O aumento da inflação e do desemprego levaram o índice de miséria econômica ao seu nível mais alto em cinco anos.

Segundo estatísticas da Coreia do Sul, a taxa de desemprego no país ficou em 4,3% no primeiro trimestre, enquanto os preços para o consumidor subiram 2,1%. Isso significa que o índice de miséria econômica, que acrescenta inflação à taxa de desemprego, ficou em 6,4% – o maior nível desde o primeiro trimestre de 2012, quando marcou 6,8%. O índice de miséria econômica é utilizado para estimar a dificuldade econômica das famílias.

O índice uma vez subiu para 8,6% no terceiro trimestre de 2008, quando a crise financeira global atingiu o país. A cifra, no entanto, estava caindo graças a níveis de preços estáveis. Como a inflação se move entre 1% e 2%, o índice de miséria econômica caiu para 4,6% no terceiro trimestre de 2012 e para 3,9% no quarto trimestre de 2013.

Como a inflação e o desemprego começaram a aumentar recentemente, no entanto, o índice de miséria começou a subir. Os preços para o consumidor subiram 2,1% no primeiro trimestre, um aumento de 1,2% ponto percentual em relação ao ano anterior. Como os preços globais do petróleo começaram a se recuperar, os preços dos produtos de petróleo subiram 12%. Os preços dos produtos avícolas também subiram 8,6% após o surto de gripe aviária, enquanto os produtos agrícolas viram um aumento de 4,7%.

A taxa de desemprego situou-se em 4,3% no primeiro trimestre deste ano, que é o nível mais alto desde 2010. A taxa de desemprego dos jovens entre as idades de 15 e 29 registou 10,8%. Espera-se que o índice de miséria econômica aumente ainda mais este ano, uma vez que tanto a inflação quanto as condições do mercado de trabalho devem piorar.

A economia provavelmente mudará de uma era de baixo crescimento e alta inflação para baixo crescimento e baixa inflação“, disse Kim Cheon-ku, pesquisador do Hyundai Research Institute. Embora a pressão inflacionária do lado da demanda ainda seja baixa, ele espera que as pressões cresçam em fatores externos, como o aumento da taxa de won/dólar e a inflação em outros grandes países.

Ele acrescentou que não se pode excluir a estagflação nesse caso. “Haverá uma desaceleração no consumo e no investimento, afetando negativamente o sentimento do consumidor“, disse ele. “Haverá também limitações na política monetária, uma vez que tanto a alta como a redução das tarifas serão difíceis.”

O Korea Development Institute (KDI) também estima que os preços ao consumidor subam para 1,8% este ano, o que compara com um aumento de 1% no ano passado.

Ele espera que a taxa de desemprego registre 3,8%, 0,1 ponto percentual superior ao ano passado. O número de desempregados com diplomas universitários ultrapassou 500 mil pela primeira vez no primeiro trimestre, e o número de pessoas economicamente inativas com diplomas universitários também ultrapassou os 3,5 milhões.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.