, disse Jeon Ga-yong. “O problema é que alguns donos de animais de estimação agora tem medo de sair para passear.

Um crescente número de donos de animais de estimação na Coreia afirma ter passado por experiências semelhantes depois que a dona de um restaurante popular morreu após ser mordida pelo cachorro do cantor e ator Choi Siwon.

Deixando de lado os argumentos médicos de se a mordida foi a causa direta da morte da vítima ou não, o incidente desencadeou um debate sobre a adoção de medidas regulamentares mais fortes em relação aos animas de estimação no país.

De acordo com o Ministério da Agricultura, Alimentos e Assuntos Agrícolas, estima-se que cerca de 10 milhões de sul coreanos sejam donos de animais (dados de 2015), o que seria quase um quinto da população do país.

O grande número de donos de animais de estimação, em sua maioria cães e gatos, tornou comum o fato de ver pessoas com seus animais nas ruas, parques e outros locais públicos.

Contudo, nem todos os sul coreanos sentem-se confortáveis com o crescente número de animais.

Shin Hae-in, servidora pública de 28 anos de idade, mora em Suwon e espera ansiosa a chegada de seu bebê em dois meses. A jovem afirma ter medo de que cães sem coleira possam ser ameaças em potencial para seu bebê no futuro.

Para crianças pequenas, até mesmo cães de porte pequeno representam grande perigo,” disse Shin. “As pessoas são livres para terem cães, mas também devem ser responsáveis e evitar assustar os outros. Cães não são meros companheiros fofos para pessoas como eu”.

Foto Liberada Pela Secretária De Dobong-Gu, Mostra A Vista Do Parque Criado Especialmente Para Animais De Estimação. (Yonhap)
Foto liberada pela secretária de dobong-gu, mostra a vista do parque criado especialmente para animais de estimação. (yonhap)

Em meio à pedidos de regulamentações mais fortes, o ministério disse ter planos para adotar normas firmes para punir donos de animais de estimação caso estes causem problemas para terceiros. Além disso, o ministério adicionou que planeja aumentar a multa aos donos cujos cães estejam sem coleira, de 100.000 wons para 500.000 wons (US$ 448) e expandir gradualmente o âmbito da punição mais a frente.

O governo também planeja adotar um programa educacional obrigatório para donos de cães com traços agressivos, como Rottweilers, American Pit Bull Terriers e Staffordshire Bull Terriers. Outras opções incluem recompensas em dinheiro para pessoas que denunciarem às autoridades os donos que quebrem as regras, que está planejado para ser implantado já em março.

O ministério afirma que vai estudar as leis de outros países e refletir sobre a opinião pública, apesar da possível demora para definir os detalhes.

Até mesmo grupos de direitos animais diferem quanto ao âmbito das raças com traços agressivos. E também diferem quanto o nível das punições,” afirmou um representante do ministério.

Enquanto a maioria dos donos concordam que pessoas que infringem as regras, como cães sem coleira em locais públicos, devam ser punidos, também argumentam que o foco não deve ser implementar mais regras aos animais.

Ao invés disso, os donos alertam as autoridades quanto a necessidade de um ambiente onde todos possam coexistir, por meio de mais parques para animais e criação de programas educacionais para donos de cães. Forçar todos os cães a usarem focinheira como pedem os críticos não é a solução.

Aen20171102007200320_03_I

Forçar os cães a usarem focinheira pode deixa-los mais tensos,” disse Kim Min-ji. “Apesar de eu concordar que as leis devam ser revistas conforme existam mais animais de estimação, focinheiras não são necessárias para os menores.

Alguns ativistas dos direitos animais argumentam que focinheiras não devem ser obrigatórias nem mesmo em cães de grande porte, se considerado suas características genéticas.

Focinheiras são tortura para cães, pois eles não possuem glândulas sudoríparas e controlam a temperatura do corpo pela língua,” disse Park So-youn, líder da filial sul coreana do Coexistence of Animal Rights on Earth (CARE), em entrevista ao Yonhap News Agency, afirmando que esses equipamentos são perigosos para pugs ou bulldogs devido a seus focinhos curtos.

“Apesar dos cães serem capazes de ligações emocionais com humanos, eles possuem um mecanismo diferente para se expressar e comunicar,” disse Park, afirmando que tratar cães com falta de compreensão quanto a sua natureza é a causa da maioria dos episódios de agressividade.

Por exemplo, os donos devem evitar dizer a terceiros que é OK tocar em seus animais porque ‘eles não mordem’. Para alguns cães, ser tocado por estranhos é o mesmo que ser molestado.” Disse o líder do CARE.

“Cães bem treinados nunca mordem ou machucam pessoas ou outros animais durante suas vidas,” adicionou Park, dizendo que cães podem viver com pessoas se forem bem tratados e educados. “Podemos considerar a criação de uma licença antes de permitir a adoção de cães de raça e garantir que não sejam criados para atividades ilegais, como ringue de luta de cães”.

Park afirmou ainda que a Coreia do Sul deve considerar expandir o número de parques exclusivos para animais, onde possam correr livremente.

Dobong-gu ao Norte de Seul abriu no mês passado seu “pet playground”, se tronando o primeiro parque designado para animais operados por uma secretaria distrital dentro da capital.

Apesar do crescente número de pessoas adotando cães no distrito, alguns residentes expressaram seu desconforto ao encontrar com os animais em passeios,” disse um funcionário do distrito. “No parque, os cães correm livres, sem coleiras, e as demais pessoas podem ficam calmas porque o parque é cercado.

Construir um parque para animais, no entanto, nem sempre foi uma decisão fácil em outras áreas.

Outro distrito ao Sul de Seul foi forçado a fechar um parque similar mesmo antes da inauguração, devido às reclamações dos residentes. A secretaria do Distrito de Seocho disse que recebeu mais de 300 reclamações, em sua maioria de pessoas com crianças.

Residente Passeia Com Seu Companheiro.
Residente passeia com seu companheiro.

Considerando o número crescente de animais de estimação na Coreia do Sul, as pessoas deveriam entender que parques para animais são importantes porque permite que cães liberem suas energias, o que ajuda a mantê-los menos agressivos.” Disse um ativista.

Outros afirmam que também é importante que os donos sejam mais atenciosos quando estiverem passeando com seus cães.

Os donos devem entender que as coleiras não são apenas para prevenir que cães ataquem, mas também para proteger os animais do perigo,” disse Jeon.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

2 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.