Quando o diretor Kim Jee-Woon começou as filmagens do seu mais novo “thrillerhistórico, “The Age of Shadows“,
ele tinha como objetivo fazer um filme “frio“, sobre o cruel mundo dos espiões. Mas o filme acabou sendo muito mais “caloroso” do que esperado originalmente, disse o diretor, depois de uma coletiva de imprensa para o filme, em Seul, no fim de Agosto.

As sua referências originais foram os clássicos, como o filme “thriller” em preto e branco de 1949, “The Third Man“, e o filme western de espionagem de 1965, “The Spy Who Came In from the Cold” – ambos tendo como cenário principal a época da Guerra Fria. Ao longo das filmagens, contudo, Kim Jee-Woon descobriu que a época da ocupação Japonesa na Coreia (contexto no qual o filme se passa), tinha uma atmosfera totalmente diferente.

Atores Song Kang-Ho, Gong Yoo e Ji-Min dando entrevista na coletiva de imprensa para o filme “The Age of Shadows”, em Seul, no fim de Agosto. Foto: Yonhap.

A época da ocupação foi um tempo em que os patriotas sacrificaram suas vidas sem arrependimentos para recuperar o país que havia sido perdido,” disse o diretor. “Com essa história tendo o foco principal, as filmagens não poderiam tomar outro rumo, se não “esquentarem” um pouco no final“.

Apesar do filme divergir de seu ponto inicial, Kim Jee-Woon disse que ele optou por “não forçar um certo tipo de filmagem ou estilo” e ao invés disso preferiu “seguir a direção da própria história e seus personagens“. “The Age of Shadows” é o filme histórico mais recente nos cinemas Coreanos desse ano – incluindo “The Last Princess” e “Operation Chromite“.

O filme se passa em 1920, e conta a história do lutador pela independência, Kim Woo-Jin, interpretado pelo ator Gong Yoo, e seu grupo de camaradas que tem um plano de contrabandear bombas de Shanghai para a capital da Coreia, para combater o governo japonês. Song Kang-Ho interpreta Lee Jeong-Chool, um nacionalista Coreano que se alia aos Japoneses. Policial japonês de alta patente, Lee Jeong-Chool é responsável por espionar e capturar aqueles que lutam pela independência.

Diretor Kim Jee-Woon fala com os repórteres na coletiva de imprensa para o filme “The Age of Shadows”, em Seul, no fim de Agosto. Foto: Yonhap.

O objetivo do filme de acordo com o diretor, é explorar a “complexidade” da época, em um mundo que coexistiam aqueles que espionavam para a oposição, e aqueles que arriscavam suas vidas para recuperar o país. “O filme mostra um período em que as pessoas não tinham escolha a não ser virarem espiões,” disse Kim Jee-Woon. “Não é um filme que procura saber quem é ou não é o espião, mas que mostra que qualquer um pode se tornar um espião,” acrescenta o ator Song Kang-Ho.

A atriz Han Ji-Min interpreta uma das lutadoras pela independência, Yeon Gye-Soon. O ator Lee Byung-Hun faz uma participação especial como Jeon Chae-San, o líder daqueles que lutam pela independência.

The Age of Shadows” foi convidado a passar no 41º Festival Internacional de Filmes de Toronto, que aconteceu durante os dias 8 à 18 de Setembro, e no 73º Festival Internacional de Filmes de Veneza, que durou do dia 31 de Agosto, até 10 de Setembro.

Com um orçamento de mais de 24 bilhões de reais, esse é o primeiro filme totalmente em coreano produzido pela Warner Bros., que também fará a distribuição local. A companhia coreana de vendas, Finecut, adquiriu os direitos internacionais do filme em Abril.

Kim Jee-Woon anteriormente dirigiu os filmes “I Saw the Devil“, e “The Good, The Bad, The Weird“. Sua estréia oficial em Hollywood aconteceu em 2013 com “The Last Stand“, com Arnold Schwarzenegger. “The Age of Shadows” estreou nos cinemas no dia 7 de Setembro.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.