Hoje o Koreapost apresenta uma nova colunista, Camilla Rackel, que irá trazer a sua visão de vida na Coreia. Curtam e acompanhem as aventuras da Kel, mensalmente, aqui no KP!!

Olá povo lindo, meu nome é Camila Rackel (ou apenas Kel) e nesse cantinho quero compartilhar com vocês um pouco das minhas experiências pessoais estudando coreano na Coreia do Sul… eu espero que todos curtam conhecer um pouco da Coreia através dos meus olhos.

Alguns anos atrás (2016) comecei a pesquisar sobre destinos para intercâmbio na Ásia e encontrei a Coreia do Sul, um destino consideravelmente mais barato do que todos os outros e digamos que muito interessante. Depois disso levei uma enxurrada cultural, o kpop, o kdrama, as comidas, os eventos e então bati o martelo, iria para a Coreia do Sul de qualquer maneira.

Depois de quase 30 anos de vida eu me vi juntando coragem, dinheiro e mais coragem para abandonar minha pequena Maceió para ir tão longe atrás de um sonho, aprender uma língua asiática.

Desde que eu peguei aquele avião, três meses atrás, muita coisa aconteceu e eu vou fazer um breve resuminho porque não dá para contar tudo de uma vez só…

Eu fui muito bem recepcionada pela Universidade (Sahmyook University). Eles me buscaram no aeroporto de Incheon e me instalaram no dormitório em Seul. Como eu já cheguei muito tarde da noite eles deixaram que eu dormisse e resolvesse as coisas apenas no outro dia… Nesse contato inicial eu tinha duas roommates do Vietnã, que não falavam inglês ou coreano, mas eram dois amores que usavam o google tradutor. Depois eles mudaram todos os quartos e eu passei a viver com mais três brasileiras e hoje, divido um loft com uma delas.

A faixa etária das pessoas que vem no intercâmbio normalmente fica torno dos 20 ~ 23 anos então, eu com meus quase 30 anos tento o máximo acompanhar o pique das minhas amigas brasileiras aqui.

Roomates tirando foto no espelho, bem clichê, antes do showcase do ATEEZ

No meu primeiro mês eu entrei de cabeça e alma no mundo Kpop! Uma das minhas roommates era muito viciada em tudo relacionado ao assunto e eu acabei arrastada.

Fomos em gravações de programas, como o ISAC (Idol Star Athletics Championships), fomos em premiações de música como o Seoul Music Awards e conhecemos diversos grupos pequenos, flopadinhos, recém debutados, ou seja, não podíamos ouvir uma batida kpop que lá estávamos junto.

Eu sou uma ELF – eu amo o Super Junior – e até chegar aqui eles eram praticamente o único grupo que eu conhecia, mas na minha primeira visita a SMTOWN eu já consegui encontrar o grupo NCT indo fazer um evento no prédio e fui forçada a aprender sobre todos os grupos.

Em frente ao Gocheok Sky Dome onde ocorreu o Seuol Music Awards 2019.

Como nem só de kpop se vive na Coreia, eu sempre que posso, gosto muito de visitar também os famosos cafés com tema que existem por aqui. Na minha lista de favoritos está o café de capinhas de celular, onde você paga um valor não muito alto e você mesmo faz a sua capinha de celular customizada (se melecando toda de cola mesmo)! Outro café que também amo visitar é o do Harry Potter, lá é tudo muito lindo e muito bem pensado para tirar muitas fotos bacanas e deixar tudo guardadinho de lembrança.

Minhas amigas e eu no café do Harry Potter, não houve briga porque nenhuma queria entrar para a Grifinória.

Eu acho que já escrevi demais por hoje e não consegui contar nem 1% de tudo que já vivi aqui, espero que vocês tenham gostado desse primeiro contato, eu sei que vou amar contar tudinho para vocês!

Atenciosamente, a garota nordestina que está morrendo de saudades do cuscuz da maínha e da coxinha brasileira!


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.