FOTO: Disney/Pixar

O que torna as animações da Disney e Pixar tão especiais, é a habilidade de criar uma história pessoal, misturando elementos fantásticos, que possam emocionar a audiência de diferentes formas, nos fazendo refletir sobre suas próprias infâncias e memórias.

A nova animação, ‘Luca’, que estreou nos cinemas dos Estados Unidos em 16 de junho, chegando ao Brasil pelo Streaming, Disney +, é outro belo conto que acompanha dois monstros marinhos, Luca e Alberto, em suas aventuras em uma cidade litorânea, na Riviera Italiana, enquanto eles tentam manter sua identidade escondida.

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

Em maio, durante um evento online com a imprensa, o diretor Ennco Casarosa revelou que a história é uma adaptação de sua própria infância em Génova com seu melhor amigo Alberto.

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

O filme se passa no verão dos anos 1950, e ao invés de ficar com os olhos na tela do celular, as crianças passavam seu tempo jogando futebol nas ruas da cidade, aproveitavam seus gelatos, ou andavam de bicicleta. A natureza e o mar que cercam a cidade são belamente retratados como se fossem pintados por aquarelas, e os telespectadores podem aproveitar a pura beleza no brilho e nas cores quentes que o filme consegue trazer para a tela, quando Luca e Alberto embarcam em sua aventura.

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: korea joong ang daily

Por trás das cenas, há dois animadores coreanos, o artista de layout, Shaun Kim e a mestre de iluminação, Joh Sung-yeon, que eram, respectivamente, responsáveis pela direção de câmera e iluminação do filme.

Depois de se formar em gravura na universidade de Hongik, Joh se juntou a Pixar em 2000 e esteve por trás de filmes como ‘Monstros S.A’, de 2001, ‘Procurando o Nemo’, de 2003, ‘Os Incríveis’, de 2004, ‘Ratatouille’, de 2007 e ‘Divertidamente’, de 2015.

Kim, por outro lado, se formou em filme e animação na universidade de Hongik, e trabalhou na Coreia como animador por cinco anos, antes de se juntar ao estúdio em 2012, enquanto estudava sua pós-graduação no exterior. Ele trabalhou em ‘Universidade dos Monstros’, de 2013, ‘O bom dinossauro’, de 2016, ‘Procurando Dory’, de 2016, ‘Coco: a vida é uma festa’, de 2018, ‘Toy Story 4’, de 2019 e ‘Soul’, de 2021.

Os dois animadores se encontraram com a imprensa remotamente, para explicar um pouco sobre seus papéis e trabalhos na Pixar.

Iluminar uma animação é tudo sobre cor, explicou Joh.

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

“Eu estava encarregada de colorir o céu e o pôr do sol na cena onde os dois garotos estão conversando no topo da torre durante o pôr do sol.” disse Joh. “Para retratar aquela cena, eu assisti, repetidamente, diversos vídeos sobre como o Sol se põe em uma cidade da Riviera Italiana e que cor o Sol tem quando se põe e como a cidade brilha quando a luz do sol atinge de uma direção específica. Quando os meninos conversam, eles acendem uma fogueira. Nessa caso, a iluminação significa como o brilho do fogo reflete nos meninos.”

“Para facilitar, você deveria pensar no nosso departamento como parecido com colorir quando se desenha uma imagem,” disse Joh. “Depois de terminar todo o desenho, você deixa bonito com a pintura, e tem um senso de realização que vem depois.”

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

Enquanto Joh focava na cor, Kim observa como o filme se encaixa.

“Eu estava encarregado, de modo geral, da sequência de abertura do filme e tem uma parte onde o monstro marinho entra e sai do mar, ou cenas onde tem um vislumbre da sombra de uma mão perto do barco,” disse Kim, explicando em detalhes para a pessoa que parecia não ter familiaridade com o seu papel. “Eu decido as lentes, as posições e os movimentos da câmera e penso em como conectar todas as cenas naturalmente, como a reação de um personagem com a com a próxima cena.”

De acordo com Kim, os artistas de Layout recebem uma sequência para dirigir, de modo geral, o design da cena, adicionando seus próprios toques criativos, parecido com fazer um curta animado.

Os monstros no filme têm a habilidade de se transformar em seres humanos quando estão fora da água e secos, mas no minuto em que a água atinge parte de sua pele, eles voltam a sua forma original. Joh disse que essa transformação física foi uma das partes mais difíceis de retratar em iluminação.

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

“Eles precisam se transformar, assim que a água atinge suas peles,” explicou Joh. “Nós fizemos diversas revisões até que fosse aprovado pelo diretor. E quando os personagens mudam, os olhos deles também mudam para olhos de monstro, e nós pensamos bastante sobre como fazê-los parecer um alienígena, mas não assustador. Nós tentamos encontrar o tom correto e sombreado para ilustrar as escamas molhadas.”

Joh e Kim também conversaram sobre os diferentes estilos de trabalho dos diretores da Pixar.

“Os diretores têm preferências e estilos bem diferentes, quando se trata de animação,” disse Kim. “Por exemplo, Brad Bird, o diretor da série de filmes ‘Os Incríveis’, quer planos de fundos com uma combinação de linhas retas, como em história em quadrinhos, e Lee Unkrich, o diretor de ‘Coco: a vida é uma festa’, foca na beleza dos personagens. Todos os closes em ‘Coco’, foram filmados com lentes de 50mm para evidenciar o melhor na aparência dos personagens.”

Animadores Coreanos Falam Do Desafio De Dar Vida A 'Luca', Da Disney-Pixar
Foto: disney/pixar

“Casarosa é um artista muito bom,” revelou Joh. “Ele é muito bom com aquarelas, ele também publicou um livro sobre isso. Que eu saiba ele queria fazer um filme como um livro de histórias. No caso da iluminação, nós trouxemos a textura de aquarela e adaptamos elas para a tela, tanto que a tinta e a água se misturam e se espalham pelo papel.”

Joh e Kim estão bem felizes de trabalhar na Pixar, a terra dos sonhos de muitos aspirantes a animadores ao redor do mundo.

“Eu acho que o estúdio está tentando, de forma justa, dar uma chance para todos os trabalhadores aqui.” disse Kim. “E desde que somos um estúdio baseado em filmes, mesmo trabalhando durante anos no estúdio, parece que estamos entrando em um novo mundo, filmando e estudando novas coisas todo ano, baseado em quaisquer novos projetos que nos são dados. Então, não parece que estamos trabalhando a tanto tempo, mesmo estando.”

Joh adicionou que o estúdio tem um ambiente multicultural, no qual, ela não sentiu problema algum em trabalhar, sendo uma animadora Coreana.

“O que mais, nossos resultados, os filmes que criamos, são amados pelo público ao redor do mundo, então tem uma grande satisfação nisso.”, disse ela.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.