Seu telefone é confiscado. A visita dos seus pais é cronometrada. Uma dieta extrema se torna parte da sua vida, junto de 10 pesagens por dia. Não só isso, você pratica dança e canto por horas a fio. Mesmo quando estiver doente, você tem que subir no palco e se apresentar da exata forma que seus agentes querem. Não há liberdade ou privacidade.

Essa era a vida de Kong Yoojin, 19 anos, ex-integrante do grupo BONUSbaby. Aos 17, ela e o grupo debutaram com o álbum Urikiri – que significa “sozinhas”, em coreano – em janeiro de 2017, porém, ela deixou o grupo em setembro de 2018 para se dedicar aos “estudos”. O grupo parou de se apresentar desde então.

Em uma entrevista, a jovem explica suas razões para deixar a indústria e expõe um dos piores lados do k-pop.

“Olá, meu nome é Kong Yoojin, ex-integrante do grupo BONUSbaby. Eu entrei para uma agência com 15 anos e treinei por 6 meses, antes de debutar. Eu fui uma integrante ativa por 2 ou 3 anos e, então, deixei a agência.

Existem programas de TV que mostram o quão dura é a vida de um idol, mas foi muito mais difícil do que eu achei que seria. Dançar não era fácil pra mim e eu danifiquei minhas pregas vocais porque tinha que mudar minha voz para se encaixar na imagem do grupo. Agora eu estou recebendo tratamento para um problema cervical.

Nós tínhamos que ir para as emissoras de TV muito cedo, então dormíamos apenas 2 ou 3 hora de sono após os treinamentos. Nós costumávamos nos maquiar na van, a caminho do trabalho. E como éramos novatas, éramos as primeiras na fila do ensaio, então, tínhamos que nos aprontar para a apresentação às 2h-3h da manhã.

Nós, sequer, podíamos tirar uma cochilo, com medo que isso deixasse nossa voz rouca. A agência esperava que nós déssemos nosso melhor, então, desesperadas, tentávamos não dormir e aquecíamos nossas vozes até a hora da apresentação. Era difícil.

Foto: Maroo Entertainment

A agência nos disse que não podíamos pesar mais do que 46 kg. Minha altura é 1.64. Eu me recusava a comer. Geralmente, eu tomava uma caixinha de leite de soja durante o dia. Eu substituía refeições por pequenos goles de leite de soja, enquanto praticava dança o dia todo. Nos dias que eu comia mais, eu controlava, rigidamente, minha dieta e comia 2 ovos, 10 tomates-cereja e 10 amêndoas por dia. Eu pesava 42 kg nessa época. Nós tínhamos que nos pesar sempre que voltávamos ao escritório e eles comparavam o peso antes e depois de sairmos. As vezes, tínhamos que subir na balança 10 vezes por dia.

Nós sofríamos para controlar nosso apetite, então a agência, mais tarde, até mesmo proibiu que nos encontrássemos com nossos pais fora do escritório. Os encontros começaram a ser de apenas uma hora, dentro da agência.

Geralmente, íamos para a agência ao meio dia e recebíamos treinamento vocal até as 18h. Daí, pausávamos para a janta por uma hora, até as 19h, e íamos para o treinamento de dança até o amanhecer. Eles nos davam missões para serem cumpridas no dia, antes de irmos embora. Nós nos filmávamos dançando e não podíamos ir embora até que as 6 estivessem sincronizadas. Praticávamos até, no mais tardar, as 7h.

O luxo de aproveitar coisas simples da vida, como poder brincar com seu celular nos momentos livres não era permitido para nós, então, o que nós podíamos fazer era praticar de novo e de novo.

Kongyoo quando fazia parte do grupo BONUSbaby. Foto: Maroo Entertainment

Meus pais vivem no exterior e eu tinha que conversar com eles pelo telefone. Toda vez eu queria dizer que estava tendo dificuldades por causa disso e daquilo, como uma criança pequena, eu não podia. Minha única opção era segurar tudo isso e seguir em frente. Quando ficava muito difícil de aguentar, eu me voltava para as outras integrantes. Nós éramos muito próximas e, geralmente, nos apoiávamos nas horas difíceis. Isso continuou assim até debutarmos.

Depois do nosso debut, sair para irmos a programas de música ou para fazermos curtas visitas à academia de canto eram os momentos que nos sentíamos mais confortáveis e relaxadas. Esses eram os momentos mais alegres das nossas vidas.

Minha depressão chegou ao ponto de eu pensar que era uma pessoa sem valor. Depois de deixar a agência, minha situação piorou. Eu entrava em pânico sempre que estava num lugar muito cheio. Eu começa a suar e, do nada, me faltava o ar. Eu tentei superar indo, deliberadamente, para lugares muito cheios para encontrar pessoas, mesmo que fosse muito difícil para mim. E essa academia de canto foi o primeiro lugar que eu escolhi.

Eu ganhei muita experiência de palco agora que estou me preparando para as audições do curso de música na faculdade, assim como os outros estudantes. Eu acho que eu tenho uma vantagem aqui, porque não fico nervosa ao cantar na frente de um público.

Kongyoo atualmente. Foto: @youzhenk | Instagram

Eu gostaria de ver o meu tempo na agência mais como uma benção disfarçada. Foi muito difícil, mas, agora, eu vejo que esse período ruim da minha vida teve seu propósito. Me ensinou que a esperança pode surgir da escuridão e brilhar.

Agora, eu quero focar mais em apresentar músicas que eu amo, coisa que eu não podia fazer antes, incluindo alguns estilos musicais que eu prefiro. Tem muita coisa que eu quero mostrar e que ficaram escondidas em mim por muito tempo.

Eu quero me tornar uma professora de música. Depois de me formar na faculdade, eu quero me tornar uma professora e conhecer muitos alunos que querem construir uma carreira musical, para ensinar a eles através da minha experiência e dizer que é sim, tão difícil quanto eles imaginam.

Para mim, a jornada para me tornar uma idol valeu pela experiência única. Foi um ponto decisivo na minha vida. Aos que estão sonhando em se tornar idol, eu quero dizer para que encarem o desafio. Uma experiência sempre tem dois lados, mas, ao menos uma vez, eu gostaria que eles seguissem seus sonhos.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.