O grupo feminino de K-pop, que fez um grande sucesso nos anos 90, chamou seu próximo álbum especial de “a cereja do bolo” de sua carreira, ansiosas por apresentar canções que retomem os seus dias de glória.

O S.E.S., que estreou em 1997, surgiu triunfante na coletiva de imprensa realizada em Seul, como se tivessem viajado duas décadas, diretamente para 2016.

Da esquerda para a direita: Bada, Eugene e Shu, do grupo S.E.S, cheio de hits nos anos 90, posam para fotos na coletiva de imprensa, que aconteceu na Universidade de Sejong, em Seul, no dia 30 de Dezembro de 2016. Foto: Yonhap.

Já que é um novo álbum em 20 anos (desde a estreia do grupo), estávamos preocupadas em garantir boas músicas, tendo sentido bastante a pressão deste retorno“, disse Eugene, uma das integrantes, no evento para a imprensa.

Eugene lembrou que o chefe da SM Entertainment, Lee Soo-man, disse a elas que seria muito dificil conseguirem canções de qualidade no momento atual e alguns sugeriram até que talvez elas devessem apenas fazer remakes de seus sucessos anteriores. Contudo, as meninas foram capazes de obter músicas fantásticas para o novo álbum, graças ao próprio Lee Soo-Man e o produtor Yoo Young-jin que produziu as canções do S.E.S. em seu auge há duas décadas atrás.

As novas músicas do álbum especial são “My Rainbow“, “Candy Lane” e “Paradise“, e alguns remakes de sucessos anteriores, como “Life” e “The Light“.

Uma coletiva de imprensa foi organizada pela direção do grupo, a S.M. Entertainment, para promover o concerto de fim de ano do S.E.S., chamado de “Remember the Day“. O evento também foi um precursor do álbum especial do grupo.

O concerto teve duas noites, de sexta e sábado, e trouxe uma boa mistura de sucessos do passado e algumas novas músicas do próximo novo álbum.

Eugene, do grupo S.E.S., na coletiva de imprensa, que aconteceu na Universidade de Sejong, em Seul, no dia 30 de Dezembro de 2016. Foto: Yonhap.

Na coletiva de imprensa, as três integrantes demonstravam satisfação sobre os últimos meses de preparação para o seu retorno.

A líder do S.E.S., Bada, disse que o hiato de 14 anos contribuiu para um forte sentimento de nostalgia tanto para si mesma, quanto para os fãs do S.E.S. Ela disse que simplesmente amou o tempo que passou na cabine de gravação para o novo álbum.

Para ela, o conceito do álbum especial de inverno não poderia ser mais apropriado – memórias e amor atemporal. “Tivemos nossa estréia como meninas muito jovens e recebemos muito amor de todas as gerações”, lembrou Bada. “Eles nos amavam como se fossemos suas filhas, sobrinhas e amigos. Com o novo álbum, gostaríamos de trabalhar para que todas as pessoas possam relembrar esses dias nostálgicos“.

As integrantes disseram que acreditam que fãs antigos e mesmo os novos que surgirem, irão simpatizar com as letras das novas canções.

Bada, do grupo S.E.S., na coletiva de imprensa, que aconteceu na Universidade de Sejong, em Seul, no dia 30 de Dezembro de 2016. Foto: Yonhap.

As integrantes Bada, Eugene e Shu agora estão todas na casa dos 30 anos, sendo que Eugene e Shu estão casadas e com filhos. Viver duas vidas, como ídolos e como mães e donas de casa, não é fácil, de acordo com Shu.

Ela disse que estava triste pelo fato do show ser a última atividade desse ano, pois, depois que o show terminasse no sábado, ela teria que voltar a ser dona de casa e mãe em tempo integral novamente. “Eu fiquei incrivelmente feliz, gravava minhas músicas e falava sobre o projeto (com minhas colegas de grupo)… Fiquei tão envolvida que esqueci um pouco das tarefas domésticas, como ter comida suficiente na geladeira“.

Shu, do grupo S.E.S., na coletiva de imprensa, que aconteceu na Universidade de Sejong, em Seul, no dia 30 de Dezembro de 2016. Foto: Yonhap. Foto: Yonhap.

Todas as três integrantes concordaram que os últimos meses após seu retorno lhes concedeu um momento precioso de redefinição do S.E.S.

Eugene disse que só depois do retorno ela percebeu quão harmoniosamente as vozes do trio ainda se misturam. Ela disse que “foi quando eu percebi, então que este é o S.E.S. A nostalgia foi um motor incrivelmente forte na harmonia“.

Shu também apreciou o significado de seus momentos de volta à profissão de cantora. Ela relembrou: “Há coisas que eu não enxergava no passado, uma delas é que nós três éramos como três brilhantes jóias, diferentes, e brilhávamos de maneira mais deslumbrante quando estávamos juntas, como um trio“.

O S.E.S em sua estreia em 1997.
O S.E.S em sua estreia em 1997.

Desde sua estréia em 1997 com o LP “I’m Your Girl“, o S.E.S. ganhou popularidade rápida entre os fãs de K-pop, até sua dissolução em 2002. Junto com seu maior rival Fin.K.L, que estreou em 1998, o S.E.S. emergiu como um dos principais grupos de ídolos do K-pop da primeira geração. Os contemporâneos da época, em grupos masculinos, são Sechs Kies (que também retornou à atividade recentemente), o Shinhwa e o H.O.T.


Disclaimer: As opiniões expressas em matérias traduzidas ou em colunas específicas pertencem aos autores orignais e não refletem necessariamente a opinião do KOREAPOST.



1 COMENTÁRIO

  1. Certamente era um dos meus grupos favoritos, espero que encontrem o caminho do sucesso novamente! Quem não é da época não tem ideia do sucesso que elas faziam, era o grupo feminino dominante no fim dos anos 90!

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor, digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome.