Todas as noites, Kin Sung-Jiin, de 14 anos faz o pedido de Frango Frito, a um restaurante chinês para comer em um pequeno quarto na casa de sua família na Coreia do Sul. Ele se delicia com a comida enquanto conversa ao vivo pela webcam com centenas, as vezes milhares de adolescentes que o assistem.

Isto é um show e faz com que  Sung-Jiin ganhe dinheiro: 2 milhões de won (R$ 6.035) no seu episódio mais bem-sucedido. Mais conhecido por seus telespectadores como Patoo, ele é um dos mais novos praticantes de Mokbang a ter um programa na Afreeca TV, um app de transmissão ao vivo lançado em 2006.

Sung-Jiin, que tem uma aparência frágil e é bem magrinho, tem feito este tipo de transmissão quase todas as noites desde que tinha 11 anos. As vezes ele convida amigos para comer com ele. Uma vez ele colocou uma peruca loira e se vestiu de mulher para fazer um programa mais divertido.

Mesmo a internet tendo feito muitas estrelas nos últimos anos – de blogueiros à jogadores de vídeo game que jogam para milhões de espectadores no YouTube – os que não estão muito familiarizados com a prática podem achar que é intrigante, se não totalmente bizarro, jovens passarem horas observando alguém comendo do outro lado da tela. Mas, na Coreia do Sul, a Afreeca TV tornou-se uma grande jogada na subcultura da Internet e uma parte crucial da vida social para adolescentes.

Programas como o de Sung-Jiin são conhecidos como “mokbang”, uma palavra coreana criada a partir da mistura de (broadcast) transmissão e (eating) alimentação. Eles são os mais populares e muitas vezes mais rentáveis entre os cerca de 5.000 programas ao vivo que são transmitidos a qualquer momento na Afreeca TV.

Kim Sung-Jiin, 14 Anos Fazendo Uma Transmissão Ao Vivo, Enquanto Come Comida Chinesa Entregue Por Delivery Em Sua Casa Em Bucheon, Coreia Do Sul. Mais Conhecido Por Seus Telespectadores Por Seu Apelido, Patoo, Ele É Um Dos Mais Novos Apresentadores Do Afreeca Tv, Um App Para Transmissões Ao Vivo, Online Lançado Em 2006. Foto: Julie Yoon
Kim sung-jiin, 14 anos fazendo uma transmissão ao vivo, enquanto come comida chinesa entregue por delivery em sua casa em bucheon, coreia do sul. Mais conhecido por seus telespectadores por seu apelido, patoo, ele é um dos mais novos apresentadores do afreeca tv, um app para transmissões ao vivo, online lançado em 2006. Foto: julie yoon

Sung-Jiin começou o seu programa essencialmente para encontrar alguém para comer com ele. Seus pais trabalhavam em outra cidade e ele ficava com seus avós, que jantavam muito cedo o que fazia com que ele ficasse com fome durante a noite. Ele diz que o programa fez com que se alimentasse mais regularmente, embora a maioria de suas refeições no Afreeca TV comecem depois das 10 da noite. O programa também lhe trouxe alegrias inesperadas: Ele disse que mesmo que ele seja apenas um adolescente comum, “as pessoas me cumprimentam na rua“. “Eu faço o que eu quero. Essa é a vantagem de uma transmissão pessoal“.

Muitos creditam a popularidade do mokbang ao crescente número de sul-coreanos que vivem sozinhos, e os fortes aspectos sociais da comida nesta sociedade. “Mesmo que a pessoa esteja online, quando a conversa rola enquanto se come, as mesmas palavras se tornam mais íntimas“, disse Ahn Joon-Soo, um executivo da Afreeca TV. Ele observou um hábito comum dos sul-coreanos  de, ao despedir-se dos amigos, dizerem:”Vamos comer juntos na próxima vez“, mesmo quando eles não querem dizer isso literalmente.

Há uma abundância de outras ofertas peculiares na Afreeca TV. Tarde da noite há o “Sool Bang” – um programa de beber – em que melancólicos sul-coreanos bebem sozinhos discutindo suas vidas difíceis. Depois, há “Estudo Bang”, ou Programa de estudos: A tela mostra a mão de uma pessoa não identificada escrevendo notas em um livro grosso sob a luz de uma lâmpada de mesa.

Cerca de 60 por cento dos 8 milhões de visitantes mensais do Afreeca TV são adolescentes ou jovens na casa dos 20 anos. Isso significa que quase 40% dos 12,5 milhões de sul-coreanos com idades entre 10 e 30 anos assistem a um programa na Afreeca TV pelo menos uma vez por mês.

As gerações jovens acreditam que a TV é online, naturalmente, algo como Afreeca TV onde eles podem interagir com a emissora“, disse Ahn, o executivo da empresa. Ele acredita que a nossa atual TV, a longo prazo, será completamente substituída por esses aplicativos.

Cho Young-Min, de 12 anos assiste um programa de jogos on-line na Afreeca TV desde que ele era um aluno da terceira série, por isso ele sonha em ter o seu próprio programa na emissora, e não simplesmente aparecer na TV da sala de estar.

Ahn Won-jun, uma estudante de 17 anos de idade do ensino médio, disse que prefere comer o jantar em seu quarto para assistir o mokbang de Kim Sung-Jin, em vez de jantar com seus pais. Ele não é particularmente um convidado educado para um jantar virtual. Ele arrota bem alto diante de seus telespectadores e às vezes vai embora abruptamente, anunciando com alguma originalidade que ele precisa usar o banheiro. Ele geralmente deixa seus fãs com uma missão, durante sua ausência, promete um prêmio para a pessoa que por último clicar no botão “curtir” quando ele voltar.

A Youtuber De Mokbang Diva É A Mais Famosa Do Canal E Já Faturou Milhões De Wons.
A youtuber de mokbang diva é a mais famosa do canal e já faturou milhões de wons.

Os espectadores incondicionais da Afreeca TV são atraídos por anfitriões como Kim Sung-Jiin, porque eles podem interagir com eles, ao contrário de estrelas de TV que parecem mais distantes. Fãs dizem que sentem seu sangue esquentar e seu coração vibrar quando um dos apresentadores reagem a seus comentários, lembrando que o fluxo de mensagens do chat ao vivo vem às centenas.

Eu fiquei tão emocionada“, disse Lee Yeon-Joo, de 15 anos recordando o momento em que um homem de 26 anos de idade leu sua mensagem no meio de seu programa ao vivo. “É diferenteVocê realmente não pode se aproximar assim das celebridades“.

Os usuários do Afreeca de TV podem chamar a atenção dos apresentadores, dando-lhes “balões estrela”, que lhes custam cerca de 10 centavos cada. Os apresentadores mantem a maior parte desse dinheiro, embora a Afreeca TV leve uma parte de até 40%.

A maioria dos apresentadores, incluindo Sung-Jiin, relutam em revelar quanto dinheiro ganham. A Afreeca TV disse que por volta dos 300.000 apresentadores que fazem seus programas ao vivo, pelo menos uma vez por mês, os 500 melhores podem ganhar mais uma pessoa ganharia trabalhando normalmente, em tempo integral, mas a empresa se recusa a ser mais específica.

Em 2013, uma rede Sul Coreana de televisão, a TV Chosun citou o que a Afreeca TV tem um ganho de 298 milhões de won (R$ 887.500) por ano.

Os vídeos ao vivo por streaming estão virando moda, tanto na Coreia do Sul quanto no exterior. Na Ásia, serviços como YYTV na China têm sido utilizados por dezenas de milhões de usuários durante anos, e também desenvolveram maneiras de permitir que as emissoras gerem renda.

O Meerkat e Periscópio do Twitter, dois aplicativos de live-streaming dos EUA, foram lançados em março. O Facebook está lançando seu próprio serviço de live-streaming chamado Live, embora o mesmo só esteja disponível para pessoas famosas.

O site Sul-coreano de buscas Naver correu para lançar um serviço de vídeo em tempo real onde as estrelas K-pop possam fazer vídeos ao vivo de suas vidas. Um dos mais comentados programas de TV em uma rede sul-coreano este ano foi “My Little Television”, que adotou características semelhantes às da Afreeca TV, com o formato para pessoas transmitirem shows ao vivo, respondendo aos comentários dos telespectadores.

Contudo, o modelo da Afreeca TV pode não ir além das fronteiras. Os esforços da empresa para fazer o mesmo no Japão, Taiwan e EUA ainda não tiveram uma boa resposta. Provavelmente porque o Mokbang é algo culturalmente coreano.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

7 COMENTÁRIOS

  1. Top Charles. Muito boa ficou a tradução.
    Os coreanos têm umas comidas muito diferente… heuehuehe
    Mas eles devem achar o mesmo das nossas. rsrs

  2. Que show esse post. Bem que pensei que eles faziam isso para não se sentirem tão solitários enquanto comem. Ainda mais com tempo corrido e cheio de trabalho que eles enfrentam. Vou procurar assistir alguma episódio desses, fiquei curiosa. Haha
    Já tinha visto em um drama, uma menina que fazia isso, mas não sabia que era algo que fazia sucesso assim.
    Parabéns pelo post Charles! 감사합니다.

    • Obrigado Juliana Cruz! Foi muito bom aprender mais da cultura Coreana quando li este texto. Realmente quando a sociedade muda de uma forma rápida acabe se distanciando as relações. Os humanos se adaptam. kkk

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.