O Koreapost lança a partir de hoje, uma série que irá fazer o nosso público conhecer mais alguns estudantes brasileiros e estrangeiros que escolheram a Coreia para estudar, na intenção de que a vida destes estudantes seja uma inspiração para todos os nossos leitores que tenham o mesmo desejo.

Este especial será capitaneado pela Duda, nossa colunista, bolsista do GKS (ex-KGSP), que todos os meses escreve sobre a sua vida de estudante na Coreia, na coluna Uma Duda na Coreia.

Para começar a série, o KP entrevistou a Bruna Meneghetti Inoue, uma brasileira que foi passar um mês na Coreia para estudar coreano por meio de uma bolsa ainda pouco explorada, dada pela Academia de Estudos Coreanos*. A Bruna cedeu um pouquinho do seu tempo para falar com a gente sobre o aprendizado do coreano, e da sua paixão, o Bullet Journaling.

Bullet Journal é um método criado pelo designer americano Ryder Carrol, que busca “rastrear o passado, organizar o presente e se preparar para o futuro”. É basicamente um caderno que você usa para fazer uma coisa chamada rapid logging, ou seja, anotar rapidamente as suas tarefas do dia. O objetivo é tornar as suas listas de afazeres em uma coisa prática e fácil.

Bruna Meneghetti Inoue. Foto: Arquivo Pessoal

KP: Como você conheceu a Coreia?

Bruna: Quando eu era mais nova eu gostava muito de mangás, animes e da cultura japonesa e foi à partir desse meio que eu comecei a ter contato com o k-pop e com os dramas coreanos por indicação das pessoas que gostavam tanto do Japão quanto da Coreia, e essa acabou sendo a minha porta de entrada para conhecer a Coreia.

KP: O que te levou a querer aprender a língua coreana?

Bruna: De início foi a curiosidade haha… Foi em meados de 2012 quando tive meu primeiro contato com a língua coreana. Naquela época eu estava estudando japonês e como fui tendo mais contato com a cultura coreana, consequentemente acabei tendo mais contato com a língua o que foi me fazendo ficar cada vez mais interessada em aprender coreano.

Naquela época comecei a aprender a língua sozinha com o blog Aprendendo Coreano e também o canal De Prosa na Coreia (que hoje em dia, estão juntos, na Plataforma Coreano Online), mas acabei tendo que parar depois de um tempo por conta de dois motivos: estava estudando pro vestibular e também porque a maioria dos outros materiais disponíveis na internet eram em inglês e naquela época eu não tinha um nível de inglês suficiente para continuar aprendendo coreano.

No entanto, em 2015 abriu uma unidade do Instituto King Sejong na universidade na qual eu estudo e desde então nunca mais parei de estudar a língua. Nessa época já tinha o sonho de um dia poder estudar na Coreia e isso foi um dos grandes motivos que me fizeram a voltar a estudar coreano novamente.

Foto: Arquivo Pessoal

KP: Como são as aulas na Academy of Korean Studies*?

Bruna: São intensas, mas ao mesmo tempo muito interessantes e divertidas. O programa de verão da AKS inclui tanto aulas de coreano como aulas de estudos coreanos como, por exemplo, tivemos aula sobre história coreana (que foi focada no desenvolvimento de Seul), uma aula mais específica sobre Seul, aula de cultura e arte, aula sobre o Hangul, além de aulas sobre cultura coreana moderna e também uma aula sobre comida coreana.

Aula sobre Hangul. Foto: Arquivo Pessoal

As aulas de coreano eram sempre na parte da manhã, das 09h às 12h sendo um total de 7 aulas durante o curso. E as aulas de estudos coreanos aconteciam na parte da tarde, cada uma de 1h30m a 2h de duração. Todas as aulas eram ministradas em coreano e geralmente nas segundas feiras tínhamos o dia inteiro de aulas: de manhã aula de língua e na parte da tarde duas aulas de estudos coreanos.

As demais aulas eram distribuídas durante os outros dias da semana sendo intercaladas com outras atividades que também podiam ser consideradas uma verdadeira aula, pois sempre aprendíamos coisas novas sobre a Coreia como, por exemplo, visitamos museus e até mesmo tivemos uma viagem de 3 dias à Gyeongju, oportunidade na qual foi possível aprender muita coisa sobre a história da cidade, que foi capital do antigo reino Silla, e dessa forma poder conhecer um outro aspecto da Coreia.

Nansam Tower. Foto: Arquivo Pessoal

Obviamente, nem tudo era só estudo haha também tinha a parte da diversão! Por exemplo, fomos um dia visitar a N Seoul Tower e foi simplesmente maravilhoso! Fomos assistir a um musical, filme em 4D, dentre outras coisas mais e quando íamos fazer alguma atividade em Seul podíamos ficar por lá para ir onde quisesse depois que as atividades acabassem, mas no caso era necessário voltar por conta própria de ônibus para a AKS, mas isso era super de boas!

A Academia de Estudos Coreanos é um instituto com foco em pesquisa, especializado nas áreas de Ciências Humanas e Sociais referentes à Coreia com o objetivo de subsidiar estudantes que queiram contribuir para o avanço e a globalização de estudos coreanos. A bolsa de pós-graduação AKS é um dos programas de não-graduação que convida e apóia estudantes internacionais, proporcionando-lhes oportunidade para serem promissores estudiosos em estudos coreanos e exercerem um papel de liderança mundial. Para maiores informações, clique aqui. Existem programas de média e curta duração.

KP: O que te inspirou a começar bullet journaling?

Bruna: Eu fui começando a ter contato aos poucos com a comunidade de bullet journal e os studygrams por meio do instagram e como desde criança eu sempre tive interesse nas diversas áreas das artes e em coisinhas de papelaria, acabei encontrando no bullet journal uma forma de unir esse meu interesse com algo que fosse funcional na minha vida.

KP: Qual a sua visão da Coreia como brasileira?

Bruna: A Coreia, pra mim, é um lugar de inúmeras nuances. Um dos meus objetivos com essa oportunidade de estudar na Coreia era conhecer os outros outros lados do país, poder ir além dos pontos turísticos e do kpop e poder me aproximar o máximo que pudesse da vida cotidiana do país, conhecer os lugares não frequentados por turistas, os lugares históricos, etc.

Durante o tempo que estive na Coreia foi possível conhecer vários desses lados da Coreia, desde andar numa rua super movimentada cheia de luzes em Myeongdong como voltar de um pequeno restaurante em Gyeongju no meio das montanhas por ruazinha estreita repleta de casas no estilo tradicional e sem iluminação pública.

Ao meu ver a Coreia também é um lugar muito agradável de se viver, que nos oferece conveniência e segurança que dificilmente podemos encontrar no Brasil. Obviamente, a Coreia não é perfeita, assim como qualquer lugar no mundo ela também tem os pontos positivos e negativos, mas baseada nas duas experiências que tive de conhecer um pouco mais do país, na minha opinião a Coreia é um lugar que te oferece diversas oportunidades e experiências que te levam a expandir seus horizontes.

Foto: Arquivo Pessoal

KP: Quais são seus planos para o futuro?

Bruna: Bom, pretendo continuar estudando coreano e quero muito também poder fazer algo durante minha graduação que possa envolver a língua coreana de maneira mais próxima, no caso estou cursando Letras e estou fazendo minha segunda habilitação em português para estrangeiros, e por conta disso quero muito poder focar no ensino de português para coreanos na pesquisa do meu TCC. Se tiver a oportunidade, quero também começar a dar aulas de coreano ou aulas de português para estrangeiros, pois um dos meus planos futuros é ou ensinar coreano no Brasil ou ensinar português na Coreia. E, como me formo no ano que vem, quero muito me aplicar para o programa do GKS pra tentar ter a oportunidade de conseguir uma bolsa do para fazer meu mestrado em uma universidade coreana.

Nós do Koreapost sinceramente esperamos que histórias como a da Bruna, possam inspirar mais e mais brasileiros a terem essa sede de conhecimento pela cultura coreana, e se quiserem estudar lá, que nunca desistam dos seus sonhos.

Um agradecimento especial a Bruna pela entrevista e pelas fotos que ela nos cedeu para a ilustração da matéria.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.