Não se enganem com seu visual delicado: Lim So-Hee é uma das lutadoras mais promissoras do Road FC, a maior competição de MMA na Coreia.

Foto: Road FC
Lim So-hee. Foto: Road FC

Depois de uma derrota amarga para Xiaonan Yan, a lutadora de 20 anos de idade está ocupada, preparando para se redimir na próxima partida pela categoria Peso Palha, agendada para o dia 11 de março, contra a japonesa Hana Date.

A Hana tem um estilo único de lutar, difícil de ser combatido. Mas eu vou derrubar a guarda dela e derrotá-la”, afirma So-Hee. “Eu acho que a luta será decidida de acordo com quem bater mais forte, com mais precisão, e tiver mais força de vontade”. Nos últimos meses, a lutadora tem focado seus treinos em fortalecer a mente.

Através da minha curta experiência no MMA, eu aprendi que as vezes são precisos mais do que socos e chutes para criar boas chances” conta. “Agora, eu consigo aguentar mais, com os olhos abertos, e permanecer preparada para revidar.”

Para So-Hee, o mais doloroso na última luta foi ter perdido por nocaute sem poder dar tudo de si. “Ganhando ou perdendo, eu vou dar o meu melhor na próxima luta.”

A competidora começou a aprender Wushu, uma arte marcial chinesa, quando criança porque seu pai praticava. Mas nenhum dos dois esperava que ela fosse seguir carreira de lutadora mais tarde.

LIM SI-HEE 2

No começou eu praticava Wushu apenas para Taolu, modalidade na qual os competidores são julgados por movimentos e poses e recebem pontos de acordo com regras específicas”, afirma. “Mas quando eu estava no ensino fundamental, eu comecei a me interessar por Sanda, uma competição de luta. Felizmente, meu pai apoiou minha decisão, o que tornou tudo mais fácil.”

Não demorou muito até que ela percebesse que tomou a decisão certa. Lutar trouxe motivação e prazer. Competir em torneios internacionais trazia felicidade.

Mas o esporte trouxe também a visão realística de como seria difícil construir uma carreira profissional no país. Não havia times, nem organizações as quais ela poderia se juntar com suas habilidades de Wushu. Então o Road FC ofereceu a So-Hee uma oportunidade, o que a surpreendeu. O único obstáculo que a lutadora enfrentou para estrear no MMA foi a oposição de sua mãe, mas mais tarde ela acabou por apoiar sua decisão.

Eu não tenho um objetivo a longo prazo. Por enquanto, eu só quero vencer minha próxima oponente”, diz. Para So-Hee, a melhor parte do MMA é que há várias coisas para aprender, o que o torna cada dia mais animador.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.