Quando foi diagnosticado com epilepsia, o jovem You-jin viu o seu futuro como nadador profissional se desmoronar em sua frente. Mesmo com o apoio dos remédios, de sua mãe e sua tia – que também é sua psiquiatra – o jovem tem problemas em lidar com essas questões e busca o conforto em pequenas escapadas noturnas, nas quais sua velocidade e força são colocadas no limite.

Ignorando aos pedidos de sua mãe, depois de uma dessas escapadas, You-jin acorda em seu quarto sem nenhuma lembrança da noite anterior – apenas o forte, doce e metálico cheiro de sangue que o permeia. Acreditando ser um prenúncio de mais um ataque epilético, o jovem permanece em seu quarto, repousando. Mas o desconforto só aumenta quando ele percebe o silêncio dentro de casa e o fato de estar inteiramente coberto de sangue.

Pequenos flashes da noite passada começam a surgir o confundindo ainda mais. Quando descobre o corpo coberto de sangue de sua mãe, You-jin se recorda que ela o estava lhe chamando – seria para pedir ajuda ou era uma tentativa de salvar a própria vida?

Narrado em primeira pessoa a autora consegue nos prender na narrativa à medida que nos mostra a história do personagem principal – todo o passado sombrio da família, os segredos escondidos e, principalmente, as profundezas da natureza humana.

Sobre a Narrativa

Ao contrário dos thrillers de ação (no qual o(s) personagem(s) utilizam da força física para superar seus inimigos), os thrillers psicológicos são construídos baseando-se na capacidade intelectual do(s) mesmo(s).

As principais características do gênero são a narrativa em primeira pessoa, os relatos passados que ajudam no entendimento do “agora” e o uso do “fluxo de consciência” – ou seja, dicotomias mentais do personagem principal, através de um exame profundo de suas ideias, seus desejos e a realidade, o consciente e o inconsciente.

Zona de Spoilers

Imagem: acervo pessoal

Para que a gente possa conversar mais a fundo sobre alguns aspectos do livro será preciso soltar alguns spoilers!

Uma das questões abordadas pela autora é o comportamento errático que o You-jin apresenta desde criança – sua tia observa que ele apresenta traços de psicopatia e pede ajuda da mãe para diagnosticar, medicar e cuidar da criança o quanto antes.

Dentro do estudo de psicologia criminal existem duas teorias a respeito desses sinais em crianças – “a semente do mal” e “genes ruins”.

Na primeira teoria acredita-se que “uma criança profundamente psicopata pode crescer em um lar normal, estável e amoroso”, ou seja, algumas pessoas já nascem más. Embora seja um recurso eficaz para uma narrativa dramática e envolvente, essa teoria não é muito aceita.

Estudos sobre serial killers apontam que nenhum deles nasceram nas melhores famílias, “todos eles são produtos de ambientes nitidamente disfuncionais”.

A segunda teoria discute “descobertas científicas [que] mostram que personalidades gravemente antissociais são, pelo menos em parte, produto de fatores genéticos”, ou seja, é preciso uma combinação muito específica de DNA para formação de serial killers.

Juntamente com fatores externos (maus tratos graves durante a infância, por exemplo) essas pessoas “têm uma probabilidade muito maior de se tornarem criminosos violentos”.

Como mencionado, o You-jin apresenta um comportamento muito peculiar desde a infância e, mesmo que a autora não entre em detalhes sobre essas teorias, é importante conhece-las para entender melhor o diagnóstico da psiquiatra – o de psicopata predador.

Esses “caçadores” possuem um comportamento similar aos animais de grande porte, como o leão, e são extremamente territorialistas e preferem cometer os crimes em ambientes conhecidos e, de certa forma, controlados. Podendo, inclusive, levar os crimes para dentro de casa.

Com esses recursos narrativos e sua própria experiência dentro da medicina, a autora nos entrega uma história envolvente, instigante e repleta de surpresas, tornando impossível de largar o livro enquanto não terminar a leitura.

Sobre a Autora

Imagem: Folha de S.Paulo

Jeong You Jeong nasceu em 1966 na província de Jeolla do Sul (전라남도), também conhecida como Jeonnam (전남), e se formou na Christian College of Nursing (colégio técnico especializado em enfermagem) em Gwangju.

Sua experiência como enfermeira a ajudou a desenvolver suas obras, tanto com questões técnicas como com a abordagem de casos realistas.

Mesmo contra os desejos de sua mãe, a autora nunca desistiu do seu sonho de se tornar escritora, e foi só aos 41 anos que ganhou seu primeiro prêmio literário.

Em 2010 ela entrou oficialmente nos meios literários devido a sua escrita pontual sobre psicologia humana. No seu primeiro romance, Shoot Me in the Heart (내 심장을 쏴라), ela satiriza a sociedade sul-coreana através de pacientes internados em um hospital psiquiátrico.

Até então, seu maior trabalho era o romance Seven Years of Night (7년의 밤) – uma história sobre um pai obrigado a se tornar um assassino e um filho que cresce na sombra de seu pai assassino.

Chamada de “Stephen King sul-coreano”, Jeong You Jeong tem recebido cada vez mais atenção por suas obras e sua abordagem crua da natureza humana.

**As informações e citações contidas no texto sobre psicologia criminal e comportamento vieram do livro “Serial Killers: A anatomia do mal” de Harold Schechter – publicado pela editora Darkside.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.