Tweets sobre o BTS são fáceis de encontrar, mas agora, uma história sobre um casal ARMY LGBTQ+ que se casou este mês, é novidade e por isso, se tornou viral.

“Desde a reunião no Twitter por causa do @BTS_twt, passando pela vida real no show do BTS, até nos casarmos ontem com músicas instrumentais do BTS, foi uma jornada incrível”, twittou o casal em 6 de janeiro, que recebeu desde então mais de 25.000 curtidas.

“Obrigada, BTS, por nos unir”, eles escreveram.

Amber Rodriguez, 25, originalmente de Charleston, Carolina do Sul, agora vive com sua esposa Nikole Rodriguez, 22, uma estudante do Peru que estuda no Kansas, EUA.

As duas dizem que não previram essa reação do público.

“Eu postei principalmente apenas para nossos amigos em comum. Foi um pequeno resumo da nossa história e então muitas pessoas começaram a nos escrever… Foi uma loucura”, disse Amber.

O casal se conheceu há pouco mais de dois anos no Twitter, quando Amber começou a dedicar sua conta ao BTS. Um dia, ela estava falando sobre Yoongi, cujo nome artístico é Suga, e Nikole respondeu, e logo as duas se tornaram melhores amigas.

E em 4 de janeiro, as duas se casaram com faixas instrumentais do BTS.

“Havia três músicas durante a cerimônia. A primeira foi ‘Jamais Vu’ quando todos estavam chegando, ‘Euphoria’ quando entrei e ‘Crystal Snow’ para Amber”.

Via: The Korea Herald

“Mikrokosmos” surgiu quando o casal estava saindo – uma faixa que elas pensavam que simbolizava sua felicidade juntas.

As duas dizem que seguir os mesmos artistas como um casal é divertido.

“Nós dirigimos por 18 horas para chegar da Carolina do Norte (para o Kansas) e durante todo o tempo estávamos tocando BTS e alguns grupos femininos”, disse Amber antes de acrescentar: “E a mercadoria é mais barata porque podemos compartilhar”

BTS Army: um ‘espaço seguro’ para as pessoas LGBTQ+

Em 2018, o BTS fez um discurso na Assembléia Geral da ONU.

“Não importa quem você é, de onde você é, sua cor de pele, identidade de gênero: seja você mesmo”, disse RM, líder do grupo.

Via: The Korea Herald

Nikole lembra o discurso como um dos vários exemplos de por que as pessoas pensam no Exército do BTS como um espaço seguro para minorias sexuais, além de recomendar artistas que fazem parte da comunidade como Troye Sivan.

“Na ONU, ele mencionou ‘não importa a identidade de gênero’, que inclui muitas trans-identidades e identidades não binárias, o que foi um sinal claro para todos”.

Para ela, RM sempre foi inclusivo em suas falas.

Como referência, ela aponta para uma entrevista de 2017 com a Entertainment Tonight, durante a qual o grupo foi questionado sobre amor e RM mencionou um “namorado e uma namorada”.

Em uma entrevista de 2018 à Billboard, Suga foi citado como tendo dito: “Não há nada errado. Todo mundo é igual” ao falar sobre “Same Love” de 2012 de Macklemore e Ryan Lewis.

Para alguns, a mensagem do grupo de inclusão LGBTQ+ não é forte o suficiente, mas Nikole diz que entende a sutileza.

“Eu também venho de um país onde questões e direitos LGBTQ+ são muito difíceis de serem discutidos sem muita pressão, então eu entendo que eles precisam ser cuidadosos às vezes”.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.