Para comemorar este dia tão especial na comunidade coreana, o Koreapost traz uma proposta diferente. Vários colaboradores do site vão contar, com exclusividade para os leitores, qual era o presente dos sonhos deles quando criança ou qual presente lhes marcou mais nessa época.

Mas antes, para que todos entendam, vamos falar um pouco sobre a história deste “Dia das Crianças”.

História

Na Coreia do Sul, o Dia das Crianças é comeomorado no dia 05 de maio. Este é um dia em que as crianças de todas as idades são valorizadas, entretidas e ensinadas e são consideradas um orgulho nacional. Como as crianças são o futuro da nação, os coreanos separam este tempo para focar nas crianças e ensiná-las a serem bons cidadãos. O lema do Dia das Crianças é “sejam crianças valentes e genuínas e amem e ajudem uns aos outros“.

O Dia das Crianças começou como uma invenção dos estudantes coreanos que tentavam a independência da Coreia da dominação japonesa em 1923. A idéia era incutir mais da cultura coreana na cabeça das crianças que estavam crescendo sob o jugo e sendo obrigadas a se adaptarem à cultura japonesa. Contudo, o Dia das Crianças só foi declarado feriado, na Coreia do Sul, em 1975.

Existem muitos eventos especiais e atividades familiares que os coreanos realizam juntamente com os seus filhos neste dia – programas infantis, festas, piqueniques, desfiles, representações históricas, peças de teatro, performances atléticas, competições de escrita e desenho e muito mais. Muitos pais vestem seus filhos em roupas tradicionais coreanas para levá-los aos passeios. Os cinemas frequentemente deixam as crianças entrarem gratuitamente neste dia e os lojistas, por vezes, dão presentes às crianças que visitam sua loja. Os pais também dão presentes aos seus filhos.

O Presente Especial

Quando penso na minha infância lembro do meu maior sonho de presente, que provavelmente foi o sonho de muitos: ganhar a primeira bicicleta. Chorei “anos” por uma, mas como meus pais não tinham dinheiro para comprar, só ganhei o tão desejado presente lá pelos 9 ou 10 anos. E como toda mãe coreana gosta de fazer com as roupas (sempre comprando um número maior para que dure mais), ganhei uma bicicleta maior do que o meu tamanho! Era uma Caloi Dobrável verde, com quem ganhei também meu primeiro tombo ao virar o guidão com tudo! Lembro de ter me divertido muito com ela, até que de tanto tomar chuva e sol, enferrujou e tive que jogar fora. Mas ela ficou na minha memória e foi a primeira de muitas que vieram depois. Adoro bicicletas e a sensação de liberdade que elas nos dão, Mas... quem não gosta? BRUNO KIM - COLUNISTA
Quando penso na minha infância lembro do meu maior sonho de presente, que provavelmente foi o sonho de muitos: ganhar a primeira bicicleta. Chorei “anos” por uma, mas como meus pais não tinham dinheiro para comprar, só ganhei o tão desejado presente lá pelos 9 ou 10 anos. E como toda mãe coreana gosta de fazer com as roupas (sempre comprando um número maior para que dure mais), ganhei uma bicicleta maior do que o meu tamanho! Era uma Caloi Dobrável verde, com quem ganhei também meu primeiro tombo ao virar o guidão com tudo! Lembro de ter me divertido muito com ela, até que de tanto tomar chuva e sol, enferrujou e tive que jogar fora. Mas ela ficou na minha memória e foi a primeira de muitas que vieram depois. Adoro bicicletas e a sensação de liberdade que elas nos dão, Mas… quem não gosta? Bruno Kim, Colunista.
O dia das crianças para mim sempre foi bem prazeroso, como sou filha única sempre ganhei tudo sozinha, até mesmo presentes e mimos fora de datas festivas. Mas lembro de dois presentes que amei. O primeiro foi quando eu devia ter uns 2 anos e meu pai apareceu com um pônei em casa para passear com ele. Já o segundo foi um daqueles carinhos que tem os pedais para fazer o carrinho se movimentar, o melhor de tudo, o carrinho era da Barbie!!!. Fora que passávamos o dia na casa da vó com o resto da família, com direito a bolos e cachorros quentes. Sinceramente, não tenho do que reclamar e sim, só a agradecer! Amanda Seidel Bittencourt, Tradutora
O dia das crianças para mim sempre foi bem prazeroso, como sou filha única sempre ganhei tudo sozinha, até mesmo presentes e mimos fora de datas festivas. Mas lembro de dois presentes que amei. O primeiro foi quando eu devia ter uns 2 anos e meu pai apareceu com um pônei em casa para passear com ele. Já o segundo foi um daqueles carinhos que tem os pedais para fazer o carrinho se movimentar, o melhor de tudo, o carrinho era da Barbie!!!. Fora que passávamos o dia na casa da vó com o resto da família, com direito a bolos e cachorros quentes. Sinceramente, não tenho do que reclamar e sim, só a agradecer! Amanda Seidel Bittencourt, Tradutora
Quando eu era mais nova, o dia das crianças representava muito pra mim. Claro que a parte dos presentes me deixava louca de ansiedade, mas os melhores momentos dessa data eram os almoços em que minha família se reunia e passávamos a tarde conversando e brincando. Naquela época, meu pai ainda morava em minha casa e meu querido avô ainda era vivo, então minha família era perfeita e completa. Naqueles dias eu não prestava muita atenção nesses momentos especiais, afinal, quando somos crianças costumamos pensar que tudo é para sempre. Hoje em dia considero esse o melhor presente que uma criança poderia ter: uma família unida e feliz. Andreza Pereira, Tradutora
Quando eu era mais nova, o dia das crianças representava muito pra mim. Claro que a parte dos presentes me deixava louca de ansiedade, mas os melhores momentos dessa data eram os almoços em que minha família se reunia e passávamos a tarde conversando e brincando. Naquela época, meu pai ainda morava em minha casa e meu querido avô ainda era vivo, então minha família era perfeita e completa. Naqueles dias eu não prestava muita atenção nesses momentos especiais, afinal, quando somos crianças costumamos pensar que tudo é para sempre. Hoje em dia considero esse o melhor presente que uma criança poderia ter: uma família unida e feliz. Andreza Pereira, Tradutora
Quando somos crianças, apenas a menção da palavra "presente" já é suficiente para trazer um sorriso sincero em nossos rostos. Para mim, o dia das crianças sempre foi uma extensão do meu aniversário (por ter nascido apenas dois dias antes da data), quer presente mais especial do que três dias comemorando um aniversário? Por isso, cada dia da criança passado, para mim, foi memorável à sua maneira, seja pelo presente recebido ou apenas seu valor simbólico (porque quem não gosta de ter um dia a mais pra chamar de seu?). Mas mais do que qualquer presente, aquele sentimento gostoso de ser especial, importante, é o que sempre me marcou. Ane Caroline Medeiros, Tradutora
Quando somos crianças, apenas a menção da palavra “presente” já é suficiente para trazer um sorriso sincero em nossos rostos. Para mim, o dia das crianças sempre foi uma extensão do meu aniversário (por ter nascido apenas dois dias antes da data), quer presente mais especial do que três dias comemorando um aniversário? Por isso, cada dia da criança passado, para mim, foi memorável à sua maneira, seja pelo presente recebido ou apenas seu valor simbólico (porque quem não gosta de ter um dia a mais pra chamar de seu?). Mas mais do que qualquer presente, aquele sentimento gostoso de ser especial, importante, é o que sempre me marcou. Ane Caroline Medeiros, Tradutora
Eu tinha 6 anos, queria um Autorama. Um pista de corrida com dois carrinhos, sempre via nos filmes e queria muito. No Natal nem esperava que ganharia um desses. Para minha surpresa na manhã de Natal lá estava. No dia das crianças uma lembrança que tenho foi ir na bases aérea e conhecer os aviões e ver a esquadrilha da fumaça fazendo suas manobras. Charles Antonio Martins, Tradutor
Eu tinha 6 anos, queria um Autorama. Uma pista de corrida com dois carrinhos, sempre via nos filmes e queria muito. No Natal nem esperava que ganharia um desses. Para minha surpresa na manhã de Natal lá estava. No dia das crianças uma lembrança que tenho foi ir na base aérea e conhecer os aviões e ver a esquadrilha da fumaça fazendo suas manobras. Charles Antonio Martins, Tradutor
O melhor presente que ganhei foi da minha tia. Ela me deu um livro de Contos de Hans Christian Andersen porque eu estava saindo da Coreia. Eu tinha 6 anos... Usando o pouco de hangul que aprendi na escola (estudei só 3 meses), li esse livro pelo menos 300 vezes, já que não tinha mais nada para ler. Isso fez com que eu não esquecesse o hangul. Juliana Oh, Colunista
O melhor presente que ganhei foi da minha tia. Ela me deu um livro de Contos de Hans Christian Andersen porque eu estava saindo da Coreia. Eu tinha 6 anos… Usando o pouco de hangul que aprendi na escola (estudei só 3 meses), li esse livro pelo menos 300 vezes, já que não tinha mais nada para ler. Isso fez com que eu não esquecesse o hangul. Juliana Oh, Colunista
Dias das crianças, sempre achei essa data especial. Lembro que meus pais mesmo não tendo condições de comprar presentes caros não deixavam passar em branco. Amava ganhar bonecas, ursinhos bonitinhos ou brinquedos criativos feito por eles. O meu sonho era ganhar um ursão de pelúcia, mas ficava super feliz com o ursinho, meu pai dizia que eles iam crescer então não ficava desapontada. Haha Ah ! O melhor presente que ganhei foi um kit com 1 caderno cheio de folhas, livrinhos e canetinhas coloridas, acho que foi daí que eu peguei gosto pela escrita e gostar de desenhar. Juliana Cruz, Colunista
Dias das crianças, sempre achei essa data especial. Lembro que meus pais mesmo não tendo condições de comprar presentes caros não deixavam passar em branco. Amava ganhar bonecas, ursinhos bonitinhos ou brinquedos criativos feito por eles. O meu sonho era ganhar um ursão de pelúcia, mas ficava super feliz com o ursinho, meu pai dizia que eles iam crescer então não ficava desapontada. Haha Ah ! O melhor presente que ganhei foi um kit com 1 caderno cheio de folhas, livrinhos e canetinhas coloridas, acho que foi daí que eu peguei gosto pela escrita e gostar de desenhar. Juliana Cruz, Colunista
Não sei se sou apenas eu, mas quando criança, qualquer coisinha que eu recebia se tornava alegria e me deixava muito feliz! Com o passar do tempo, passei a gostar de receber materiais escolares coreanos, porque eu gostava de coisas que pudessem fazer meu dia na escola mais interessante! Ainda gosto de receber tudo e qualquer coisa hahaha... (material escolar, utensilios para cozinha, coisinhas de KPOP, tudo! Hehe...). Mayara Mun, Tradutora
Não sei se sou apenas eu, mas quando criança, qualquer coisinha que eu recebia se tornava alegria e me deixava muito feliz! Com o passar do tempo, passei a gostar de receber materiais escolares coreanos, porque eu gostava de coisas que pudessem fazer meu dia na escola mais interessante! Ainda gosto de receber tudo e qualquer coisa hahaha… (material escolar, utensilios para cozinha, coisinhas de KPOP, tudo! Hehe…). Mayara Mun, Tradutora
Quando era criança o meu dia das crianças sempre foi sempre caloroso e na companhia de meus pais e parentes. Quase sempre quando era essa data, eu era levado para lanchar no MC'Donalds em uma cidade próxima da qual eu e minha família moravamos. Algumas vezes, passeavamos em parques como o antigo Parque da Mônica, que ficava em Pinheiros, e sempre compartilhei o dia das crianças não apenas com minha família mas com primos e primas também. No final do dia era difícil definir quem de nós estava mais cansado. Jonathan Silva, Tradutor
Quando era criança o meu dia das crianças sempre foi sempre caloroso e na companhia de meus pais e parentes. Quase sempre quando era essa data, eu era levado para lanchar no MC’Donalds em uma cidade próxima da qual eu e minha família moravamos. Algumas vezes, passeavamos em parques como o antigo Parque da Mônica, que ficava em Pinheiros, e sempre compartilhei o dia das crianças não apenas com minha família mas com primos e primas também. No final do dia era difícil definir quem de nós estava mais cansado. Jonathan Silva, Tradutor
Como faço aniversário no dia 11 de Outubro, vocês podem imaginar que as festinhas eram sempre juntas né? Eu nunca quis muito um presente específico, sempre ganhei as minhas festinhas e sempre ganhava muita coisa. Mas o que mais me deixou feliz foi uma festinha surpresa que eu tive, em que não só eu, mas meus amiguinhos de escola foram presenteados pelo dia das crianças, além do aniversário. Foi a coisa mais legal e fantástica, consigo lembrar da decoração, da minha roupa, tudo!! Jessica Bett, Tradutora.
Como faço aniversário no dia 11 de Outubro, vocês podem imaginar que as festinhas eram sempre juntas né? Eu nunca quis muito um presente específico, sempre ganhei as minhas festinhas e sempre ganhava muita coisa. Mas o que mais me deixou feliz foi uma festinha surpresa que eu tive, em que não só eu, mas meus amiguinhos de escola foram presenteados pelo dia das crianças, além do aniversário. Foi a coisa mais legal e fantástica, consigo lembrar da decoração, da minha roupa, tudo!! Jessica Bett, Tradutora.
O melhor presente que eu ganhei de dia das crianças foi a minha primeira bicicleta! Eu tinha entre 9 e 10 anos... Era uma BMX Vermelha... E não, não tinha rodinhas. Aprendi com meu primo e minha irmã na raça, ralando muito joelho, atropelando coisas e pessoas na rua(ops), mas também depois que eu aprendi, ninguém mais me segurou! Continuei ralando muito joelho, quebrando dedo e furando pneu. Eu morava do lado de um parque famoso de Guarulhos que tinha justamente uma pista de BMX, aquelas com curvas, montanhas de terra e meu sonho era minha mãe deixar eu entrar nela. Como boa criança que vocês devem imaginar que eu fui, sim, fui escondida, adivinhem? Quebrei o pé! Hahahaha... Boas lembranças dessa bike, que um belo dia eu acabei ficando pequena pra ela, mas na verdade não me lembro qual fim tomou! Desi Nunes, Eventos
O melhor presente que eu ganhei de dia das crianças foi a minha primeira bicicleta! Eu tinha entre 9 e 10 anos… Era uma BMX Vermelha… E não, não tinha rodinhas. Aprendi com meu primo e minha irmã na raça, ralando muito joelho, atropelando coisas e pessoas na rua(ops), mas também depois que eu aprendi, ninguém mais me segurou! Continuei ralando muito joelho, quebrando dedo e furando pneu. Eu morava do lado de um parque famoso de Guarulhos que tinha justamente uma pista de BMX, aquelas com curvas, montanhas de terra e meu sonho era minha mãe deixar eu entrar nela. Como boa criança que vocês devem imaginar que eu fui, sim, fui escondida, adivinhem? Quebrei o pé! Hahahaha… Boas lembranças dessa bike, que um belo dia eu acabei ficando pequena pra ela, mas na verdade não me lembro qual fim tomou! Desi Nunes, Eventos
Eu nunca fui de presentes na verdade, mas lembro de dois momentos marcantes. O primeiro quando recebi meu primeiro tênis de futsal da minha vó, e de ir toda orgulhosa pro treino com ele. E o segundo foi quando meu pai me levou para dois shows de grupos que eu gostava muito. Meus presentes mais marcantes não foram objetos, mas sim momentos. Carol Monteiro, Tradutora
Eu nunca fui de presentes na verdade, mas lembro de dois momentos marcantes. O primeiro quando recebi meu primeiro tênis de futsal da minha vó, e de ir toda orgulhosa pro treino com ele. E o segundo foi quando meu pai me levou para dois shows de grupos que eu gostava muito. Meus presentes mais marcantes não foram objetos, mas sim momentos. Carol Monteiro, Tradutora

 

O dia das crianças é algo especial para qualquer criança. Todo ano com a minha família, eu esperava algo novo e brilhante dos meus pais. Um boneca ou bichinho de pelúcia junto com uma ida ao zoológico. Mais o evento mais esperado sempre era o almoço de dia das crianças na casa da minha avó. Ela sempre foi aquele tipo de avó que lembrava a data de aniversário de todo neto e filho. Sempre a matriarca da casa. Um coração grande que sempre cabia mais um. A melhor memória que tenho dessa data é a felicidade dela em ter a família inteira reunida ao seu redor. Nesse momento até brinquedo novo ficava em segundo plano. Camila Reis, Tradutora.
O dia das crianças é algo especial para qualquer criança. Todo ano com a minha família, eu esperava algo novo e brilhante dos meus pais. Um boneca ou bichinho de pelúcia junto com uma ida ao zoológico. Mais o evento mais esperado sempre era o almoço de dia das crianças na casa da minha avó. Ela sempre foi aquele tipo de avó que lembrava a data de aniversário de todo neto e filho. Sempre a matriarca da casa. Um coração grande que sempre cabia mais um. A melhor memória que tenho dessa data é a felicidade dela em ter a família inteira reunida ao seu redor. Nesse momento até brinquedo novo ficava em segundo plano. Camila Reis, Tradutora.

 

Durante todo o ano, eu e minha irmã costumávamos planejar detalhadamente o que iríamos ganhar no dia das crianças. Uma casa de bonecas, uma Barbie, um jogo de tabuleiro... Mas, quando chegada a data, era como se todas as ideias tivessem escapulido pelos meus ouvidos. Nunca ganhava as coisas pelas quais almejava durante o ano, mas algum desejo repentino, um brinquedo que vira recentemente nas vitrines do shopping. Com o aumento dos deveres escolares e o amadurecimento, não sei dizer exatamente quando, minhas vontades passaram a se direcionar a revistas e jogos eletrônicos. Não sei se ainda tenho idade para receber um presente no dia das crianças, mas não há um em específico que tenha me marcado... Era mais divertido imaginar todas as coisas que poderia receber, que ganhá-las de fato. Carol Chaves, Tradutora
Durante todo o ano, eu e minha irmã costumávamos planejar detalhadamente o que iríamos ganhar no dia das crianças. Uma casa de bonecas, uma Barbie, um jogo de tabuleiro… Mas, quando chegada a data, era como se todas as ideias tivessem escapulido pelos meus ouvidos. Nunca ganhava as coisas pelas quais almejava durante o ano, mas algum desejo repentino, um brinquedo que vira recentemente nas vitrines do shopping. Com o aumento dos deveres escolares e o amadurecimento, não sei dizer exatamente quando, minhas vontades passaram a se direcionar a revistas e jogos eletrônicos. Não sei se ainda tenho idade para receber um presente no dia das crianças, mas não há um em específico que tenha me marcado… Era mais divertido imaginar todas as coisas que poderia receber, que ganhá-las de fato. Carol Chaves, Tradutora
O presente que mais me marcou, por vários motivos, foi um livro que ganhei dos meus pais. Mas não era um livro comum, era um livro de fadas, que quando você abria virava um castelo lindo, colorido, todo fofo, cheio de passagens secretas. Eu brinquei tanto com esse livro... Ele era um dos meus brinquedos favoritos. E uma coisa é certa, tenho certeza que nunca vou me esquecer dele pois até hoje, ele está guardado no que minha mãe chama de “a caixa da infância”. Esse livro foi, sem duvida nenhuma, o meu portal de imaginação pra varias estórias fantásticas e malucas. Duda Sparsbrod, Colunista.
O presente que mais me marcou, por vários motivos, foi um livro que ganhei dos meus pais. Mas não era um livro comum, era um livro de fadas, que quando você abria virava um castelo lindo, colorido, todo fofo, cheio de passagens secretas. Eu brinquei tanto com esse livro… Ele era um dos meus brinquedos favoritos. E uma coisa é certa, tenho certeza que nunca vou me esquecer dele pois até hoje, ele está guardado no que minha mãe chama de “a caixa da infância”. Esse livro foi, sem duvida nenhuma, o meu portal de imaginação pra varias estórias fantásticas e malucas. Duda Sparsbrod, Colunista.

E você, fã do Koreapost, qual o seu presente especial?? Conte para nós aí nos comentários e Feliz Dia da Criança!!

 


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



2 COMENTÁRIOS

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.