Fonte: Koreaboo.com

A discussão sobre coletores menstruais de silicone, uma alternativa higiênica para absorventes femininos, cresceu na Coreia do Sul. Apesar de serem banidos no mercado nacional, esses produtos ainda ganham popularidade.


Eu queria tentar usar o coletor para ver se era conveniente.” disse Kim Ji-won, 28 anos, ao The Korea Times. Ela comprou um em um site de vendas internacional. “Mas comprar um tem sido complicado porque tenho que fazer o pedido em lojas online do exterior.

Kim Ji-Won está entre o número crescente de mulheres que fazem uso do coletor menstrual.

Apesar de muitas sul coreanas ainda não terem conhecimento desse produto, aquelas que conhecem são atraídas pelas conveniências do produto. Eles custam entre U$20 e U$30 em média. O custo-benefício é uma das grandes vantagens e também duram por muitos anos. Esses coletores têm sido amplamente utilizados nos Estados Unidos e Europa há décadas.

Coletor Menstrual da Uni. Via: The Korea Times
Coletor Menstrual da Uni. Via: The Korea Times

Mas o governo coreano não aprovou a venda no país. A restrição da Coreia se deve ao fato de serem produtos ainda muito novos no mercado. Enquanto a categorização dos coletores continua incerta, o governo proibiu a produção e vendas em território nacional.

Algumas pessoas optam por comprar fora do país, mas em certos casos o governo confisca os coletores na alfândega.

Existem alguns produtores nacionais e estes tem lutado contra o governo para se manterem ativos. Uni, um fabricante de coletores menstruais na Coreia, que vende seus produtos no exterior, recebeu sanções do governo recentemente.

Em um blog, o presidente da companhia reclamou sobre as sanções injustas e que a Coreia precisa legalizar os coletores. Muitas usuárias compartilharam o post em redes sociais, ajudando a atrair mais atenção ao tema.

O governo se pronunciou que, apesar da forma lenta, planeja legalizar os coletores.

Estamos trabalhando para criar parâmetros de segurança com diversas empresas para aprovar os produtos” informou uma fonte anônima do Ministério para a Segurança de Alimentos e Medicamentos ao The Korea Times. A primeira reunião foi feita na quinta-feira.

Alguns questionam a segurança do produto, mas apoiadores negam, afirmando que o fato de serem vendidos nos Estados Unidos e Europa demonstra ao quanto são seguros.

A popularidade dos coletores menstruais reflete a crescente conscientização de diretos da mulher na Coreia, uma sociedade tradicionalmente patriarcal. Muitas mulheres veem o bloqueio aos coletores como um desrespeito às mulheres e reagiram de modo forte ao que ocorreu com a Uni.

Algumas argumentam que os coletores são uma solução alternativa para aquelas que não possuem renda suficiente para comprar absorventes.

No ano passado, o país inteiro ficou chocado com relatórios e notícias que mostravam que estudantes preferiam faltar aulas durante o período menstrual porque não tinham condições de comprar absorventes. Uma jovem disse que teve que usar uma palmilha de sapato como alternativa. Isso desencadeou muitos governos locais a distribuírem absorventes para famílias de baixa renda.

“Oferecer várias opções de produtos de higiene feminina é diretamente ligado ao direito de ser saudável” disse a ativistas Hong Yeon-ji da Womenlink, um grupo de direitos das mulheres, durante uma entrevista por telefone ao The Korea Times. “O governo deve abordar os direitos das mulheres como parte da política de bem-estar social, ao invés de focar em aumentar a taxa de fertilidade. É importante discutir essas questões abertamente e por gerações.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



1 COMENTÁRIO

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.