Oi gente linda tudo bem com vocês? Comigo está tudo ótimo, ainda mais esse mês que vim para o Brasil para passar um tempo com a minha família e amigos, to matando a saudade de todo mundo.

Esse voi meu visual de viagem – trancinhas para o cabelo não encebar no caminho!

Mas vou falar que a viagem até aqui deu um trabalhão. Deu muito problema, mas o importante é que eu cheguei, mas vamos lá que a odisseia é grande. Tudo começou comigo fazendo as malas,  e percebendo que por causa das coisas que eu estava levando pra família e amigos, o peso da mala estava indo acima do limite permitido no aeroporto, então tirei um monte de coisas minhas para poder levar os presentinhos para família, acabei basicamente vindo com a roupa do corpo só, mas tudo bem, porque eu sabia que ia comprar roupa aqui.

Eu nos primeiros dias, usando basicamente as roupas da minha mãe!

Pegando o táxi para o aeroporto, conheci um Ajussi muito fofo. Ele era o taxista, batemos papo até chegar na estação de trem, descobrimos que tínhamos o mesmo sobrenome coreano – Kang – e que ambos somos escritores. Ele até me deu um cartão dele, dizendo que se eu precisasse de alguma coisa, qualquer coisa, que eu poderia ligar para ele. Realmente um amorzinho de pessoa.

Chegando na estação de trem, eu comprei minha passagem para pregar o AREX, o KTX para o aeroporto. A viagem foi tranquila e bem rápida. Chegando no aeroporto, despachei as malas e fiquei esperando para pegar meu avião.

A caminho, no AREX.

O caminho original era Seul -> São Francisco -> Washinton DC -> Brasil. Mas ocorreram alguns probleminhas…. Quando eu cheguei no aeroporto de São Francisco, o avião demorou 40 minutos para “estacionar”, por que eu tinha que passar na imigração, pegar as malas e refazer o check-in, eu não consegui tempo suficiente para pegar o voo de conexão. Resultado, tive que esperar das 11 da manhã até às 10:30 da noite para pegar outro voo – para Miami em vez de Washinton, e de lá para o Brasil. Como foi incompetência da companhia aérea (ou do Aeroporto de São Francisco, vai saber) eu não tive que pagar a passagem hehe (pelo menos isso).

Carrinho do Baby Shark no aeroporto de Inchon. Tirei a foto para o meu priminho Pedro, de 2 anos, que adora o Baby Shark.

Deu pra notar que eu gosto de foto de avião, né? Principalmente com nascer e por de sol!

O voo de São Francisco para Miami parecia um busão voador, não tinha nem tvezinha, passei 6 horas olhando pro teto e ouvindo música. Chegando em Miami eu não tive nem tempo de descansar já saí correndo para pegar o outro voo, que foi na verdade, uma troca de companhia pois vim para o Brasil de Latam (quando o percurso todo seria com a United). Gostei demais! Os comissários de bordo eram super fofos e a comida estava deliciosa. Mas acho que a melhor parte com certeza foi o fato de eu ter ficado na janelinha mas ninguém ter sentado do meu lado, então eu pude usar as cadeiras ao lado de cama. Dormi praticamente a viagem toda.

Chegando no Brasil, passei pela imigração que agora é automática, fiquei impressionada, e finalmente depois de pegar as malas, pude encontrar com a minha família e pular nos braços dos meus pais. Fomos tomar um lanche no aeroroporto mesmo e eu tomei meu primeiro copo de guaraná em muito tempo. Chegamos em casa por volta das 11 da noite, desfizemos as malas e eu morri na minha cama.

Desde que eu cheguei no Brasil, já fiz muitas coisas. Consertei meu cabelo, mais ou menos, porque continuou verde, mas fazer o que, quem mandou eu estragar o meu cabelo sozinha, né? A sorte é que o Alemão (o meu cabelereiro aqui no Brasil) é um expert em tintura e conseguiu transformar o meu estrago numa mecha menta que ficou até bonita. Também fiz uma tatuagem e fui em todos os médicos possíveis e imagináveis, para fazer aquele check up maroto.

No salão com a mãe.
Depois

Claro que também estou passando bastante tempo com a minha família, matando a saudade toda. Saí também com meus amigos e as minhas férias nem acabaram ainda. Ainda tem muita gente apara ver é muita comida boa para matar a saudade.

Programinha em familia e com as besties Gigi e Lule (eu ainda não tinha arrumado meu cabelo!!).

Gigi, Joyce e eu.
Eu e minha prima Júlia, que também é kpopper.

Mas acho que por hoje é só!

Beijos purpurinados e até a próxima!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.