A senhora Lee, uma dona de casa de 35 anos, fez uma visita a uma loja de luxo em Sogong-dong do conjunto comercial Lotte no mês passado. Ela e sua bebê experimentaram vários vestidos sociais e vestidos normais para vestirem na primeira festa de aniversário da criança. As roupas eram todas de marcas de grife, com preços altíssimos – até um milhão de won (aproximadamente R$3.000) para os vestidos de adulto. Mas quando a cliente pagou por dois vestidos, no recibo o valor era de um terço dos preços originais.

Uma boutique de luxo típica do exterior, a Salon de Charlotte é uma loja que “empresta” roupas em vez de vendê-las. “Eu queria usar um vestido de uma marca particular chamada Just Philippa, mas era muito caro para um evento único, então eu decidi alugar“, disse Lee. “Para minha filha também, eu queria algo especial para ela usar em sua primeira festa de aniversário, mas as crianças crescem tão rápido, então não há razão para se comprar uma roupa tão cara“.

Inaugurada em Julho, a loja oferece uma variedade de vestidos de festa para mulheres extravagantes, ternos masculinos e vestidos de criança de designers nacionais e globais. Algumas marcas que estão disponíveis para aluguel também são vendidas em outras partes da loja de departamentos.

Um vestido de 1.5 milhões de won (R$ 4.500) pode ser alugado por dois a três dias por um terço do seu preço original. Um gerente na loja oferece sugestões aos clientes de acordo com seu estilo preferido e a ocasião. A loja tem um espaço extravagante para que os clientes possam experimentar livremente qualquer roupa antes de tomar uma decisão.

Estamos recebendo cerca de 50 visitantes todos os dias“, disse um porta-voz da Lotte.

Esquerda: Uma estilista recomenda itens de moda para uma cliente na loja pop-up do Projeto Anne, no COEX da Hyundai Department Store. A loja temporária aconteceu entre 23 a 26 de dezembro. À direita: Salon de Charlotte, a loja de aluguel de moda em Sogong-dong, da loja de departamento Lotte no distrito de Jung. Imagens: SK Planet e Lotte Department Store.

Embora a Lotte tenha sido a primeira a abrir uma loja de aluguéis, não é o único varejista a ter a ideia do aluguel de moda de luxo, que era desconhecida na Coreia antes do ano passado. Através desses serviços, os clientes podem ter acesso a produtos de marcas premium ou de marcas não tão caras, a preços muito mais baixos. O negócio é muito ativo online, com grandes empresas e start-ups entrando no nicho.

No passado, produtos de luxo ou roupas de grife eram uma maneira de expressar a sua singularidade, vestindo ou transportando itens que não eram facilmente oferecidos pelo público em geral. Quanto mais raro um item era, melhor.

Analistas do setor dizem que as percepções mudaram nos últimos anos, à medida que mais pessoas se acostumaram a compartilhar itens e parar de pensar que deveriam ter bens de luxo para sempre.

A SK Planet lançou um aplicativo de aluguel de roupas, chamado Projeto Anne, em Setembro. Ao contrário do Salon de Charlotte, onde os clientes pedem itens individuais, o sistema do Projeto Anne seleciona um plano de pagamento mensal que difere de acordo com o número de produtos alugados em um mês. Por exemplo, sob um plano de 80.000 won (R$ 240), um assinante receberá quatro trajes por 15 dias. Se o cliente decidir manter as roupas, a SK Planet enviará um novo item do mesmo modelo a um preço reduzido.

O serviço alcançou sua meta de 4.000 assinantes nos primeiros três meses. Durante o mesmo período, o aplicativo foi baixado 30.000 vezes.

Para comemorar seu sucesso, o Projeto Anne abriu uma loja de alugueis temporária dentro da loja de departamento da Hyundai, no COEX no mês passado por três dias, durante o qual um estilista profissional deu consultas de moda aos clientes. “O evento recebeu feedback positivo, por isso planejamos abrir esta pop-up a cada dois ou três meses“, disse um porta-voz da SK Planet.

Para pequenas start-ups on-line, bolsas são o foco do aluguel premium. A Clozet, que abriu em setembro, empresta uma bolsa por 15 dias em um plano de adesão mensal de 79.000 won (R$ 237), e permite trocas até três vezes. A empresa não consegue acompanhar a demanda. Os usuários têm que esperar de duas a quatro semanas, a fim de obter uma adesão regular. “As bolsas mais populares são levadas assim que são devolvidas“, disse Kang Young-ho, diretor da equipe de gerenciamento da empresa.

Esta é uma nova parte da economia de partilha, que foi criada pelo Airbnb e Uber. Agora as pessoas estão se acostumando a compartilhar bolsas e roupas. “A familiaridade com uma cultura de compartilhamento e um estilo de vida mínimo, que enfatiza a propriedade, são grandes influências para o negócio de aluguel de roupas“, disse Kim Victoria, consultora sênior da empresa de pesquisa Interfashion Planning.

Ela aponta que as roupas ou acessórios de marcas de luxo ou designers, costumavam ser usados para ocasiões particulares, não na vida cotidiana, o que naturalmente os torna apropriados para aluguel de curto prazo. “Comparada à cultura ocidental, onde as pessoas estão familiarizadas com festas de luxo e restaurantes de alta qualidade, os consumidores coreanos não tiveram muitas ocasiões para usar tais itens no passado, enquanto hoje essa cultura é mais difundida entre os coreanos mais jovens“, continua. Kim também atribuiu aluguel de moda de luxo  como uma forma de ascensão a uma percepção alterada da moda entre a geração mais jovem, para priorizar a eficiência.

Lee Hee-sook, professor de estudos de consumo na Universidade Nacional de Chungbuk, também disse que o negócio atrairá fortemente os consumidores mais jovens. “Eles basicamente têm uma vontade muito forte em se expressar através do consumo, e moda é uma das formas mais procuradas de fazê-lo“, comenta. “Ao mesmo tempo, eles ganham muito menos do que gerações mais velhas, o que os torna um grupo de consumidores com alta elasticidade de preço. Portanto, é natural que eles sejam mais pró-ativos em pedir roupas premium pro um preço mais barato.”

Alguns dizem que o negócio de aluguel de roupas não é inteiramente sobre o compartilhamento, mas também o resultado de uma cultura de consumo que prioriza as variadas experiências de compras. Especialistas da indústria dizem que os aluguéis fornecem consumidores mais possibilidade de criar ligações com os tipos que conduzem finalmente às vendas. Kim Kyung-hoon, do Korea Trend Research Institute, disse que, para os consumidores atuais, a experiência é uma importante fonte de informação na tomada de decisões fundamentadas, mesmo nas compras.

É por isso que os analistas preveem que o negócio de aluguéis não vai dar um golpe nas marcas de fabricação própria. Pode vir a ser uma oportunidade para expandir potenciais compradores.

Marcas de baixo custo ou de fast fashion podem ser afetadas pelo negócio de aluguel, mas para marcas premium, esses serviços tem vantagens, porque dá uma chance para os potenciais compradores experimentarem seus produtos e criar um vínculo com a marca que eles não teriam acesso se não pelo aluguel“, disse o CEO do Clozet, Seong Ju-hee.

A indústria já está estabelecida em muitos outros países. America’s Rent the Runway, lançado em 2009, embora tenha começado on-line, agora tem sete lojas e foi apelidada de “A Netflix da Alta Costura” pelo The New York Times. O designer de roupa online Girl Meets Dress, também abriu em 2009. No Japão, um serviço semelhante começou em 2015 para o qual um designer profissional escolhe à dedo itens para os clientes.

Novas versões estão evoluindo. A Le Tote, uma start-up on-line dos EUA que foi lançada em 2012, envia roupas e acessórios selecionados pela empresa a cada cliente com base em listas de desejos que eles escrevem depois de entrar. Tem até uma linha separada para mulheres grávidas.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



1 COMENTÁRIO

  1. Sensacional! Adorei a matéria, o sistema de pagamento mensal ja ocorria bastante, que são chamados os boxes, mas para a moda de luxo só havia visto em alguns lugares da europa.
    Jessica, me tire uma dúvida se vc souber, na coreia tb existem os brejos? Pq tem alguns brejos de luxo em SP e eles funcionam muito bem tb. Por exemplo, ja encontrei vestido Prada por 4x menos o valor dele.
    Será que existe este sistema la tb?
    Beijo!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.