Para Kim Tae-jin, um empresário do conglomerado de Seul, o líder de sua divisão não é diferente de um comandante de uma companhia militar. Tae-jin sempre cumpre as ordens sem objetar, sabendo que seu chefe não escutará a pessoas de um posto inferior. “Eu sempre escuto a qualquer coisa que ele diz, optando por evitar fazer qualquer sugestão ou expressar minhas opiniões” disse ele. “Além disso, mesmo quando tenho planos pessoais de passar tempo com os amigos ou família, não me atrevo a rejeitar um pedido do meu chefe se repente ele me ligar me chamando para jantar, pois isso parece ser a coisa certa a se fazer

Como no caso de Tae-jin, os costumes militares de hierarquia infiltraram-se em varias partes da sociedade coreana, que vão do setor corporativo até a academia, os campos de atletismo, até os pequenos negócios. E para os homens, quem completou o serviço militar obrigatório, sobe no conceito da escala social.

Como o país agora promove a individualidade e a criatividade, essa cultura rígida está começando a se enfraquecer. Mas em setores dominados por homens, uma liderança de estilo militar ainda sobrevive. “Bem, não temos emblemas em nossas roupas, mas é praticamente um ambiente militar aqui no nosso centro de investigação técnica” disse Ahn Ho-young, um estudante de engenharia em um curso de doutorado de uma universidade em Seul. “Meu professor dá as cartas no que diz respeito à minha tese e outros assuntos acadêmicos e nós apenas fazemos o que é dito nesta estrutura hierárquica. Penso que a cultura militar fez, naturalmente, raízes firmes aqui.

Nos anos 70 e 80 quando o nível de educação dos cidadãos era baixo, o exército foi uma das raras organizações que se desenvolveu bem, sendo sistematicamente treinado. Assim, empresas, escolas e vários outros setores buscaram recrutar soldados aposentados para equiparar suas instituições ao que era considerado como uma cultura “avançada”.

Algumas empresas davam pontos extras à candidatos à emprego que fossem ex-oficiais militares. Estes oficiais foram úteis para o início do processo, forjando uma estrutura de gestão estável e empurrando grandes projetos corporativos de forma mais eficiente, ainda que de forma antidemocrática e autoritária.

No entanto, na sociedade atual, os esforços tem sido para mudar essa cultura militar, com muitas empresas encorajando seu pessoal à oferecer ideias criativas que as ajudem a se sair melhor que a concorrência nos mercados local e global.

Aquela cultura militar agora é uma relíquia do passado, ao menos na nossa empresa” disse um funcionário de outro grande conglomerado, não querendo ser identificado. “Nós procuramos recrutar outras pessoas na nossa organização com base em nossa convicção de que suas perspectivas e insights nos ajudarão a responder de forma mais pró ativa às tendências do mercado de rápida mudança e descorbir o que a equipe sênior deixou passar


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.