Kang Ji-hyun, à esquerda, e Marie Boes, fundadoras da marca de moda de impacto social ISTORY. Foto: ISTORY

Para Kang Ji-hyun, nascida na Coreia do Norte, avistar um turista estrangeiro no Monte Baektu aos 15 anos mudou sua vida para sempre.

O que começou como uma viagem familiar de rotina para a montanha foi a primeira vez que ela avistou um estrangeiro de verdade fora da televisão e dos livros didáticos. O que chamou sua atenção não foi sua altura ou sua barba desalinhada – mas seu jeans rasgado.

Ele deve ser um morador de rua“, ela imediatamente pensou consigo mesma, perguntando ao pai por que um sem-teto estaria andando pelo Monte Baektu. Seu pai, depois de pensar um pouco, disse-lhe que as roupas do turista deveriam ser um sinal não de seu status, mas sim de sua escolha de estilo.

O fato de que a roupa rasgada, uma indicação imediata da falta de moradia em seu país, poderia ser um item de moda foi com uma revelação para Kang.

Mas na Coreia do Norte, as barreiras sociais e acadêmicas, bem como a forte oposição de seus pais a impediram de estudar e traçar um caminho no mundo de moda. À medida que sua paixão continuava a crescer, seus olhos finalmente se voltaram para o mundo exterior.

Eu consumi uma grande variedade de conteúdo de filmes, dramas e revistas da Coreia do Sul e dos EUA, onde roupas de estilos diversos faziam aparições regulares“, disse a estilista de 31 anos ao The Korea Times.

Esses mundos, uma vez que comecei a ter consciência de sua existência, me fascinaram cada vez mais. E comecei a pensar que o que não posso estudar e realizar em meu país seria uma possibilidade além de suas fronteiras.”

Kang desertou para a China em 2009 e foi para a Coreia do Sul três anos depois. Sem muita hesitação, ela se formou em moda (focada em roupas e tecidos) na Universidade de Hanyang. No ano passado, ela se inscreveu no campo de treinamento de empreendedorismo Asan Sanghoe, lançado pela Fundação Asan Nanum para ajudar os norte-coreanos a se reinstalarem, além de ajudá-los, junto com jovens sul-coreanos e estrangeiros, a encontrar um caminho para o mundo dos negócios. Foi lá que conheceu Marie Boes, da Bélgica. E juntas, elas lançaram sua marca de moda de impacto social ISTORY.

Designer Norte-Coreana Conta Histórias De Outros Desertores Através Da Moda
Imagem: em destaque, estampa desenvolvida pelas designers. (the korea times)

ISTORY tem como objetivo contar as histórias reais de desertores norte-coreanos por meio da moda. Com base nas entrevistas que ela conduz com cada refugiado norte-coreano, Kang esboça um padrão, um encapsulamento visual da história de vida que define quem eles são.

O padrão então se transforma em patches em uma camisa e uma impressão decorativa em uma totem bag. Há também um QRcode impresso na nuca da camisa, que pode ser digitalizado para acessar o significado detalhado por trás de cada desenho. Os textos estão disponíveis em inglês e coreano.

O primeiro produto da empresa é baseado na experiência de Kang no Monte Baektu (imagem acima).

Da história de um trabalhador de serviço de conserto de eletrônicos a um aspirante a diretor de cinema, um total de nove vidas de desertores foram registradas no inventário crescente de ISTORY.

Designer Norte-Coreana Conta Histórias De Outros Desertores Através Da Moda
Imagem: todas as nove estampas desenvolvidas pela marca (the korea times)

Kang acredita que a melhor maneira de acabar com a discriminação social contra desertores norte-coreanos é compartilhar suas histórias, sonhos e lutas por meio do que ela conhece melhor.

A mídia sul-coreana, de artigos de notícias até canais de entretenimento, tende a retratar apenas uma fração da vida ou identidade dos reassentados“, disse ela. “E essa fração é frequentemente provocativa e politizada, contribuindo ainda mais para os preconceitos que já existem porque eles falam de forma diferente ou não sabem o suficiente sobre a sociedade sul-coreana.”

O objetivo do ISTORY é compartilhar todas as 35.000 narrativas da comunidade de desertores norte-coreanos.

Eventualmente, quando tivermos contado todas as suas histórias, queremos expandir nosso projeto para enfocar outros grupos minoritários cujas vozes foram igualmente marginalizadas.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.