Foto: KARD Official Twitter

01Na década de 1990, não era difícil encontrar grupos de gêneros mistos na cena musical coreana, com artistas como Roo’Ra, Koyote, Cool, S#arp e Space A roubando o show com seus inúmeros sucessos. Os grupos “mistos” tinham uma vantagem única em termos de composição de equipe e estilos sonoros, mas após o tremendo aumento de grupos exclusivamente masculinos e femininos no final dos anos 2000, esse número despencou. Hoje em dia, grupos de gêneros mistos são uma raridade no universo K-pop.

O KARD, que consiste de dois integrantes masculinos – BM e J.Seph – e dois femininos – Somin e Jiwoo – é um dos poucos grupos que está começando agora. Existem alguns artistas novatos como CHECKMATE e Triple Seven (777), supergrupo com integrantes do B.I.G e do 3YE, mas que ainda não criaram um impacto.

Confira o MV de Debut do Triple 7, PRESENTE:

Os críticos apontam que existe um grande fator que ameaça a sobrevivência da maioria desses grupos: a dificuldade de formar uma base de fãs sólida e leal, indispensável para o sucesso dos astros do K-pop contemporâneo.

“É difícil para um grupo de gêneros mistos atrair mais fãs do sexo feminino do que um grupo de garotos, ou angariar mais seguidores do sexo masculino do que de um grupo de garotas“, disse o crítico de música pop Seo Jeong Min-gap ao The Korea Times. “A maioria das empresas de gerenciamento de K-pop também acha mais exigente cuidar de um grupo misto. Os ídolos de K-pop geralmente vivem juntos em um dormitório para promover o trabalho em equipe, mas isso não é uma opção para um grupo co-ed.”

E aqui o MV de Debut do CHECKMATE, DRUM:

O crítico Jung Min-jae concordou, acrescentando que esses elementos mencionados tornam mais arriscado para as empresas produzirem um grupo que inclua homens e mulheres. Jung também tocou em outro enigma que enfrentam ao desenvolver estratégias para promover seus cantores.

“As empresas devem decidir que gênero de fãs almejam, mas a resposta pode não ser fácil de encontrar”, disse ele. “Embora grupos de gêneros mistos possam exibir diferentes tipos de charme que os fazem se destacar, é improvável que cheguem ao estrelato sem ter um público-alvo específico.”

Renascimento dos Grupos Mistos?

Por Que Grupos Mistos São Raros No K-Pop?
Via: the korea times

No verão passado, o grupo misto SSAK3, que foi formado no reality show da MBC, “Hangout with Yoo”, permaneceu no topo de várias paradas de streaming de música com seu hit retro, “Summer Sea Again”. A história de sucesso do SSAK3 – composto pelo comediante e apresentador do programa Yoo Jae-suk, a cantora Lee Hyo-ri e o cantor e ator Rain – levou uma infinidade de pessoas a pensar que esses grupos poderiam mais uma vez surgir para assumir o controle da indústria musical.

O crítico Jung, entretanto, diz que o SSAK3 foi meramente um “caso excepcional”.

“O sucesso do SSAK3 não implicou no renascimento de grupos mistos”, observou ele. “Foi um grupo de projeto criado por meio de um popular programa de variedades. O programa apresentou todo o processo de sua estreia e promoveu amplamente sua música. O poder de um programa de TV – não o poder da música – tornou quase impossível para o SSAK3 ser mal sucedido.”

Por Que Grupos Mistos São Raros No K-Pop?
Via: the korea times

Jung também se referiu ao Koyote – um grupo vocal formado por Kim Jong-min, Shin Ji e Bbaek Ga, que estreou em 1998 – para elaborar seu argumento.

“O Koyote também lançou um novo single intitulado ‘Oh My Summer,’ no verão passado, mas quase não recebeu atenção. Dado esse fato, acho que a vitória de SSAK3 tem pouco a ver com o renascimento de grupos mistos.”

Tanto Jung quanto Seo acreditam que o status quo dos grupos será mantido no mundo K-pop pelo menos por um tempo.

“As gravadoras de K-pop ainda não estão muito motivadas para lançar grupos mistos, porque não testemunharam muitos casos de sucesso recentemente”, observou Seo. “No momento, não há nenhum outro grupo conspícuo, exceto o KARD. Para piorar, a prolongada pandemia de COVID-19 está dando um golpe crítico em muitas empresas, impedindo-as de assumir novos desafios.”

Jung disse: “Os atos de K-pop são distintos de bandas indie ou grupos de hip-hop (na medida em que colocam maior ênfase em suas bases de fãs). Os grupos mistos podem ter sucesso no futuro, se eles se concentrarem em músicas fáceis de ouvir para o público em geral, mas se eles quiserem se tornar grupos ídolos do K-pop, pode haver alguns obstáculos.”


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.