O Banco da Coreia anunciou um projeto para permitir que os clientes de lojas de conveniência, recebam o troco de suas compras na forma de recarga à seus cartões pré-pagos de transporte público (ou T-Money Card), o primeiro passo para uma “sociedade sem moedas”.

De acordo com representantes, o BOK vai iniciar um processo de seleção de franquias das lojas de conveniência que participarão do projeto, que será lançado em algum momento no primeiro semestre de 2017. O custo do projeto deverá ser mínimo, disseram as autoridades, considerando que as lojas já estão equipadas com dispositivos para o carregamento de cartões pré-pagos.

T-Money Card

Ao fazê-lo, os clientes estarão livres do aborrecimento de ter que carregar as moedas por ai, enquanto o BOK será capaz de economizar bilhões em moedas a cada ano.

Em 2015, o BOK gastou 144 bilhões de wons (R$ 426.89 milhões) para imprimir notas e moedas, um aumento de 18,5% em relação a 121,5 bilhões de won (R$ 359.64 bilhões) em 2014. Especificamente, 90 bilhões de won (R$ 26.64 bilhões) foram gastos em notas, um salto de 11,5% , e 54
bilhões de won (R$ 159.840 bilhões) em moedas, um aumento de 32,4%.

Atualmente, existem moedas disponíveis de 500 won, 100 won, 50 won, and 10 won. A emissão de moedas de 5 e 1 won foi interrompida em 2006.

Independentemente da sua abundância, uma recente pesquisa do BOK com 2.500 adultos coreanos revelou que 46,9% não estava disposto a usar suas moedas, apesar de 62,2% terem dito que tinham moedas. Os dados da pesquisa também mostraram que 50,8% aprovaram uma sociedade sem moedas, que era mais do que o dobro daqueles contra. (23,7%).

O BOK disse também que sua próxima iniciativa incluirá um serviço que oferece transferências de conta direta de moedas em um número maior de pontos de atendimento, incluindo supermercados e farmácias. Os bancos planejam continuar expandindo este tipo de programa para conseguir, finalmente, uma sociedade sem moedas até o ano de 2020.

Não estamos tentando nos livrar das moedas por completo“, disse um funcionário. “Estamos tentando usar nossa infra-estrutura de finanças eletrônicas para diminuir a distribuição de moedas, a fim de reduzir o inconveniente público e economizar custos sociais“.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.