Assim como a bem recebida Olimpíadas de PyeongChang, a Coreia do Sul prometeu tornar os Jogos Paralímpicos um evento igualmente cultural e esportivo.

Fiel à promessa da nação anfitriã de tornar os eventos uma “Olimpíada Cultural e Paralímpica”, 600 programas relacionados à cultura foram programados para ocorrer durante os Jogos Paralímpicos na Província de Gangwon.

A Coreia do Sul possui uma rica cultura em seus mais de 4.000 anos de história e PyeongChang estava ansiosa para compartilhá-la com os visitantes do exterior.

Começando desde a porta da Província de Gangwon, na estação de Jinbu, um viajante que sai do KTX encontra várias exposições de arte, realidade virtual e outros programas que operam das 10h da manhã às 5h da noite todos os dias. Ao longo dos Jogos de Inverno, 42 mil pessoas acessaram os programas.

Se aprofundando na província, você encontrará outros eventos que o convidam a experimentar a profunda cultura do país.

(Imagem:Yoon Min-sik/The Korea Herald)
(Imagem:Yoon Min-sik/The Korea Herald)

Locais imperdíveis

O Estádio Olímpico de PyeongChang permaneceu fechado até a cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos, mas o Plaza Olímpico possui muitas outras atrações.

Com música tradicional gugak (국악), gurus e demonstrações de arte oferecidas pelo Pavilhão Tradicional Coreano (Traditional Korean Pavilion), mesmo em dias sem performances, os visitantes podem observar pinturas exibidas dentro do tradicional Hanok.

Os fãs da arte moderna coreana ficaram entusiasmados ao encontrar obras de Paik Nam-junho, Lee Gyeong e Lyu Jae-ha no Pavilhão de Cultura ICT. “Light PyeongChang”, é uma exposição em três partes que mantém obras desses artistas, incluindo “Project Mapping” de Lyu e colaboração de Lee e Paik.

Os trabalhos mais conhecidos de Paik, como “Turtle” e “M-200” também estão presentes no local.

Além de trabalhos de arte, o segundo andar do Pavilhão ICT também traz exibições com tecnologia 5G de ponta e vários programas de realidade virtual, incluindo um que simula uma experiência de bobsled.

Outro recurso atraente envolve um par de peixes robô, os quais os visitantes podem controlar em um jogo de hockey virtual. 16 peixes robô podem ser encontrados em todos os locais Olímpicos, junto com outros 19 robôs, incluindo dez robôs guia, dois robôs de limpeza e dois robôs garçom.

O conteúdo Hallyu está disponível próximo ao Pavilhão Live, que traz concertos holográficos das principais estrelas do K-pop e outros programas de realidade virtual.

A taxa de entrada para o Plaza Olímpico é de 2 mil (won). O local fica em Daegwallyeong-myeon, PyeongChang-gun, Província de Gangwon.

Um dos mais populares eventos no Parque Olímpico de Gangneung é o “The Great Journey of Bandabi” (A Grande Jornada de Bandabi), oferecido todos os dias às 3h da tarde. Sessenta pessoas participam da parada, liderada por Bandabi, o mascote dos Jogos Paralímpicos e parceiro de Soohorang, mascote dos Jogos Olímpicos.

Apresentações, dança de rua e outras performances acontecem no parque e uma fila de clientes tipicamente se forma do lado de fora da super loja de PyeongChang, para a compra de souvenirs.

A entrada para o parque também é 2 mil (won) por pessoa. Para mais informações sobre os programas culturais organizados pelo comitê das Paraolimpíadas, visite o site de PyenongChang.

Traditional Culture Pavilion & Traditional Culture Plaza in the PyeongChang Olympic Plaza in Daegwallyeong-myeon, Gangwon Province (Imagem: Yoon Min-sik/The Korea Herald)
Pavilhão Tradicional de Cultura no Plaza Olímpico em Daegwallyeong-myeon, Província de Gangwon (Imagem: Yoon Min-sik/The Korea Herald)

Eventos e restaurantes da província

O Festival da Neve em Dagewallyeong encerrou com as Olimpíadas de fevereiro, mas a sala de exibição RE2018 está apresentando a “All Together Art Exhibition” (Exposição de Arte Todos Juntos). Doze artistas da província apresentam seu trabalho, com entrada gratuita aos visitantes.

Aqueles que quiserem visitar, podem comparecer das 10h da manhã às 18h da noite, com a última entrada às 17h30. Para chegar lá, pegue um dos passeios operados pelo comitê organizador paraolímpico e desça na parada do Plaza Olímpico de PyeongChang. É uma caminhada de 1,1 km.

O Potato Flower Studio de PyeongChang-eup também está com uma exibição elaborada por vinte artistas de 16 países.

O mercado Olímpico de PyeongChang, tradicional da região é um local para degustar a comida feita com farinha de trigo sarraceno, especialidade da província de Gangwon. O Sarraceno, or “memil” em Coreano, é considerado um prato essencial da região. A cidade de Bongpyeong é famosa por pratos feitos com farinha de sarraceno e sua reputação elevou quando o renomado escritor Lee Hyo-suk (nascido em Bongpyeong), escreveu o romance “When Buckwheat Flowers Bloom” (Quando As Flores de Sarracenos Desabrocham).

O mercado de Bongpyeong, chamado de “Bongpyeong-Jang”, abre aos sábados e vende macarrão de memil, pão de memil e muito mais, fazendo a visita valer a pena. Uma sala de exibição dedicada a Lee Hyo-suk também é encontrada próxima ao mercado, seguida de apresentações de rua com uma mistura de música tradicional e moderna.

Tofu leve e sopa de batata estão entre os pratos populares das visitas à Província de Gangwon. A província é a maior produtora de batatas na Coreia, a ponto do apelido de seus moradores ser “Gamja-bau,” ou “pessoa da cidade das batatas”.

Para mais informações sobre os pratos mais populares da região, confira o vídeo abaixo:

A experiência de compartilhamento cultural não termina com as Paraolimpíadas.

Como parte dos esforços para promover a cultura tradicional coreana para outras nações, a Fundação do Patrimônio Cultural Coreano (CHF) de 22 a 29 de março fará apresentações de Madang Nori no teatro folk Pungryu, localizado no Centro de Treinamento para Propriedades Culturais Importantes e Intangíveis em Seul.

Madang Nori, que significa literalmente “brincar no quintal”, é uma comédia tradicional coreana com atores mascarados, música e dança. Era o passatempo principal das pessoas comuns em antigos reinos coreanos.

Cada apresentação acontece às 19h30, com uma duração de 90 minutos. Os shows estão disponíveis para visitantes a partir de 8 anos e a entrada custa 5 mil (won). Informações e ingressos, podem ser encontrados no Naver ou ligue (02) 3011-2178.

Além das apresentações, a melhor experiência é poder se misturar com os locais e experimentar o que eles chamam de “jeong”. A tradução mais próxima é “carinho”, mas a palavra também implica a tendência de ser agradável, amigável para os outros (independentemente da relação deles com você) e a sensação de ser recebido e acolhido, mesmo na companhia de estranhos.

Aos visitantes estrangeiros, as festividades das Paraolimpíadas podem ser uma chance para mergulhar na cultura profundamente enraizada do “jeong”, do qual o país se vangloria por anos.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.