O novo filme policial, “Black Money“, pretende reacender o diálogo sobre um escândalo financeiro importante que atingiu a Coreia do Sul no início dos anos 2000.

O objetivo deste filme é compartilhar a história do caso, para que possamos discutir e debater o que aconteceu para melhorar a sociedade“, disse o diretor e escritor Chung Ji-young durante uma conferência de imprensa do filme realizado na Yongsan CGV em Seul.

O filme é baseado no escândalo financeiro desencadeado pelo investimento da empresa privada Lone Star Funds dos EUA. A empresa adquiriu o Korean Exchange Bank (KEB) em 2003, assumindo uma participação de 51,02%. A mesma saiu da Coreia em 2012 depois de obter um lucro de 4,9 trilhões de Wons.

A legalidade e o procedimento de aquisição da empresa provocaram um debate quando a venda do 5° maior banco da Coreia foi aprovada, apesar da existência de uma lei local que limita empresas privadas de possuírem uma certa porcentagem das ações de controle de um banco, a um preço extremamente baixo.

O processo entre o investidor e o estado está em andamento desde que a empresa entrou com uma ação contra o governo coreano em novembro de 2012, buscando mais de US $ 4,7 bilhões por atrasar a aprovação da venda de ações do KEB.

O caso do mundo real inspirou Chung a gravar um filme sobre o assunto.

Imagem: AsianWiki

Ele criou personagens fictícios e adicionou histórias para transformá-lo em filme. O promotor Yang Min-hyeok (Cho Jin-woong) é falsamente acusado de assediar sexualmente uma mulher que estava investigando. Ela comete suicídio e deixa um bilhete que conta a história. Enquanto ele examina o caso para limpar seu nome, ele descobre que ela foi uma testemunha chave em um escândalo financeiro envolvendo figuras do governo.

Enquanto escrevia o filme, Chung disse que passou anos estudando o caso e conheceu mais de 600 pessoas relacionadas ao escândalo. “Eu, eu mesmo, não sei muito sobre como a economia funciona, então tive que estudar muito. Foi um escândalo que abalou o país desde o início dos anos 2000 até 2012.”, afirmou o diretor.

Como ele teve que abordar um caso tão complicado, ele disse que seu maior objetivo era apresentar a história de maneira simples, mas também o mais abrangente e interessante possível. O diretor é famoso por filmes baseados em histórias reais, como “Unbowed” (2011) e “National Security” (2012), que lançam luz sobre a corrupção na sociedade.

Mas, diferentemente de seu trabalho anterior, ele disse que tentou evitar enfatizar representações realistas para torná-lo um filme mais agradável. “Nos meus filmes anteriores, eu me concentrei em torná-los o mais parecidos com a história real possível, mas, para este, pensei mais em tornar um assunto tão difícil mais fácil para as pessoas entenderem“.

A história é sobre a economia e revela a corrupção. Mas a maioria das pessoas quer assistir a um filme bem-humorado do qual possam entender“, disse ele. “Muitas pessoas diriam ‘minha vida já é difícil o suficiente, por que eu gostaria de assistir a um filme de investigação?’, então eu fiz o meu melhor para torná-lo interessante e convincente“.

Imagem: Korea Times

O diretor revelou que ele intencionalmente definiu o personagem como um leigo no assunto porque queria que o público o acompanhasse.

Min-hyeok involuntariamente se envolve em um caso financeiro, embora ele não tenha nada a ver com processos relacionados a finanças. Ele aprende sobre os termos à medida que avança na investigação, o que ajuda o público a entender questões complexas em um sentido mais simples.

Como o diretor pretendia, o ator Cho interpreta um personagem obstinado perseguindo ferozmente pistas do envolvimento de uma organização governamental no escândalo.

Cho disse que sentiu que estava sendo enganado quando leu o roteiro. “Eu sabia do caso, mas fiquei muito bravo depois de saber sobre o passado do escândalo e como ele desapareceu da atenção do público“, disse ele.

Referindo-se ao filme como uma “vacina”, ele enfatizou a importância de estar ciente do problema. “Para aqueles que negligenciaram e ignoraram questões sociais, este filme poderia servir como vacina, pois me fez perceber e abrir meus olhos para essas questões“.

Lee Ha-nee interpreta Kim Na-ri, consultora jurídica da empresa privada. Depois de descobrir sobre as atividades fraudulentas envolvidas na aquisição e na compra, ela tenta ser racional e seguir os traços de evidência para encontrar a verdade.

Eu acho que é significativo o suficiente para que este filme seja lançado no mundo“, disse ela. “Como atriz, sinto muita sorte de estar em um filme baseado em histórias reais com tanto objetivo e peso“.

O filme estreou com grande sucesso nos cinemas locais em 13 de novembro.

Veja o trailer:


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.