Com espírito desbravador, excepcional sonoridade e dedicação à música, Stella Jang é o tipo de músico que imediatamente chama a atenção.

Refletindo sua personalidade prática e realista, sua música costumava tratar de temas comuns que as pessoas podiam facilmente associar. Suas letras eram notavelmente francas, criativas e espirituosas, quase parecendo um diário escrito pela própria cantora e compositora.

Chegando aos seus 30 anos (em idade coreana) Jang diz que sua música, no entanto, inevitavelmente mudou com o tempo.

Fonte: The Korea Herald

Eu diria que os meus 20 anos foram dinâmicos o bastante, mas agora eu entendo porque tem um ditado que diz que ‘a juventude é desperdiçada quando se é jovem’. Eu acho que perto do final dos 20 anos é quando você realmente aprende sobre as coisas”, disse Jang durante uma recente entrevista para o The Korea Herald em Seul.

A maior mudança foi desenvolver o hábito de ver as coisas sob vários pontos de vista. Isso também veio junto com o entendimento aprofundado da dinâmica das relações humanas, com as quais ela tem se debatido por um bom tempo.

Agora, eu não posso simplesmente fazer canções iguais ao meu single de estreia, ‘Dumped Yesterday‘, uma canção que critica categoricamente um rapaz por largar uma garota. Refletindo melhor, hoje eu penso ‘ Talvez tenha havido uma razão para ser deixada’ e ‘Eu tenho o direito de culpá-lo? Eu também não sou santa’” diz ela.

Então, sim, não é fácil canalizar minha opinião unilateral através da música, a menos que eu tenha um completo entendimento das circunstâncias”.

Portanto, não é nenhuma surpresa que seu último trabalho a ser lançado, o primeiro álbum completo, “Stella 1”, soe menos intenso que o habitual. Uma das duas principais faixas, “Reality Blue”, fala sobre se sentir triste por voltar à realidade depois das férias, enquanto “Villain” passa a mensagem de como toda pessoa tem um anjo e um demônio dentro de si. O álbum de 12 faixas também tem canções em inglês como “Go Your Way”, “Bourgeois Emotion”, “You Don’t Shine Anymore” e “Forgive Forget”.

Seu caminho no K-pop não foi fácil. Diferente de muitos aspirantes de K-pop que começam como trainees desde muito jovens, Jang foi para Paris aos 12 anos para estudar. Depois de se formar na Grandes Ecoles, uma prestigiada instituição de ensino superior na França, ela retornou à Coreia para procurar emprego. Mas havia uma voz em seu interior dizendo para perseguir seu amor pela música.

Apesar de eu ser apresentada na mídia como uma pessoa de formação superior e essa imagem sempre ter me acompanhado, estudar nunca foi realmente minha natureza. Meus pais ficaram preocupados quando eu disse que eu escolhia a música como carreira, então eu queria provar o mais rápido possível que eu podia ter sucesso

Mas tempos difíceis esperavam por ela. Ela lançou seu primeiro single “Dumped Yesterday” em 2014, mas ela tinha realmente poucos ouvintes que a reconheciam, lembra Jang, e depois de alguns anos “nas sombras”, ela esteve à beira de desistir. Então em 2017 ela participou do “Problematic Men”, um famoso programa de TV cujos convidados eram reconhecidos por serem intelectuais. Seu mundo se tornou uma agitação só desde então.

Aparecer naquele show abriu as portas para mim; foi um divisor de águas na minha vida musical” diz ela, enfatizando como tudo precisa estar alinhado para alguém ter sucesso na indústria da música, e promover a si mesmo foi um dos passos mais importantes.
Desde então ela tem aparecido em muito mais programas de TV, inclusive programas musicais, alcançando um fandom estável e concertos lotados.

Fonte: perfil oficial no Facebook

Mas ela revela que ainda estava se adaptando à fria realidade da indústria do K-pop e lidando com diferentes tipos de relacionamentos nela.

Eu acho que esse é o preço que devemos pagar por estar vivos” diz Jang dando de ombros.

Jang comenta com bom humor que sua personalidade franca pode não cair bem no showbiz, mas a indústria parece começar a reconhecer sua intrepidez, já que ela recentemente foi chamada para trabalhar no álbum do BTS.

Jang co-escreveu “Friends”, um colosso de música que fala sobre a amizade entre os colegas de grupo V e Jimin no último álbum lançado, “Map of the Soul: 7”.

Foi uma enorme honra e prazer trabalhar nessa música. Quando eu recebi a primeira ligação da Big Hit Entertainment, eu não esperava que se trataria do BTS. Quando eles educadamente disseram, ‘Há um artista na nossa companhia chamado BTS, e nós gostaríamos de perguntar se poderia ajudar a compor’ eu fiquei ‘Quê? Você está brincando comigo? Claro que todo mundo conhece BTS!’” disse Jang rindo.

Ela diz que precisou pesquisar sobre a relação próxima entre V e Jimin com sua amiga, que é uma apaixonada fã de BTS.

Ela também já trabalhou com o cantor e compositor Paul Kim.

Colors”, um dos seus mais recentes hits, se tornou viral entre os usuários do TikTok em todo o mundo, e até a famosa atriz de Hollywood Jessica Alba já fez vídeos com a música.

O amor de Jang pela música é perceptível durante a conversa. Seus olhos brilhavam quando ela explicava porque adorava as músicas da banda de rock britânica Oasis, e explicava entusiasmada a estrutura musical das canções.

Mas quando perguntada sobre seu próximo objetivo musical, a cantora pareceu abordar a música em um tom mais contido.

Talvez eu tenha me tornado mais cínica e meus sentimentos pela música podem não ser mais tão puros como no passado. Mas eu acho que esse caminho de perseguir objetivos muito altos podem te tornar miserável, já que é algo que não depende só da minha vontade” diz ela.

Calmamente acrescenta com um sorriso: “Talvez esteja tudo bem em não ter um sonho”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.