Ser um percussionista solo é uma escolha de carreira incomum, pois os percussionistas geralmente fazem parte de uma equipe maior, como uma orquestra ou banda.

Mas Lee Hyungi está realizando uma carreira de sucesso como percussionista solo com sede em Londres, e ela toca uma variedade de instrumentos – não apenas a bateria, mas também o vibrafone e sua especialidade, a marimba, um instrumento feito de um conjunto de instrumentos de madeira que o músico golpeia com um par de marretas de borracha.

“As pessoas não estão familiarizadas com os instrumentos de percussão. Eles duvidam… você pode preencher um programa inteiro apenas com a marimba. Geralmente depois de assistir à apresentação, eles ficam encantados”, disse Lee ao The Korea Herald durante uma entrevista realizada no centro de Seul.

Foto: Broms Grove Concerts, Lee Hyungi

Lee está em Seul por um mês para liderar uma apresentação de marimba para os alunos que estudam instrumentos de percussão, que tomou lugar em uma sala de prática dentro do Sejong Center. Ela fará uma palestra sobre como é ser solista em Londres e também apresentará um repertório de diversos gêneros.

A jovem de 23 anos ganhou o primeiro prêmio no Concurso Nacional da Universidade de Seul, no Guildhall e Trinity Hall Marimba e no Fermo International Percussion Competition. Ela também foi reconhecida no Concurso de Jovens Músicos da BBC em 2012 por sua performance em marimba.

Veja sua performance no concurso:

Lee começou a aprender a tocar marimba aos 9 anos e se apaixonou pelo instrumento desde o início. Ela continuou a estudar música quando se mudou para Londres, optando por se concentrar em percussão orquestral no Royal College of Music.

“Sabe, existe esse preconceito de que os asiáticos não têm senso de arte. Mas eu já tinha dominado as técnicas quando me mudei para Londres aos 13 anos. As pessoas ficaram surpresas com o quão bem eu era capaz de tocar, apesar da tenra idade. Foi tudo por causa da prática. Os coreanos praticam oito horas por dia”, disse ela.

“Em Londres, eu não precisava praticar muito. Mas na faculdade, tive que aprender todos os tipos de instrumentos de percussão, e isso não foi fácil”, disse ela. “O aprendizado, no entanto, me permitiu explorar diversos gêneros musicais”.

Foto: The Korea Herald, Lee Hyungi

Lee concorda que estar em um campo musical menos destacado tem suas desvantagens.
“As percussões, de certa forma, não são tão competitivas quanto outros instrumentos mais populares. A dificuldade é que não há muitas partituras para tocar, pois a marimba tem uma história curta em comparação com outros instrumentos de música clássica”, disse ela.

Ciente da situação, Lee organiza peças de música clássica para a marimba, como os concertos de cravo de Bach.

Embora os percussionistas façam parte de uma orquestra, Lee não tem planos imediatos de se juntar a uma. Ela está em carreira solo, por enquanto.

“Estar em uma orquestra tem suas atrações. Mas um percussionista de uma orquestra tem que lidar com as longas pausas no palco. Realmente não há muitas partes para tocar. Por isso sou solo. Eu quero tocar mais”, ela disse.

Quem se interessar por este tipo de arte, pode conferir mais videos no canal da artista no Youtube.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.