A cadeia de lojas Yuhan-Kimberly, um dos maiores pontos de venda de produtos de higiene feminina, anunciou recentemente que os preços de todos os seus produtos iriam aumentar em junho. A notícia fez com que as mulheres, com uma renda mais baixa, compartilhassem em suas redes sociais a dificuldade que estão tendo devido ao alto custo dos produtos.

“A professora da nossa escola foi visitar uma estudante que estava doente a uma semana, e a encontrou deitada em cima de uma toalha porque não tinha dinheiro para comprar absorventes”, contou uma usuária no twitter. “Ambas choraram por causa disso”. Essa história iniciou uma onda de relatos semelhantes nas redes sociais.

“Uma amiga minha, cuja família está passando por dificuldades, teve que utilizar o solado de um tênis para se proteger”, contou outra usuária no twitter.

“É mais comum do que pensam”, escreveu uma terceira pessoa. “Algum tempo atrás, minha família não podia se dar ao luxo de comprar esses produtos, então, eu ia ao centro de saúde várias vezes na semana, dizendo que tinha esquecido meu absorvente em casa, para que me dessem alguns”.

Produto Vendido Na Yuhan-Kimberly
Produto vendido na yuhan-kimberly

Kim Jin-Suk, membro do Comitê de Orientação para a Confederação Coreana de Sindicatos, twittou recentemente que os produtos de higiene feminina estão entre os mais roubados dos armários nos dormitórios. “Eu tenho pensado nessas meninas de 15 e 16 anos que não tem como comprar seus próprios produtos”, Jin-Suk escreveu.

Em 2004, os produtos de higiene feminina se tornaram isentos de impostos de valor agregado. Mas mesmo assim, ocorreram  aumentos repetitivos a cada dois ou três anos. Esses aumentos viraram um fardo silencioso para muitas jovens de baixa renda. Um pacote médio contendo 36 absorventes é vendido, em média, por 6.000 à 9.000 won (equivalente a R$ 20 à 25).

Em famílias de baixa renda, ou quando se é a única mulher da família, as meninas têm dificuldade em conversar sobre esse tópico com os outros. Grupos feministas estimam que cerca de 60,000 jovens de baixa renda, entre 15 e 19 anos, estão tendo dificuldade em ter acesso aos produtos femininos.

“Na situação atual, as meninas que foram criadas apenas por figuras paternas, estão usando papel higiênico do banheiro, ao invés dos produtos corretos”, disse a (o) parlamentar Kim Myung-Yeon na Assembleia Nacional do Comitê de Igualdade de Gêneros e Família, no ano passado.

“Precisamos determinar uma demanda anual e refletir sobre o orçamento”, Myung-Yeon disse nessa mesma época. Mas as suas observações não fizeram com que houvesse um debate público sobre o assunto.

“Tem sido feitas propostas, no campo político, que visam dar um suporte às mulheres de certos grupos sociais (baixa renda e criadas por figuras paternas), para que elas possam comprar os seus produtos de higiene, mas essas propostas ainda não foram a frente”, disse Hwang Eun-sook, presidente do instituto coreano “Single Parent”. Esse grupo tem levantado fundos através do programa social “Ease and More” e vem oferecendo suporte a 150 mulheres, durante 6 meses.

“Nos últimos 2-3 dias, mais de 500 pessoas doaram, mas não sabemos até quando as doações irão continuar, então não podemos expandir o nosso programa”, disse a presidente do Ease and More, Ahn Ji-Hye.

Caso você queira saber um pouco mais sobre o “Ease and More”, você pode acessar o Twitter, Facebook, e o Website da organização. Caso queira conhecer um pouco mais sobre o Ministério da Igualdade de Gênero e da Família, você pode acessar o site deles, onde existe a opção em inglês e em coreano.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.