Associações que representam as principais agências de artistas de K-pop enviaram uma carta aos órgãos de radiodifusão locais sobre os programas de TV, como reality shows, que contam com a presença de cantores ou ídolos-trainees.

A carta foi enviada para grandes empresas incluindo a KBS e MBC pela Korea Entertainment Producer’s Association, Korea Management Federation e Korea Music Content Industry Association.

Quando os participantes desses programas retornam às suas equipes ou agências originais, existem conflitos entre cantores e empresas ou (se o participante faz parte de um grupo de K-pop) entre os integrantes do grupo“, disse um funcionário da indústria, sob condição de anonimato.

O grupo I.O.I, agora disolvido, era composto pelas 11 vencedoras do programa “Produce 101”. Foto: Kpop Herald.

Alguns desses participantes já estrearam ou estão próximos de uma estreia oficial, mas as empresas exigem que os vencedores (dos programas de competição) trabalhem com eles por até um ano. Isso causa problemas para as agências“.

As associações de agências de talentos fizeram duas demandas para as empresas de radiodifusão: para que eles ajudem os participantes dos programas de sobrevivência a retornar às agências e que reduzam o tempo que os vencedores devem trabalhar com eles.

Impulsionado pelo sucesso do “Produce 101” da Mnet – um programa de sobrevivência que tinha 101 cantoras lutando por uma estreia oficial no mundo do K-pop – outros radiodifusores estão embarcando nisso.

Em outubro, a KBS transmitirá um programa que dará aos cantores que não conseguiram ganhar popularidade, uma segunda chance de causar uma impressão ao público. A MBC também está preparando um programa baseado em ídolos trainees.

Disputa com as agências

Uma das questões que as agências de K-pop criam é o conflito que surge entre os cantores e suas agências originais, uma vez que os shows terminam.

Kim Tae-dong, que apareceu na segunda temporada de “Produce 101“, teve uma discussão com sua agência sobre o tratamento recebido. Outros cantores como Lee Hae-in e Lee Su-hyun apresentaram acusações legais contra suas empresas por contratos.

Além de perturbar o cronograma para os formandos, as agências também alegam que as empresas de radiodifusão estão entrando em seu território – o de promover artistas de K-pop.

Na Coreia, é costume que as agências de talentos treinem profissionalmente futuros talentos durante anos antes de uma estreia oficial. Os contratos vinculam os estagiários às agências por vários anos – alguns até 10 anos após uma estreia oficial.

As agências de talentos reclamam que as empresas de radiodifusão estão colhendo o fruto do seu investimento. É difícil para as agências impedir que seus cantores apareçam nesses shows, uma vez que uma empresa de radiodifusão pode “proibir” os cantores não cooperativos de aparecer em seus shows de música.

Aparecer em tais shows é essencial para razões promocionais, portanto os organismos de radiodifusão têm uma vantagem. “É um grave desequilíbrio no poder (entre uma agência e uma empresa de radiodifusão)“, disse outra empresa da indústria da música. “Se uma empresa de radiodifusão violar o domínio das agências de talentos, não há muito o que possamos fazer.”

Quando o ‘Produce 101‘ foi lançado, pensamos que seria uma coisa única. Mas agora, todos estão fazendo isso. Se é uma ou duas vezes, podemos gerenciar. Mas se todos os radiodifusores começarem a fazê-lo, as agências de talentos estarão acabadas“, disse o funcionário.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.