Vida de imigrante não é fácil. Além das dificuldades inerentes ao fato de você estar num país onde não se domina a língua ou se conhece os costumes, há a questão do comportamento que se é exigido dentro da comunidade de imigrantes, que muitas vezes pode ser bem diferente do que se exige fora dela.

Aprendi muitas coisas dos meus pais quando era bem pequeno, já quando estávamos fora da Coreia. Uma delas era “quando você encontrar alguém adulto que seja coreano, cumprimente-o curvando a cabeça e diga 안녕하세요 (annyeonghaseyo). Ou seja, tenha respeito por todos os que são mais velhos que você, independente de conhecê-lo ou não. E foi o que eu fiz até hoje e é algo que me trouxe muitas histórias engraçadas, como no dia que fui para a Coreia pela primeira vez e comecei a cumprimentar TODAS as pessoas que encontrava no caminho. Quem já foi para a Coreia sabe que lá não é bem assim que funciona… rsrsrs… contarei isso numa próxima oportunidade.

Pois bem. Esses são os ossos do ofício de se viver numa comunidade de imigrantes. Existe um código de comportamento onde você é uma pessoa dentro dela e ao mesmo tempo um outro código fora dela perante a sociedade onde você vive, ainda mais num país como o Brasil que tem tantas diferenças culturais comparado à Coreia. E realmente isso às vezes acaba fazendo você pirar no começo. Claro, depois você acaba acostumando-se com isso e tudo se torna bem natural. E no fim das contas, é um grande privilégio poder ter acesso a duas culturas diferentes, ainda mais num mundo que hoje valoriza tanto a globalização.

Ontem, os coreanos comemoraram o 삼일절 (Dia do Movimento de Libertação), muito bem explicado pelo post que minha amiga e colega de Koreapost Simone Ribas Sparsbrod escreveu na coluna “Conheça a Coreia”. No Brasil, os membros da comunidade coreana em São Paulo também comemoraram a data e eu fui participar e cobrir o evento pelo nosso site. A gente gente ia fazer uma matéria sobre o evento, mas no fim das contas acabamos não o fazendo por motivos editoriais e então pensei em aproveitar alguns vídeos que fiz para mostrar a vocês um gostinho do que foi a comemoração.

Essa aí foi a apresentação do Coral das Mães Coreanas durante o evento. Basicamente, a participação maior foi de pessoas de mais idade. Diria que 70% do evento era de imigrantes de primeira geração com mais de 65 anos. Na minha faixa etária (41 anos, fazendo 42 anos daqui a duas semanas, #ficaadica) ou abaixo, provavelmente menos de 5%. Ou seja, estes eventos que no passado reuniam muitos membros da comunidades, hoje se restringem apenas aos “saudosos”. Notem que não estou fazendo nenhum julgamento, apenas mostrando dados frios.

No vídeo acima, os participantes entoam juntos canção para comemorar a data. Para muitos deles, a questão da libertação da Coreia foi algo vivido na pele. No caso, eventos como segunda guerra mundial, a libertação da Coreia, a Guerra da Coreia, a Guerra do Vietnã são eventos históricos vividos in loco.

Os participantes do evento fazem um “grito de guerra” para saudar a Coreia, mostrando seu amor e respeito. A pessoa na frente diz “대한민국 만세! 만세! 만세!” (Viva a Coreia! Viva! Viva!). Este tipo de saudação é feita em praticamente todos os eventos onde é necessário mostrar patriotismo. Mais uma vez, alerto que isso não significa que estas pessoas não sejam brasileiras, apenas estão mostrando respeito à sua terra natal. Fora do eventos, são todos brasileiros que mostram o mesmo nível de respeito ao Brasil.

E depois, tivemos comes e bebes e uma confraternização onde passei praticamente o tempo todo fazendo o que minha mãe me ensinou a fazer com os mais velhos: cumprimentá-los mesmo que não os conhecesse. Mas ontem, conhecia praticamente todo mundo, então imaginem se tive tempo de comer uns 떡 (que pareciam ótimos)…

E ontem, uma novidade! Na foto acima eu e minha esposa estamos com o presidente e o secretário do Conselho Nacional de Unificação e também o presidente da Associação Brasileira dos Coreanos, que me convidou para ser membro do seu conselho. Super honrado, aceitei e estou disposto a contribuir com o nobre trabalho desta entidade que congrega todos os coreanos do Brasil. A nossa missão? Trabalhar em prol da integração entre coreanos e brasileiros, com um pé no voluntariado social. Anteriormente já fui membro de praticamente todas as entidades representativas da comunidade (inclusive vice-presidente da Associação Brasileira dos Coreanos e presidente da Associação Brasileira dos Universitários Coreanos) e sei da importância deste tipo de trabalho. 화이팅!

Ah… E antes que eu esqueça: viva o nosso lindo e multicultural Brasil! Viva! Viva! 🙂


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



5 COMENTÁRIOS

  1. Muito legal a comunidade coreana ser tão unida. Sobre cumprimentar as pessoas na Coréia do Sul. Eles acham estranho nós brasileiros termos esse costume por quê? Eles são mais individualistas?

  2. Obrigada pela transparência dos acontecimentos, nos mostrando que mesmo fora da Coreia, todos tem muito orgulho da independência! Até a próxima semana.

  3. Fui apresentada ao mundo coreano ano passado.Cada dia que passa fico mais apaixonada por este povo.Apesar de serem muito reservados e respeito isso.Quero deixar meu carinho Imenso por vocês.Vivo em Manaus, mas sou Paulista. Minha próxima ferias é visitar a comunidade Coreana. Deixo meu carinho .

    Jucineide Oliveira

    • Obrigada pelo comentário Jucineide!! Venha mesmo, São Paulo concentra uma boa parte da comunidade coreana! Esteja atenta aqui no Koreapost para saber dos eventos da comunidade que acontecem o ano todo, principalmente no bairro do Bom Retiro! Um Abraço!

  4. O povo coreano tem grandes ícones em todas as áreas. Um grande violonista chamado YOO SIK RO tem divulgado a cultura Coreana e Brasileira de forma magnífica, esbanjando talento, performance e carinho por ambos os povos. Sempre que puderem, prestigiem este irmão coreano, com comentários no site dele, pois certamente se sentirá muito honrado com a presença de vocês. Segue o link: https://www.youtube.com/watch?v=RQdoVZqhAq8

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.