Sonhando em se tornar um ídolo do K-pop, Marco fez o seu caminho da Itália para a Coreia, perseguindo seu objetivo. Começando sua carreira como trainee e modelo na Coreia do Sul, ele atua como criador de conteúdo para o YouTube nos últimos três anos.

Seus vídeos amigáveis apresentam a cultura coreana e mostram sua vida na Coreia, atraindo mais de 250 mil inscritos no YouTube.

Marco cercado de amigos de diversos países. Foto: kocis.co.kr

Apresente-se, por favor.

Meu nome é Marco. Tenho 29 anos e sou da Itália. Eu sou um YouTuber que mostra no canal os altos e baixos de ser um estrangeiro na Coreia, assim como as diferenças entre a cultura italiana e coreana.

De onde surgiu o nome “Seoul Mafia?”

Quis usar esse nome para quebrar os estereótipos que as pessoas costumam ter sobre a Itália. Não só na Coreia, mas em outros países, a palavra “máfia” é usada em todos os lugares quando se trata da Itália, independentemente do contexto, porque é um conceito extremo e fácil de lembrar sobre o meu país. Eu também vi muitos restaurantes italianos na Coreia com a palavra máfia em seus nomes.

Sinceramente, não me sinto bem que tal conceito represente o meu país. Queria mudar a imagem dessa palavra e foi assim que escolhi a Seoul Mafia (Máfia de Seul). O personagem de desenho animado que uso no canal é um mafioso fofo, atirando amor com suas armas.

Como sua conexão com a Coreia começou?

Eu ouvia muito o K-pop na minha adolescência e sonhava em me tornar um ídolo do K-pop. Imediatamente depois de terminar o ensino médio e me formar em uma academia de música, fiz um teste para vários shows de música coreana, sendo um deles “O Nascimento de uma Grande Estrela” (“The Birth of a Great Star” da MBC). Eu passei nas audições em Londres e voei para a Coreia uma semana depois.

Não passei na próxima rodada, mas enviei minha apresentação para o YouTube. Em seguida, uma pequena empresa de entretenimento coreana me descobriu. Essa oportunidade me trouxe de volta à Coreia, e eu comecei a treinar K-pop na empresa.

Foto: Seoul Mafia

Cite algumas semelhanças e diferenças entre a Coreia e a Itália.

Eu acho que tanto os coreanos quanto os italianos são orgulhosos de seus países. Ambas as nações têm suas culinárias e paisagens únicas. O fato dos dois países estarem situados em uma península significa que eles compartilham semelhanças culturais e históricas, também, eu acho. O que é interessante para mim é que os italianos do sul são muito parecidos com os coreanos, especialmente quando se trata de relações com a família.

No entanto, também vejo grandes diferenças. Por exemplo, os italianos são contundentes sobre seus pensamentos e opiniões, não importa com quem conversam, independentemente de serem mais velhos ou não. Mas na Coreia, pode parecer rude falar, especialmente para as pessoas mais velhas. Por isso era difícil para mim, era difícil me expressar quando era um trainee.

Foto: Seoul Mafia

Quando você começou a fazer vídeos no YouTube?

Fiz trabalhos como modelo e apareci em alguns programas de TV coreanos após iniciar minha carreira na Coreia. Quando você é um modelo e artista, você precisa constantemente realizar testes para cada show. É como começar sua carreira do zero a cada vez que você faz isso. No entanto, minha aparência distinta de italiano limitou minhas oportunidades no campo. Eu gostei do trabalho e tive uma experiência incrível, mas lutei financeiramente. Nem sabia se poderia pagar meu aluguel no mês seguinte.

Além disso, senti que meu senso de humor não atraía o público coreano, então fiquei estressado e frustrado. Eu tinha um forte desejo de começar algo que pudesse controlar e através do qual eu pudesse me expressar sem restrições. E esse algo se tornou meu canal no YouTube.

Foto: Seoul Mafia

Como é viver como criador de conteúdo do YouTube?

Como tudo na vida, esse trabalho tem seus prós e contras. Por não ser profissional de produção de vídeo, faço tudo sozinho e com isso, cometi muitos erros ao longo do caminho. Gravar vídeos com muitas pessoas em um estúdio grande é particularmente desafiador. E toda ação e palavra estão sendo observadas por pessoas em meus vídeos e mídias sociais.

Então, a parte mais difícil, eu acho, é que todo mundo tem opiniões diferentes e, portanto, o que eu digo e faço às vezes é mal interpretado. Apesar disso, adoro poder trabalhar em casa. Não preciso ajustar um despertador que me acorde para o trabalho, por exemplo.

O que você deseja apresentar em seus vídeos?

Falo muito sobre diferenças culturais, pois realmente quero que as pessoas entendam o quão grande é o mundo; cada país é diferente e é assim. Nenhuma cultura é perfeita e temos que abraçar outras culturas, aprender com elas o máximo que pudermos. A imigração é um grande tema na Itália agora, e eu acho que é importante mostrar minha perspectiva sobre essa questão como um imigrante italiano na Coreia.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.