Muito antes de BTS e BLACKPINK, BoA foi a primeira estrela global da Coreia do Sul.

Este ano ela comemora 20 anos de carreira. BoA tem sido uma pioneira desde que debutou aos 14 anos em 2000, tornando-se a primeira cantora de K-pop a chegar ao topo das paradas semanais da Oricon no Japão e entrando nas paradas principais da Billboard.

Foto: Chosun

BoA se tornou uma das divas pop mais amadas do país e da Ásia”, escreveu Forbes no mês passado.

Para marcar o evento, ela realizou um encontro virtual com fãs no Naver no dia 25 de agosto. BoA já lançou mais de 12 álbuns em coreano, japonês e inglês, com mais de 100 sucessos.

Mas BoA disse que é mais apegada a “Only One”. “Eu estive envolvida em cada etapa da composição dessa música. Isso reavivou minha paixão pela música, e muitas pessoas me reconheceram como uma artista através dela “, lembra BoA.

A música que ela mais cantou é “No. 1”, que ela consegue dançar assim que acordar ou até mesmo durante o sono. Não é exagero dizer que a Onda Coreana começou com BoA.

Começando com seu primeiro álbum japonês em 2002, sete de seus álbuns chegaram ao topo das paradas semanais da Oricon. Seu álbum nos Estados Unidos lançado em 2009 entrou na parada de álbuns da Billboard em No. 127.

“BoA foi realmente a primeira artista estrangeira a ser amada e tratada com igualdade no Japão”, disse o crítico de música pop Jung Min-jae.

Por sua contribuição na transformação da SM Entertainment em uma gigante do showbiz, BoA foi nomeada executiva não registrada em 2014.

Seus juniores na agência, Red Velvet, Baek-hyun do EXO e o cantor americano Gallant estão atualmente fazendo um projeto de covers com os sucessos da artista.

Sua transição para cantora e compositora foi gradual. “Kiss My Lips”, em que ela escreveu e produziu todas as canções, recebeu aclamação da crítica e, em 2015, ela se tornou a primeira estrela do K-pop a dar um show solo no Sejong Center for the Performing Arts em Seul.

“Parece que foi há poucos dias, quando comecei minha carreira apenas porque amava cantar e dançar. Não acredito que já se passaram 20 anos “, disse ela.

“Olhando para trás, sou grata e sinto muito por mim mesmo por trabalhar tão duro. Espero poder continuar sendo cantora até fazer shows em asilos. “


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.