Scream

Nos último anos a cultura coreana tem atraído a atenção de muitos brasileiros não descendentes de coreanos. Seja por causa dos dramas, da música ou dos esportes, acredito que “nunca antes na história deste país” estivemos tão em evidência e isso pode ser comprovado através dos programas coreanos em TV aberta, dos festivais de k-pop que atraem milhares de fãs, pelos inúmeros cursos de coreano e assim por diante.

Naturalmente, a curiosidade leva essas pessoas a ir um passo adiante. Vejo com alegria que muitos brasileiros estão estudando hangul (língua coreana), experimentando comida coreana ou frequentando norebang (quarto de karaokê). E assim, inevitavelmente ocorre a interação entre um brasileiro não descendente de coreanos e um coreano legítimo, provavelmente nascido na Coreia e que vive no Brasil. E é exatamente sobre isso que vou falar na minha coluna de hoje.

Norebang
Gabi silva, vencedora do iv concurso do kdt

Cena 1: três amigos vão a um restaurante coreano em São Paulo e pedem dois pratos para dividir; com a cara fechada, a dona do local diz que não podem fazer isso e que cada um tem que pedir um prato separado. Cena 2: professora brasileira que leciona para alunos descendentes de coreanos quer comprar um produto e vai a uma mercearia coreana, mas é tratada rispidamente por um atendente que nem português fala corretamente. Cena 3: não descendentes de coreanos e amantes de k-pop resolvem ir soltar a voz num norebang em São Paulo e logo na entrada são recebidos por um atendente cujo rosto questiona “vocês tem certeza que vocês estão no lugar certo?”.

Muitos devem ter ficado horrorizados imaginando as cenas acima e sinceramente, eu também ficaria. Primeiro porque não se trata um consumidor dessa maneira e um empresário deveria zelar pela sua clientela. E segundo, invariavelmente esses clientes mal atendidos irão pensar que todos os coreanos são assim. Eu mesmo fui maltratado em restaurantes coreanos e tenho amigos coreanos que passaram pela mesma situação, mas isso não justifica nada. A atração de clientes não coreanos causa estranheza a esses empresários? Tudo bem, mas mais uma vez, não pode ser assim.

Vamos colocar os pingos nos devidos lugares: assim como em qualquer lugar do mundo, existem coreanos idiotas. Pronto, falei. Esses nunca irão mudar, porque são assim mesmo. Não sabem atender clientes, não tem gentileza e nem tato seja o cliente coreano, brasileiro, americano ou russo. Claro que muitos entendem a situação, mas o problema é que isso acaba gerando uma indignação do tipo “caramba, o que cara está aqui na minha terra e me trata mal?”, que pode se transformar em um pré conceito contra todos os coreanos. E isso prejudica a todos.

Quanto a não falar português corretamente, isso é uma realidade. Meus pais por exemplo estão no Brasil há praticamente 40 anos e ainda falam um português macarrônico. Sim, o português é uma língua complicada para ser aprendida por estrangeiros e especialmente por asiáticos. Mas mais uma vez, isso não justifica um atendimento ruim.

New Shin La Kwan
New shin la kwan

O melhor a fazer? A resposta é a mesma tanto para os locais cujos donos são coreanos ou não: prestigiar lugares onde o atendimento é bom! Entrou num estabelecimento e sentiu que o atendimento é ruim, levante e simplesmente vá embora. Outra ação é prestigiar os lugares onde o atendimento é sabidamente bom. Não quero ser injusto mas já faço algumas recomendações aqui. Se estiver em São Paulo e quiser comprar algum produto coreano, vá nas mercearias “UOK – Uri Omma Kimchi”, que aliás tem o melhor kimchi do Brasil ou o recém inaugurado “Korea Mart”. Se quiser provar comida coreana, experimente ir no “Mishirion”, “Portal da Coreia” ou no “New Shinla Kwan”.

E você, já passou por alguma situação parecida? Aproveite o espaço dos comentários para dividir a sua experiência conosco e com os demais leitores. Reclame ou (importante) elogie algum estabelecimento coreano que você tenha conhecido!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

18 COMENTÁRIOS

  1. Nossa, ótima matéria. Se eu te falar que estava com medo de visitar a Coréia do Sul e sofrer descaso por parte dos comerciantes ou qualquer outro civil, você acreditaria? Essa semana assisti um vídeo que um descedente de Coreano disse que não curtia os Coreanos, pois eram mal educados… E isso havia me incomodado, fazendo com que eu, uma ótima sonhadora, imaginasse varias situações péssimas! Haha, pior que vamos tanto pela opinião dos outros e nunca ter oportunidade de ir a algum estabelecimento coreano ou conhecer algum pessoalmente, que é o meu caso. Aquilo, pessoas idiotas tem em todo lugar, quem sabe da próxima eu realmente possa afirmar algum caso, espero que bom, de atendimento por parte deles. Até lá, vou conhecendo um pouco por terceiros e filtrando um pouco as informações. Abraço

  2. Olá, Bruno. Sempre muito interessante os temas escolhidos por você. Já esta fama que os Coreanos são muito fechados, não quer dizer falta de educação. Não tenho experiência nenhuma para contar mas fiquei tocada, quando entendi que eles também devem ficar assustados com clientes não asiáticos aos montes figurando curiosos. Um meio termo de informação seria bom em ambos os lados da questão. Parabéns pelo texto e recomendações.

    • Ana Braga, isso realmente acontece. Tem coreano que não fala português tão bem ou que está cansado da violência urbana e assaltos que simplesmente prefere abrir somente para conhecidos, no caso, coreanos.

  3. A gente tá tão acostumado com essas histórias de que “coreano é grosso”, “coreano é mal-educado” etc que até se surpreende quando não são.
    Por me interessar pela cultura, fui fazer tudo isso que você citou. Faço curso da língua, frequento restaurantes e etc. Acredita que eu nunca fui tratada mal? Muito pelo contrário, a maioria dos coreanos que conheço fazem uma cara de choque quando digo que gosto da cultura coreana, mas em geral parecem gostar.
    Eu acho que coreanos como qualquer povo, parecem gostar muito da ideia de pessoas de outros países apreciarem sua cultura e principalmente sua culinária. Claro que não conheci pessoas muito mais velhas, mas as que eu conheci me trataram bem.
    Eu tenho um macete que sempre da certo (nossa, que coisa horrível) que é ler algo em coreano assim como não quer nada.. O pessoal sempre acha super legal HAHAHAHAHAH
    Enfim, no geral eu acho que isso é mais um mito que foi criado pq:
    1: O pessoal que começou a frequentar lugares que antes só iam coreanos deve ter deixado o povo meio surpreso/sem saber como agir.
    2: Também já ouvi várias histórias de brasileiros (principalmente adolescentes) causando em estabelecimentos coreanos, coisa que não duvido nadinha.
    As nossas diferenças culturais sempre vão criar alguns “choques” mas no final, a gente consegue se dar bem sim! xD

    • Bruna, você fez um comentário perfeito, eu não tiraria nem acrescentaria uma palavra sequer. Que bom que sua experiência tem sido boa com os coreanos, espero que continue assim. Acredite em mim, tem mais coreanos legais do que coreanos não legais! 🙂

  4. É, realmente. As vezes as pessoas não sabem (ou não querem) se comportar de acordo com a situação. Já vi muitos estrangeiros acharem que aqui mandam por ter um pequeno comercio, e muitos brasileiros agirem de má fé para com famílias estrangeiras sem muitas condições, basicamente farinha de mesmo saco.

  5. Já passei por isso também.
    O que eu faço? Levanto e vou embora.
    E nunca mais volto.
    Vira Restaurante Never, Mercearia Never, Loja Never…
    Tenho uma pequena lista de lugares que não volto mais.

  6. Bom, só fui em um restaurante coreano com minhas manas, e foi super show, o dono super atencioso, pedi pratos pra repartir com elas e ele não reclamou. E porque era dia do meu niver ainda ganhei a sipa de algas, e ela nem estava no cardápio. Mas a grande realidade é que sempre existem pessoas arrogantes e sem educação de toda nacionalidade. E caso aconteça essas cenas, seguirei a dica de nunca mais ir a tal local, conversar com tal pessoa e sobre cantar, aqui nem tem ainda. Kk
    Ótimo tema, parabéns pelo post Bruno Kim.

  7. Parabéns pelo post Bruno, muito interessante a matéria. Simplesmente isso: “prestigiar lugares onde o atendimento é bom! Entrou num estabelecimento e sentiu que o atendimento é ruim, levante e simplesmente vá embora.” sou novata nesse mundo e sou totalmente apaixonada pela cultura coreana,comecei a frequentar esses lugares e o que mais me agrada até hoje é o portal da Coreia, nunca me trataram de forma rude até hoje,mas tive amigos que reclamaram muito, algumas vezes sem notarmos pode ter sido até algo que fazemos e sem perceber faz com que a situação fique estranha,assim como o atendimento pode realmente não ser agradável, mesmo em relação as diferenças culturais manter o respeito entre essas situações e crucial, simplesmente como você disse prestigiar os lugares de atendimento bom e deixar aqueles que não nos agradam! até ^^

    • Exatamente, vamos deixar os carrancudos olharem feio para o espelho! É o famoso “ignorar é a melhor solução”. Porque caráter de uma pessoa é algo que a gente não vai conseguir mudar. E sim, gente chata existe em qualquer nacionalidade! 🙂

    • Denise, desculpe a demora na resposta, estou aproveitando agora (um mês depois) para responder todas de baciada! E por grande coincidência, estava falando de você hoje com o Henrique Teixeira! Fiquei curioso para ouvir a sua história de 7 anos na Coreia, praticamente uma vida!!! 🙂

  8. Bruno, mais uma vez suas palavras foram muito bem colocadas e nos trouxe à reflexão. O importante de compartilhar essas situações, entre outras coisas, é mostrar que elas não acontecem apenas com a gente. Felizmente (assim como pudemos perceber nos comentários acima) nem todos passaram por essas situações de constrangimento e distrato, mas que elas existem, existem! Sua dica é mais do que válida: vamos prestigiar aqueles que independente da nacionalidade nos tratam como devemos ser tratados! E um viva à educação e ao respeito!!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.