BTS eSuperM

Para dizer o mínimo, o ano de 2019 foi tumultuado. Altos e baixos, lágrimas de alegria e tristeza dominaram as manchetes do mundo do Kpop.

Aqui estão algumas das principais histórias do K-pop em 2019!

1. Atual situação da YG Entertainment

No início do ano, parecia que a potência do K-pop, a YG Entertainment, teria um intenso 2019. O novato Blackpink, estava desfrutando de crescente popularidade em todo o mundo, enquanto o famoso Big Bang estava se preparando para um possível retorno, uma vez que todos os integrantes haviam retornado das forças armadas.

Mas tudo mudou quando a gravadora ficou envolvida em um escândalo que começou na boate Burning Sun, envolvendo o agora ex-integrante do Big Bang, Seungri. O escândalo Burning Sun, como ficou conhecido, disparou com alegações que variavam de prostituição, agressão sexual, corrupção policial, câmera de espionagem e drogas, entre outros, envolvendo vários outros artistas de K-pop.

Seungri, ex-membro do Big Bang, participou em maio de audiência sobre mandado de prisão sob acusação de fraude e aquisição de serviços sexuais. O tribunal negou emitir um mandado de prisão. // Yonhap

O escândalo forçou Seungri a deixar a indústria do entretenimento, enquanto o CEO e fundador da YG, Yang Hyun-suk, também renunciou por seu possível envolvimento em conspiração com a polícia para encobrir incidentes de drogas em casos anteriores envolvendo um de seus artistas, o B.I do iKON. Seu irmão Yang Min-suk, que atuou como CEO da agência, também renunciou em junho.

A YG agora é liderada pelo novo CEO nomeado Hwang Bo-kyung, mas observadores do setor especulam que levará um tempo para que uma das agências de K-pop mais importantes da Coreia recupere sua posição. O escândalo reduziu pela metade o preço das ações da YG no início do ano passado, e o futuro parece sombrio no momento. Mas há alguma esperança. O Blackpink está programado para voltar com novas músicas no início de 2020, enquanto o Big Bang ainda pode fazer um comeback.

2. Dominação global do BTS

Quando o ano de 2019 começou, o BTS continuou sua dominação global, alcançando lugares que nenhum outro grupo de K-pop conseguiu. Em fevereiro, os sete integrantes, vestidos com elegantes smokings pretos, pisaram no tapete vermelho do 61º Grammy Awards em Los Angeles. Nessa grande noite, o BTS apareceu no palco para fazer a nomeação do melhor álbum de R&B do ano à H.E.R. Embora o BTS não tenha levado troféus para casa – depois de ser indicado ao premio de melhor design de álbum, fez história como o primeiro grupo coreano a aparecer no Grammy.

Em abril, o BTS fez seu tão esperado retorno aos holofotes com “Map of the Soul: Persona”, alcançando paradas globais e superando seus próprios registros. O EP de sete faixas estreou em primeiro lugar na Billboard 200, tornando-se o primeiro grupo desde os Beatles a ganhar três posições em menos de um ano. O álbum também ficou em primeiro lugar na parada de álbuns oficiais do Reino Unido, tornando-se o primeiro grupo coreano a fazê-lo. A faixa-título “Boy With Luv”, com Halsey, estreou no 8º lugar na Billboard Hot 100, tornando-se a música de maior sucesso do septeto, além da melhor pontuação de um grupo de K-pop.


O BTS se apresentando no MetLife Stadium, em Nova Jersey, como parte de sua turnê mundial “Love Yourself: Speak Yourself”. // Big Hit Entertainment

Enquanto isso, a boyband viajou por todo o mundo, lotando os principais estádios em sua turnê mundial “Love Yourself: Speak Yourself”. O Wembley Stadium do Reino Unido, o Rose Bowl Stadium da Califórnia estão entre as paradas em que o BTS tingiu um colossal estádio de roxo. Com sua parada no Estádio Internacional King Fahd, o BTS também se tornou o primeiro grupo estrangeiro a se apresentar em um estádio na Arábia Saudita.

Em questão de prêmios, o BTS ganhou dois no Billboard Music Awards e três no American Music Awards. Ainda não acabou. Com os prêmios de música de fim de ano, o BTS vem varrendo a cena, levando para casa vários prêmios importantes nos últimos shows do MMA e do MAMA.

3. Romances do K-pop

As estrelas do K-pop cantam sobre o amor, mas o romance não é tão fácil nessa indústria; os cantores são observados de perto e vinculados por regras estritas – algumas agências nem colocam cláusula de namoro no contrato.

No entanto, nascem novos amantes, bem como algumas mágoas nessa indústria de K-pop. Mas alguns conseguem permanecer fortes e firmes.

Assim que começou 2019, os fãs acordaram com a notícia de que Kai, do querido EXO, e Jennie do Blackpink, estavam namorando, o que foi confirmado mais tarde pela agência. A notícia recebeu atenção da mídia febril e respostas mistas dos fãs.

A notícia, no entanto, durou pouco. Menos de um mês após o relacionamento ter sido exposto, a SM Entertainment, agência do EXO disse que os dois se separaram, sem dar um motivo.

HyunA e Dawn posaram para a imprensa em novembro. // Yonhap

Um novo romance ídolo surgiu quando Kang Daniel, ex-membro do Wanna One, e Jihyo do Twice foram confirmados como um casal em agosto. A notícia tomou seus fãs que reagiram com uma certa decepção, mas também com apoio. Os dois foram apresentados através de um outro ídolo do K-pop cujo nome não foi revelado. Apesar de alguns rumores sobre separação, eles ainda parecem estar firmes.

Depois, há o casal HyunA e Dawn, que estão fortes há quatro anos. No início do ano passado, os dois cantores assinaram com a nova agência P Nation, de Psy, depois de serem expulsos da Cube Entertainment por namorar, no ano retrasado. O relacionamento deles continuou juntamente com o trabalho, pois os dois tomaram a rara decisão de lançar álbuns no mesmo dia. Em novembro, HyunA lançou “Flower Shower”, enquanto Dawn lançou “Money” em uma vitrine conjunta, expressando abertamente gratidão e carinho um pelo outro.

4. As Mortes de Sulli e Goo Hara

Foi um ano comovente, tivemos que nos despedir de duas queridinhas do K-pop. Em outubro, Sulli, ex-f(x), foi encontrada morta em sua casa. Embora a causa exata da morte não tenha sido revelada, a estrela de 25 anos, cujo nome verdadeiro é Choi Jin-ri, sofria de depressão, segundo a polícia. Sulli foi alvo de severas críticas públicas por suas posições francas sobre feminismo, saúde mental e imagem corporal, que continuam sendo questões sensíveis na indústria do K-pop e na Coreia como um todo.

Um memorial para Goo Hara no Hospital St. Mary em Seul // Yonhap

Seis semanas depois, Goo Hara, uma atriz e cantora que fazia parte do Kara, também morreu. A morte de Hara, que era amiga íntima de Sulli, provocou outra onda de tristeza e choque. A artista também sofria de abuso online e intensa atenção da mídia, especialmente depois de seu envolvimento na batalha judicial com seu ex-namorado, acusando-o de ameaçá-la com um vídeo de sexo filmado sem o seu consentimento.

As trágicas mortes das duas estrelas chamaram a atenção para questões abrangentes, incluindo saúde mental, as intensas pressões que as estrelas do K-pop enfrentam e o cyberbullying.

5. Comebacks do SuperM e EXO

Em outubro, um novo supergrupo nasceu da potência do K-pop SM Entertainment, em parceria com o Capitol Music Group para distribuição. Apelidado de “Vingadores do K-pop”, o SuperM consiste nos principais talentos dos principais grupos da agência, incluindo Taemin do SHINee, Baekhyun e Kai do EXO, Taeyong e Mark do NCT 127 e Ten e Lucas do WayV.

O mega projeto estreou no topo da parada de álbuns da Billboard 200 com seu EP intitulado “SuperM”, liderado pela faixa-título “Jopping”. Com o lançamento do álbum, o grupo, apoiado pelos fãs, está ansioso para se despontar no mercado dos EUA, com músicas em inglês e turnê na América do Norte até fevereiro de 2020.

SuperM // SM Entertainment

Sem tempo para descansar, o EXO fez um retorno muito aguardado com seu sexto álbum “Obsession”, em novembro. O álbum traz seis dos nove integrantes, Kai, Chanyeol, Sehun, Baekhyun, Suho e Chen. D.O e Xiumin estão ausentes devido ao serviço militar obrigatório, enquanto Lay está ocupado com atividades solo na China.

Apesar da frequente ausência, o EXO apresentou performances eletrizantes para a faixa-título do álbum, introduzindo um novo conceito chamado X-EXO – o clone do mal do grupo. Os meninos estão lançando músicas com dois conceitos opostos, sob o argumento de integrantes do EXO lutando contra seus doppelgangers  (sósias) sombrios do X-EXO.

6. Serviço Militar

O serviço militar obrigatório na Coreia sempre foi um assunto muito debatido. Especialmente para as estrelas masculinas do K-pop, porque os alistamentos significam perder cerca de dois anos da indústria do entretenimento.

Enquanto os fãs esperavam que as estrelas populares do K-pop pudessem estar isentas de serviço – como alguns dos principais artistas e esportistas -, o governo esclareceu em novembro que a isenção não seria concedida, citando uma escassez de recrutas a cada ano.

O líder do Big Bang, G-Dragon, foi liberado das forças armadas em outubro. // Yonhap

Em 2019, vimos Xiumin e D.O do EXO se despedindo temporariamente de suas atividades para ingressar no serviço militar em maio e julho, respectivamente. Em abril, os integrantes do SHINee Key e Minho foram alistados, após Onew em dezembro do ano retrasado. Após o alistamento de Yoon Doo-joon em agosto de 2018, todos os outros do Highlight entraram no serviço ano passado. Junho e Chansung, do 2PM, também se alistaram em maio e junho, respectivamente.

Depois de uma longa espera, todos os integrante do Big Bang retornaram das forças armadas, começando com o T.O.P em julho, o G-Dragon em outubro e Daesung e Taeyang em novembro. Com todos os meninos liberados, os fãs esperam um grande retorno da banda, mas nada foi decidido ainda, devido aos recentes escândalos.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.