Katie mal pode esperar para mostrar ao mundo no que ela esteve trabalhando nos últimos anos.

É um momento importante para ela, uma vez que seu primeiro EP “Log” foi lançado recentemente. E segundo a própria Katie, ele sintetiza sua essência, como artista e como ser humano.

Eu amo o fato de mostrar minha personalidade, assim como meu gosto pela música e minhas emoções,” explica em uma voz delicada que pode surpreender as pessoas, dado o poder que emana da sua voz quando canta.

Embora tenha acabado de chegar dos EUA, ela já tem uma agenda cheia pela frente,”Faz pouco tempo que estou na Coreia e ainda estou tentando me recuperar do meu jet lag enquanto tento dar conta de todas as entrevistas.”

Katie no escritório da AXIS, no WeWork em Yeouido, Seul. Foto: The Korea Herald

O álbum “Log” é lançado quase cinco anos depois de ela ter vencido a quarta temporada do K-pop Star em 2014, chamando a atenção do executivo de música da YG Entertainment, Yang Hyun-suk, e assinando contrato com a gravadora.

Ano passado, ela lançou o single “Remember” que já atingiu 10 milhões de visualizações no Youtube. Nada mais foi lançado em seguida, deixando fãs querendo mais.

Eu sei que estou fora de cena há algum tempo, mas eu venho trabalhando na minha arte. Tenho aprendido muito sobre música e sobre a vida. Eu acho que amadureci nesse período“, explica.

Desde então, muita coisa aconteceu. Ela saiu de uma gravadora influente para fazer parte da empresa independente AXIS, criada em 2018 e que, além da Coreia, atua nos Estados Unidos e no Japão.

Quando questionada sobre o que mudou, ela dá uma sorriso gentil antes de responder, “A verdade é que tenho mais liberdade em fazer e em apresentar minha música do meu jeito para o mundo.

A resposta que vem logo em seguida deixa clara sua convicção e sua determinação em não dar o braço a torcer. “Mas, onde quer que eu estivesse, eu ainda lutaria para conseguir fazer as coisas ao meu modo.”

Ela está extremamente grata e feliz por, finalmente, poder mostrar seu trabalho e voltar a se conectar com as pessoas que a admiram.

Não existem palavras que possam expressar o quanto estou grata por as pessoas estarem realmente esperando que eu lance músicas, pois já faz muito tempo que elas estão aguardando por algo que não foi prometido. Eu não tinha grandes meios para falar previamente sobre minhas ideias, meu trabalho ou meus planos. Foi um pouco frustrante para mim, mas esse período já passou,” afirma.

Ela está se referindo a todos os comentários online que recebeu perguntando quando ela lançaria algo novo. Essas pessoas agora tem mais do que esperavam.

Foto: The Korea Herald

Apesar das letras tão terem sido escritas por ela própria, seu envolvimento na produção do EP é perceptível em todo o processo.

“Eu participei do começo ao fim. No começo, tive que explicar o que queria e falar sobre minhas inspirações e referências para ajudar com o processo. Eu falava “eu quero esse tipo de energia e esse tipo de história” e eu comentava e dizia o que pensava sobre todas as composições.

A faixa seis, Better Off, é um bom exemplo. A canção tem um tom de jazz e uma letra com a qual Katie se identifica totalmente, muito mais do que com qualquer outra letra do EP.

Eu amo demais essa faixa e estou muito feliz por ela ter sido inclusa no EP“, relata.

Na canção, o refrão é cantado com uma voz suave e determinada, “estou melhor sem você” e é exatamente assim que ela se sente quando o assunto é relacionamento.

Nesse momento, eu estou bem sem ninguém por perto. Sinto que, de certa forma, é perigoso para mim ser dependente de alguém a essa altura, então acredito que estou melhor só com o meu cachorro.” afirma com um sorriso.

Ao mesmo tempo em que ela não pretende se envolver com alguém nem tão cedo, ironicamente, seu EP é recheado de histórias sobre relacionamentos, contadas com forte influência do R&B, o que não é de se admirar, visto que seus álbuns favoritos de todos os tempos são “Orange Channel” de Frank Ocean e “Black Messiah” de D’Angelo.

Assim que eu comecei a cantar, eu quis mergulhar no mundo do jazz. Eu adoro o jazz estadunidense dos anos 60. Ella Fitzgerald é uma das minhas cantoras favoritas.

Ela também adora a singularidade de Frank Sinatra e Chet Baker, mas, em certo ponto, seu gosto na música começou a se diversificar.

Quando eu fui para a faculdade, eu me apaixonei pelo R&B, Jazz, Soul, Funk, de tudo um pouco. Mas o gênero que eu mergulhei de cabeça mesmo foi o R&B e a Black Music. Lauryn Hill and Frank Ocean significam muito para mim.”

Falando em grandes nomes, a faixa “Remember” conta com a colaboração de Ty Dolla. Katie explica que toda a experiência foi inacreditável.

Se eu não me engano, eu estava no escritório quando me contaram que iria acontecer,” conta. “Ele realmente gostou da música a ponto de querer fazer parte dela. Ty é um artista tão incrível e tê-lo em uma das minha canções é quase inacreditável.”

Foto: The Korea Herald

Aos 10 anos, ela se mudou para os Estados Unidos e cresceu como imigrante. Quando questionada se esse contexto a moldou como artista, ela diz “Definitivamente.”

Com toda certeza! Porque foi assim que eu cresci e me tornei a pessoa que sou hoje. Cada pequena coisa influenciou em quem eu sou nesse momento. Acredito que minha personalidade mudou um pouco quando me mudei para lá. Se me lembro bem, eu era uma pessoa mais introvertida na Coreia.

Ao me mudar para os Estados Unidos, levou um tempo para eu me adaptar e fazer amigos. Então, eu passei muito tempo no meu quarto apenas escutando o que tocava no rádio naquela época. Essa é a razão pela qual a música entrou na minha vida, para preencher o vazio. E eu sou muito grata por isso.

“Respeitar o meu tempo e me sentir solitária ou estranha naquele lugar me ajudou a entender melhor as pessoas que se sentem assim na nossa sociedade.”

Os dias atuais são o melhor momento para ser uma estrela do K-pop, com muitos artistas fazendo sucesso e mirando no público internacional. Mas quando perguntada sobre qual “rótulo” lhe encaixa melhor, Katie diz que quer apenas ser lembrada como uma “artista”.

Embora eu goste de ser parte de um “rótulo” para me sentir associada, não quero realmente me classificar em algumas coisas, porque sinto que isso me impede de ter um espectro mais amplo. Eu prefiro apenas ser vista como artista ou como uma cantora de R&B.”

Seu EP é todo em inglês, o que levou algumas pessoas a pensar que ela estava querendo atingir o mercado estadunidense, mas ela informa que, ao contrário do que parece ser uma estratégia de marketing. foi apenas uma forma que ela encontrou para se conectar com o maior número possível de pessoas, dada a sua origem americana.

Eu canto melhor em inglês do que em coreano, então é a melhor língua para eu me expressar e para as pessoas me ouvirem e verdadeiramente me compreenderem melhor.

O EP de estreia de Katie “Log” já está disponível nas grandes plataformas de streaming.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.