São Paulo, a maior cidade do Brasil e da América Latina com 10 milhões de habitantes, é considerada uma das cidades mais multiculturais do mundo. Além de portugueses, italianos, judeus, árabes, alemães e tantos outros povos, temos a comunidade coreana com mais de 50.000 pessoas. Como mostra desta fervilhante mistura, os paulistanos puderam prestigiar no fim de semana passado o palco “Virada Oriental” (Rua 24 de Maio) dentro das dezenas de atrações da Virada Cultural 2018, tradicional evento anual promovido pela Prefeitura de São Paulo onde há 24 horas ininterruptas de eventos culturais nas ruas da cidade. Nela, representantes das comunidades chinesa, japonesa e coreana mostraram as mais diversas apresentações culturais tradicionais e contemporâneas.

A Coreia foi representada pelos membros da Associação Cultural dos Coreanos do Brasil, entidade representativa das diversas instituições ligadas às artes coreanas e que em 2018 é presidida pelo Sr. Eun Young Bang. “Eu acho que esse evento foi importante para divulgar a cultura da Coréia e espero que este evento traga a comunidade coreana para mais perto da sociedade brasileira e que mais grupos participem no futuro“, disse com grande entusiasmo. Assim, foram apresentados ao público a dança tradicional coreana, o gayagum (instrumento tradicional de cordas), o taekwondo, o canto de coral e contemporâneo, o violino, o samulnori (quarteto de percussão tradicional), entre outros.

A equipe Brazil Taekwondo Demonstration Team (B-TKD) impressionou o público!
A equipe Brazil Taekwondo Demonstration Team (B-TKD) impressionou o público!
A Hanullim Samulnori mostrou a potente combinação dos quatro instrumentos tradicionais coreanos.
A Hanullim Samulnori mostrou o som dos quatro instrumentos tradicionais.
O Instituto de Dança Tradicional Coreana junto com a Profa So Eui Yang (gayagum)
O Instituto de Dança Tradicional Coreana junto com a Profa So Eui Yang (gayagum)

Dentre as atrações, o grupo Hanullim Samulnori mostrou a potente combinação de quatro instrumentos tradicionais de percussão: “kkwaenggwari” (gongo), “jing” (gongo maior), “janggu” (tambor grande com formato de ampulheta) e “buk” (tambor). O Brazil Taekwondo Demonstration Team fez uma demonstração desta que é a arte marcial mais famosa da Coreia e esporte olímpico. Já o Instituto de Dança Tradicional Coreana apresentou quatro belas coreografias enquanto que a Profa So Eui Yang, única pessoa formada em música e profissional de gayagum na América do Sul, fez um lindo e supreendente pot-pourri de música tradicional coreana com MPB!

O Coral Senore apresentou belíssimas canções coreanas.
O Coral Senore apresentou belíssimas canções coreanas.
O grupo Aclimação Line Dance dançou animadas coreografias!
O grupo Aclimação Line Dance dançou animadas coreografias!
O Grupo de Violino também apresentou-se na Virada Oriental.
O Grupo de Violino também apresentou-se na Virada Oriental.

A Virada Oriental também teve a participação do Coral Senore, do Grupo Aclimação Line Dance e do Grupo de Violino, três grupos formados por senhoras da comunidade coreana que atuam respectivamente com canto, dança e violinos e que fizeram apresentações que emocionaram o público! Além delas, houve a apresentação da Banda 7PM, formada por descendentes de coreanos. E um dos pontos altos foi a apresentação de Taekgyeon (uma das mais antigas artes marciais coreanas) juntamente com um grupo de Capoeira, mostrando a beleza da integração entre dois patrimônios culturais imateriais da humanidade. Foi lindo e acolhedor ver um pouco da cultura coreana em um evento aberto a todos os cidadãos paulistanos, exatamente no ano que comunidade coreana comemora o 55° ano da chegada dos primeiros imigrantes coreanos no Brasil.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.