Com o calor do Kpop esquentando no mundo inteiro, o interesse pela Coreia está se expandindo. Não somente o conhecimento de cantores, mas também pela culinária, cultura e educação. Enquanto isso, desde 2009, o mágico, dançarino, ator, Young-Lae Cho, mais conhecido como “Pyong Lee”, está ativo nas mídias de todo o Brasil.

A editora chefe do Koreapost, Carol Lee traduziu a entrevista publicada no jornal da comunidade coreana “Mundo Feliz”, que colabora com colunas quinzenais.

PERGUNTA: Olá Pyong Lee, você pode se apresentar para os nossos leitores?
PYONG LEE: Eu nasci no Brasil no ano de 1992. Eu não sei muito bem quando meus pais vieram, mas parece fazer mais de 30 anos. Moro com meus tios e avós. Formei-me em direito. Sou corretor de imóveis. Atualmente sou youtuber, mágico, apresentador e hipnólogo. Meu nome artístico é Pyong Lee.

pyong lee 2

PERGUNTA: Sabemos que está atuando em mágicas. Conte-nos como tudo começou.
PYONG LEE: Eu gostava de chamar atenção na escola. Antes eu dançava hip hop (break). Depois eu vi que a mágica chamava mais atenção e que era uma arte incrível. Comecei a aprender sozinho 7 anos atrás e me profissionalizei. Conheci mágicos profissionais, estudei livros, dvds, assisti conferências de mágicos internacionais e fui me desenvolvendo. Fiz diversos shows e fui em vários programas de televisão como Silvio Santos, Hebe, Ratinho, Faustão, CQC, Pânico na Band entre outros.

PERGUNTA: Acredito que não deve ter sido fácil aprender mágica. Conte-nos de alguma situação.
PYONG LEE: Eu sempre tive facilidade com a mágica, por envolver fala com o público. Sempre fui extrovertido e falava bem com o público. E na questão técnica e habilidade com as mãos eu sempre tive facilidade também.

PERGUNTA: Fale sobre alguns episódios interessantes, atuando como mágico.
PYONG LEE: Eu fiz vários shows para empresas grandes, eventos particulares, feiras, festas. Os eventos mais interessantes foram quando eu fui à televisão fazer mágica. Fui ao SBT, GLOBO, REDETV, BAND, GAZETA. Todas as experiências foram ótimas. O primeiro programa que eu fui na vida foi logo o do Silvio Santos. Fiquei bastante nervoso, porque havia aprendido mágica há 1 ano. Fui ao programa em 2009 em um concurso de mágica. Além de tudo isso, a mágica sempre atrai pessoas, desperta o interesse delas. A mágica sempre foi um grande talento, artifício, motivo para aproximar e maravilhar as pessoas.

PERGUNTA: Fale sobre o Mercado de magia no Brasil e sobre seu status nessa área.
PYONG LEE: A mágica no Brasil já existe há muitas e muitas décadas. Ela não é tão reconhecida quanto nos Estados Unidos ou na Coreia do Sul, mas existem muitos mágicos profissionais e até campeões do mundo aqui. Atualmente eu sou conhecido pelo Brasil inteiro, tanto pelos mágicos como pelos espectadores, porque além de ter participado de diversos programas de televisão, eu tenho atualmente um canal no youtube com 1.200.000 (um milhão e duzentos mil) inscritos. Meu trabalho, empresa e hobbie hoje é o YouTube, ou seja, produções audiovisuais.

PERGUNTA: Para a comunidade coreana a magia é uma área diferente. Pensa em treinar um aprendiz? Ou é necessário algum requisito para ser mágico?
PYONG LEE: Penso em talvez dar cursos, mas não especificamente para coreanos. Eu já ensinei um mágico que já participou de diversas competições. Eu pretendo ensinar mais pessoas no futuro, porque eu acho que os coreanos precisam se diferenciar. Não dá mais pra ficar vendendo roupa, assumindo negócios do pai. Precisamos inovar e tentar coisas novas. Quem na comunidade coreana imagina que ter um canal no YouTube é um emprego sério que envolve muita audiência e dinheiro? Os coreanos da nova geração deveriam ser bem guiados e ensinados a empreender, inovar e principalmente seguir algum sonho ou fazer o que gosta. Hoje eu posso dizer que Deus me abençoou muito com um emprego dos sonhos. Não tenho chefe, não tenho horários, faço o que eu gosto, faço o que eu quiser no meu canal, junto meus talentos como dança e mágica para agregar no conteúdo do canal. O Youtube me leva pra televisão o tempo todo como um influenciador da internet. Então por causa do meu canal, que é uma diversão, eu tenho audiência, muitos seguidores, o que faz com que eu tenha mais audiência que a televisão. As grandes empresas como Coca-Cola, Lojas Americanas, Paris Filmes, Paramount Filmes, Gameloft, Banco Santander, entre outros pagam para fazer publicidade no meu canal. Além disso, quando você tem muita audiência, eles contratam para palestras e eventos.

pyong lee 3

PERGUNTA: Como acontecem suas apresentações? Possui quantos eventos anuais?
PYONG LEE: Eu só faço apresentações particulares quando sou contratado. A única vez que fiz para os coreanos foi em uma comemoração da associação de tênis que acontece a cada dois anos no Clube Esperia. Ou seja, os coreanos mal sabem que eu existo. Eu faço eventos para grandes empresas ou às vezes particulares. Eu pretendo fazer um tour pelo Brasil lançando produtos e fazendo palestras e shows de mágica, stand up e hipnose. Mas é um plano ainda para 2016.

PERGUNTA: Atuando como mágico, teria algo para falar para os jovens coreanos?
PYONG LEE: Primeiramente, eu gostaria de dizer para a nova geração buscar firmemente a Deus. Para que Ele possa mostrar qual a vontade dEle em nossas vidas. Parece que os coreanos estão se perdendo cada vez mais.
Gostaria de dizer também para eles se inovarem, ousarem. Procurar algo que traz prazer e não somente fazer algo que os pais acham que eles devam fazer. Existem tantas opções que os coreanos ainda não exploraram. Eu gostaria de ver os coreanos na mídia, seja como celebridades ou como grandes nomes em outras áreas.
E espero que quando os coreanos da nova geração tentarem coisas novas, que nossos pais e avós apoiem de verdade, em vez de reprimir como aconteceu comigo. Só depois de anos que minha família começou a apoiar, ou seja, desde o ano passado, em 2015.
Isso é muito triste porque não existe incentivo e inspiração para a nova geração. Além de que pouquíssimos na comunidade coreana me conhecem, sendo o único coreano que aparece na mídia e internet brasileira, como um dos grandes influenciadores da nova geração (não só coreana, mas brasileira).

PERGUNTA: Qual é a sua missão ou filosofia de vida?
PYONG LEE: Minha missão é glorificar a Deus com tudo que eu fizer na minha vida, buscando Ele diariamente, seguindo a vontade dEle.
Quero que através da minha vida, do meu trabalho e dos meus talentos, as pessoas possam ser abençoadas e inspiradas.

PERGUNTA: Quais são os seus planos futuros?
PYONG LEE: Agora meu foco é totalmente o canal do YouTube. Além de crescer com o canal, estudar mais mágica e hipnose para me aperfeiçoar. Pretendo ainda lançar um livro e produtos referentes ao canal. Fazer um tour pelo Brasil visitando todos os Estados, fazendo palestras, shows de stand up, mágica, hipnose e outras coisas legais.
Quando a gente lê essa entrevista de como eu cheguei até aqui, parece que foi simples e fácil. Por isso gostaria de compartilhar alguns acontecimentos da minha vida para que ninguém leia tudo e fique pensando “falar é fácil” ou “devia ter uma vida ótima para ter essa chance”.
Meus pais se divorciaram muito cedo e desde criança eu e meus dois irmãos ficávamos um tempo com minha mãe e um tempo com meu pai. Eles tentaram voltar uma vez aos 9 anos, mas não deu certo e minha mãe simplesmente sumiu, nos abandonou. Nunca mais soubemos nada dela. Meu pai foi roubado ao mesmo tempo em que minha mãe foi embora e entrou em depressão. Não cuidava mais de mim e dos meus irmãos.
Depois disso meus avós começaram a cuidar de nós, tendo eles mais de 60 anos. Trabalharam dia e noite, às vezes mais de 15 horas por dia para cuidar de nós e pagar colégio particular. Meu tio, irmão mais novo do meu pai resolveu cuidar de nós vendo a dificuldade dos meus avós. Na época meu tio também era divorciado e os filhos ficaram com a esposa dele. Ele levou eu e meus irmãos para criar e criou ânimo para lutar pela guarda dos filhos. De repente, estava criando sozinho 5 filhos. Morava sozinho, tinha estabilidade, e de repente tinha 5 filhos para cuidar.
Logo depois disso, aos 35 anos meu pai faleceu, esperando algum doador de órgãos, porque o fígado parou de funcionar bem. Meu tio fez de tudo para nos sustentar, fazendo dívidas e mais dívidas, economizando ao máximo, ensinando e educando. Depois disso foi ficando cada vez mais difícil.
Surgiu minha mãe atual, que seria minha tia madrasta. Ela já está há mais de 10 anos com a gente. Uma estranha que entrou na família e assumiu 5 filhos junto com meu tio. Uma heroína. Todos trabalhamos juntos na loja de roupa que não deu certo. Tentamos uma mercearia, onde trabalhei com eles mais de 12 horas por dia, que também não deu certo. Não bastava a dificuldade, veio uma coreana com dois gordos e um velho ameaçar de morte por causa de dívida.

pyong lee 4Meus avós, mesmo doentes, velhos, com mais de 70 anos, trabalharam dia e noite para que pudéssemos estudar. Ter onde morar e o que comer. Graças aos meus tios e meus avós eu me formei na faculdade, e meus irmãos entraram na Poli – USP, Fatec e Unesp em medicina. E em 2014 comecei a trabalhar com o youtube e as coisas começaram a dar certo. Nesse curto texto que contei um pouco sobre a vida que passamos não tem nem 10% de toda a dificuldade que vivemos.
Só estou compartilhando para que saibam que não tive uma situação favorável para estar onde estou hoje. Não tive tudo do bom e do melhor. Então não existem desculpas para que alguém não consiga fazer o mesmo. Mesmo com todas as dificuldades, Deus abençoou minha família e hoje posso dizer que eu sou feliz. Graças aos meus pais atuais, que nos criaram com muito amor e perseverança.

Ser feliz é uma escolha. Enxergar o lado bom em todas as situações. Perseverar e buscar a Deus. Tenho tanta coisa pra compartilhar que não vai caber aqui. Então é isso. Deus ama vocês.

Onde encontrar o Pyong nas redes sociais:
YOUTUBE: PYONG LEE
INSTAGRAM: @PYONGLEE
TWITTER: @PYONGLEETV
SNAPCHAT: PYONGLEE

*Todas as imagens foram fornecidas pelo Pyong Lee

*Fonte: 핸복한 세상 (Jornal da comunidade coreana “Mundo Feliz”)


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



3 COMENTÁRIOS

  1. Entrevista muito interessante, legal ver o ponto de vista que ele tem sobre os coreanos, ele bem que poderia estar “puxando o saco” mas reconheceu o que pode mudar. Admito que me emocionei com a história, Pyong é um ótimo exemplo de que com força de vontade, garra e Deus em primeiro lugar podemos mudar a nossa história.

  2. Vi uma reportagem com Pyong Lee e a Eliana no SBT dia 11/12/2016 e fiquei impressionado, principalmente pela seriedade da Eliana. Ou ela e uma excelente atriz, ou e verdade mesmo. Mas se assim for, ele conseguiria curar muita gente somente por sugestão. Isso seria incrível. Mas ainda estou um pouco cético.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.